domingo, 28 de fevereiro de 2021

O PAÍS DO FUTURO FINALMENTE É AGORA

O Amazônia 1, primeiro satélite completamente brasileiro, foi lançado ao espaço na madrugada deste domingo (28/02). O lançamento ocorreu às 1h54, no Centro de Lançamento Sriharikota, na Índia. 

O lançamento do satélite é fruto de uma parceria entre o programa espacial brasileiro e a Índia. Cerca de 17 minutos após o lançamento do foguete PSLV-C51, o satélite se separou e fez suas primeiras atividades previstas, como a abertura do painel solar, a estabilização de sua orientação em relação à Terra, a verificação dos sistemas e a colocação do modo de prontidão.



UM ANO DE COVID

Se tem uma coisa que me corta o coração é o desprezo de quem vive num mundinho de facilidades, porém sem a mínima compaixão por quem vive...ou sobrevive...em outra realidade.

Completou um ano a chegada do maldito vírus. A primeira sugestão do governo foi para que eventos públicos fossem cancelados e que fechassem portos e aeroportos.

A gritaria do pessoal da bolha, sob o comando dos poderosos que faturam com carnaval e turismo, alegando que essa atitude se tratava de xenofobia, facilitou a farra do vírus.

O doutor da Globo se irritou com a possibilidade de não ter carnaval e afirmou que a doença era só um resfriadinho, o governador de São Paulo deu o exemplo demostrando como os brasileiros deveriam curtir a folia carnavalesca e quem podia se esbaldava nos grandes navios de cruzeiro, uma das portas de entrada do corona.

Quando a situação ficou sem controle, mudaram o discurso.

Preocupado com as consequências, mais uma vez o governo sugeriu todo o cuidado com as pessoas mais frágeis, idosos e portadores de comorbidades, porém alertou que milhões de brasileiros, a grande maioria sem condições de se isolarem confortavelmente e sem meios de prover o alimento de sua família trancados em casa, não poderiam ser caçados nas ruas como bandidos e que, ambulantes por exemplo, poderiam continuar garantindo seu ganha-pão. Afinal, é mínima a possibilidade de contágio ao ar livre, pois onde as pessoas mais se contaminam é dentro de casa, naquelas visitinhas desnecessárias, nos encontros de amigos que podem esperar tudo isso passar, nos ambientes fechados de modo geral.

Ah, a economia a gente vê depois...ou seja, que os mais vulneráveis morram de fome, porque não mudou nada para investidores ou pra quem tem alguma renda, aposentadoria ou salário garantidos.

Mas o terror do Covid continua e o que vemos esse pessoal do "fica em casa" fazendo por aí? 

São os que mais se aglomeram, não por necessidade, mas porque devem se achar criaturas especiais. São essas pessoas que aparecem em imagens viajando pelo mundo, organizando festinhas, passeando livremente em praias e outros locais públicos que querem proibir aos pobres mortais que não são celebridades. Nas mídias sociais, posam hipocritamente com máscaras, em eventos que tem comes e bebes.

Essa é a realidade, mas a indignação, infelizmente, é seletiva.

VACINA - BRASIL É TOP FIVE


Querem saber a verdade sem a politicagem rasteira de quem não se importa com a imagem de nosso país?

Saibam que o Brasil já vacinou tantas pessoas quanto Israel, o país com cerca de nove milhões de habitantes, por isso apresenta o percentual mais alto de habitantes vacinados, seguido pelos países que fabricam as vacinas, é óbvio. 

Logo a seguir, somos nós na dianteira. 

Confiram AQUI.

PRA QUE A PRESSA?

 


Deixemos os atos de desespero para os derrotados.
São muitas as cascas de banana jogadas no caminho do presidente. Plantam palavras que não foram ditas, invertem suas declarações, o agridem com truculência nunca vista, criam armadilhas que fracassam uma a uma.
Bolsonaro se mantém firme, porém resiliente.
Vez ou outra alguém extrapola, não sei se por falta de estratégia ou se é proposital para demonstrar do que são capazes os algozes do presidente.
Enquanto não conseguem atingir o seu alvo, tiranos tenebrosos vão mostrando a cara e caindo em suas próprias arapucas.

PROJETO POLÊMICO OU CRIMINOSO?

A HUMANIDADE CAMINHA PARA O MAIS PERVERSO PROCESSO DE DESUMANIZAÇÃO


Uma das questões mais delicadas da atualidade é a tal ideologia que pretende anular a identidade do ser humano desde o nascimento. Porém, muitas pessoas não entendem o verdadeiro propósito porque o apelo emocional confunde e conquista a adesão de quem está mais preocupado em ser descolado do que ter compaixão com as vítimas da negação da CIÊNCIA, que determina o gênero de todas as criaturas. 

Que o adulto decida o que quiser de suas vidas, mas é cruel o que querem fazer com as crianças, e muitos já fazem, segundo seus critérios, com aplicação de hormônio e mutilações, que destroem qualquer possibilidade de escolha quando realmente tiverem maturidade para decidir.

Tentam enfiar na cabeça das pessoas a narrativa de que a tal ideologia de gênero se trata de proteção a certo grupo de pessoas, que merecem respeito, mas a ideia é uma farsa. Na verdade, o movimento serve para anular a identidade do ser humano a partir da infância, pois com o lema de "ser o que quiser", simplesmente convence a criança que ela não é NADA, portanto precisa ser construída e.... daí surge todo tipo de aberração, como o projeto que é porta de entrada para a pedofilia.

O REI E O MITO



Quem, em sã consciência, gosta de armas a não ser que seja para alguma prática esportiva ou que viva num país onde o serviço militar é obrigatório para todos, como na Suíça? Ah, a bandidagem gosta.

É lamentável que tenhamos a necessidade de pensar nessa possibilidade, porém a lei do desarmamento é que nunca deveria ter acontecido. Quando o então presidente Lula impôs essa lei indevidamente, traindo a decisão popular que havia rejeitado essa ideia em referendo de 2005, evidentemente que tinha algum interesse nisso e foi a partir de então que a violência no Brasil disparou.

Bom relembrar de vez em quando para que as narrativas forjadas para enfraquecer a sociedade e seu poder de decisão não sejam bem sucedidas.

sábado, 20 de fevereiro de 2021

INTERPRETAÇÕES EQUIVOCADAS DOS FORMADORES DE OPINIÃO



Faz algum tempo que dou apenas uma passada rápida no que sai nos jornais pra não ficar "boiando", mas as interpretações maldosamente infantis são assustadoras, mais ainda quando vemos pessoas supostamente inteligentes dando crédito e repetindo tamanhas barbaridades.

Um exemplo de publicação criminosa, que insinua exatamente o oposto do que foi dito, foi a fala de Bolsonaro de que as Forças Armadas garantem a democracia... e isso é fato,... mas interpretaram essa afirmação como ameaça.

Aliás, o general Villas Bôas foi decisivo para evitar uma ação tirânica, que poderia resultar num banho de sangue, quando se recusou a reprimir as manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff, como desejava o governo do PT. Os petistas, sim, queriam decretar o estado de defesa, mas o general deixou claro que não iria jogar o Exército contra o povo que se manifestava democraticamente nas ruas.

Hoje, tive a infelicidade de ler mais uma publicação no mínimo leviana que, certamente, vai começar a repercutir na boca dos papagaios de repetição, que precisam voltar aos bancos escolares porque não assimilaram nada sobre como interpretar um texto ou um discurso.

"Em evento em Campinas, Jair Bolsonaro afirmou neste sábado que, se tudo dependesse dele, o país viveria um outro regime, sem explicar a que tipo de regime se referia." 

Abaixo, o discurso de Bolsonaro deixando claro aos seus apoiadores que ele não tem o poder absoluto, como pretendem ao exigir que o presidente tome atitudes extremas. Se assim fosse, não seria uma democracia, mas sim uma ditadura.

“Alguns acham que eu posso fazer tudo. Se tudo tivesse que depender de mim, não seria esse o regime que nós estaríamos vivendo. E, apesar de tudo, eu represento a democracia no Brasil. Nunca a imprensa teve um tratamento tão leal e cortês como o meu. Se alguns acham que não é dessa maneira, é porque não estão acostumados a ouvir a verdade. Nós vivemos num país livre.”