domingo, 15 de janeiro de 2017

APÓS REFORMA NO GOVERNO LULA, CÂMERAS SUMIRAM DO PLANALTO

MINISTÉRIO PÚBLICO FICA SEM SABER QUEM FREQUENTAVA O PLANALTO


O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, revelou que desde 2009 - durante o governo Lula - o Palácio do Planalto, assim como o Palácio do Alvorada não têm câmeras de segurança internas. 

Declaração foi dada em entrevista para a revista Veja.

As retiradas foram feitas quando o Planalto passou por reformas, durante o governo Lula, mas após a conclusão dos serviços as câmeras não voltaram a ser instaladas. Etchegoyen acredita que a retirada foi proposital. Disse também que não quiseram a recolocação das câmeras, sugerindo que foi conveniente que o local passasse anos sem ter registros de imagens.

O general informou que já foi aberto processo de licitação para instalação dos equipamentos, e o govern deve gastar ao menos R$10 milhões.

Em razão da falta de câmeras, o GSI ficou impedido de atender solicitações de acesso a eventuais gravações formuladas pelo Ministério Público Federal, que investiga os ex-presidente Lula e Dilma e seus ministros.


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

PF DEVASSA CAIXA DA ERA PT

CORRUPÇÃO NA CAIXA DURANTE GOVERNO DILMA É ALVO DE OPERAÇÃO DA PF

Um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal que teria ocorrido pelo menos entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff, é alvo de uma operação da Polícia Federal desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (13). Policiais fazem buscas e apreensões em endereços residenciais e comerciais no Distrito Federal, Bahia, Paraná e São Paulo. As 7 medidas foram determinadas pelo Juiz da 10ª Vara da Justiça Federal no DF.

Segundo a PF, o esquema seria composto pelo então vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, Geddel Vieira Lima, pelo vice-presidente de Gestão de Ativos, além de um servidor da CEF, empresários e dirigentes de empresas dos ramos de frigoríficos, de concessionárias de administração de rodovias, de empreendimentos imobiliários, além de um operador do mercado financeiro.

A investigação da Operação Cui Bono é um desdobramento da Operação Catilinárias, realizada em 15 de dezembro de 2015, que fez uma devassa na casa do então presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, hoje cassado e preso.

Naquela oportunidade os policiais federais encontraram um celular em desuso na casa de Cunha. Após a perícia e mediante autorização judicial de acesso aos dados do aparelho, a Polícia Federal extraiu uma intensa troca de mensagens eletrônicas entre Eduardo Cunha e Geddel entre 2011 e 2013. Segundo a PF, as mensagens indicavam a possível obtenção de vantagens indevidas pelos investigados em troca da liberação para grandes empresas de créditos junto à Caixa Econômica, o que pode indicar a prática dos crimes de corrupção, quadrilha e lavagem de dinheiro.

Diante destes indícios os policiais passaram então a investigar o caso, que tramitava no Supremo Tribunal Federal em razão de se tratar de investigação contra pessoas com foro privilegiado. Porém, em virtude dos afastamentos dos investigados dos cargos e funções públicas que exerciam, o STF decidiu declinar da competência e encaminhar o inquérito à Justiça Federal do DF.

POLÍCIA FEDERAL PEDE PRORROGAÇÃO DE INQUÉRITO QUE INVESTIGA DILMA E LULA

O TRIO É ACUSADO DO CRIME DE OBSTRUÇÃO À JUSTIÇA NA LAVA JATO


A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação do prazo do inquérito que investiga a ex-presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por obstrução das investigações da Operação Lava Jato.

No mesmo processo, são investigados os ex-ministros José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante; o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão; o ministro do STJ Marcelo Navarro Ribeiro Dantas; e o ex-senador Delcídio do Amaral.

A investigação foi aberta pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, em agosto do ano passado, após pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O pedido do procurador foi baseado na delação premiada feita pelo então senador Delcídio do Amaral. Em uma das oitivas, o senador acusou a presidenta afastada Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de terem interesse em nomear, no ano passado, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Marcelo Navarro Ribeiro Dantas com o objetivo de barrar as investigações da Operação Lava Jato e libertar empreiteiros presos.

Segundo Delcídio, a suposta tentativa contou com o apoio de José Eduardo Cardozo, que à época ocupava o cargo de ministro da Justiça, responsável por indicar informalmente à Presidência da República nomes de possíveis candidatos, e do ex-ministro Aloizio Mercadante.

Desde a abertura das investigações, a ex-presidenta Dilma afirma que a abertura do inquérito é importante para elucidar os fatos e esclarecer que em nenhum momento houve obstrução da Justiça. A defesa de Lula sustenta que o ex-presidente jamais interferiu nas investigações da Lava Jato. Mercadante também nega que tenha obstruído as investigações.(ABr)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

NÃO ME ACUSEM, EU NÃO TENHO CULPA



“Manifestamos o nosso repúdio contra a mentalidade daqueles que banalizam a vida, achando que é descartável, onde se pode matar e praticar todo tipo de crime e violência contra os cidadãos”, afirmou o arcebispo de Manaus, sobre o massacre no presídio da capital amazonense.

Uma guerra entre facções criminosas levou 56 presos a serem mortos, decapitados, esquartejados e carbonizados no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus.

Concordo com a frase, mas com intenções totalmente opostas as do arcebispo. Enquanto ele ora pelos assassinos, minhas preces são oferecidas às vítimas desses monstros. Quem, afinal, seriam os culpados pela matança? Esse jogo de palavras me enoja.

Repito, o jogo de palavras para buscar culpados a fim de justificar a maldade de monstros que tiram a vida de cerca de sessenta mil brasileiros por ano me enoja. Culpar a sociedade me ofende, como deveria ofender aos cidadãos que sustentam bandidos e que são as verdadeiras vítimas. Dá vontade de pedir indenização de cada um que se manifesta com esse discurso que me acusa, sim, pois eu sou parte dessa sociedade que eles condenam sem direito à defesa.
*
"Foram os bandidos que arrancaram as cabeças dos rivais. Nenhum trabalhador entrou lá com um facão e cortou o pescoço de alguém.",  trecho do texto de Miguel Lucena, abaixo:
*

QUEM DECAPITOU OS PRESOS EM MANAUS

Após o massacre ocorrido em presídio de Manaus, partidos de esquerda e ativistas de direitos humanos reapareceram com o discurso de que a culpa é da sociedade.

Dizem que é preciso reduzir as penas, diminuir o encarceramento, libertar presos, tornar as prisões mais humanas.

Os presidiários seriam vítimas do sistema, jogados nas masmorras por falta de opção.

Há presidiários que praticaram delitos de pequeno potencial ofensivo e não mereciam estar na cadeia.

A maioria dos argumentos, a meu ver, não procede.

Quem pratica pequenos delitos não fica preso. Os crimes de pequeno potencial ofensivo e as contravenções penais chegam ao Judiciário por meio de Termos Circunstanciados, sem lavratura do Auto de Prisão em Flagrante, e os juízes aplicam penas alternativas, como prestação de serviços à comunidade.

Os presos por pensão alimentícia e depósito infiel ficam em celas separadas por até 90 dias, não se misturando à massa carcerária.

Os crimes de furto, em sua maioria, salvo os de grande monta, são arquivados.

Os presos que estão no sistema praticaram assassinatos, latrocínios, assaltos à mão armada, estupros e tráfico de drogas.

Foram os bandidos que arrancaram as cabeças dos rivais. Nenhum trabalhador entrou lá com um facão e cortou o pescoço de alguém.

Penso que a repressão total ao tráfico e a legalização da venda de drogas sejam a discussão principal a ser travada neste momento.

O que mais alimenta a guerra entre organizações criminosas e a prática de outros delitos, como roubos e furtos, é o tráfico de entorpecentes.

O tráfico de drogas movimenta 400 bilhões de dólares por ano e enriquece muita gente que se apresenta como empreendedor na sociedade.

Enquanto isso, o sistema policial e judiciário abarrota as cadeias com pequenos e médios traficantes, às vezes pega algum peixe graúdo, mas dificilmente atinge quem está por trás dessa engrenagem, que envolve políticos, empresários e banqueiros.

Quem praticou crimes graves deve permanecer preso, sem acesso a aparelhos de telecomunicações, e cumprir a pena integralmente.

O problema do Brasil é que tudo é um faz-de-conta.

Não funcionam as escolas, que frustram as expectativas da maioria, a polícia ostensiva prende mal e só alcança os que agem na ponta e os presídios repetem o mesmo faz-de-conta de todo o serviço público: instalações precárias e falta de controle, sem falar na corrupção que grassa no estado brasileiro como a peste que quase dizimou a Europa na Idade Média.

Para completar, surge a notícia de que a empresa que administra presídios financiou a campanha de um parlamentar condenado por envolvimento com o narcotráfico e o governador do Amazonas pediu ajuda da Família do Norte para se eleger.


Miguel Lucena é delegado da Polícia Civil do Distrito Federal e jornalista.

JOGO PARA NÃO ESQUECER O LEGADO DO PT

PSDB LANÇA JOGO NA INTERNET PARA "LEMBRAR" LEGADO DO PT

JOGO LISTA LEGADO: RECESSÃO, DESEMPREGO, CORRUPÇÃO, PEDALADAS ETC


O PSDB lançou na internet um jogo da memória online para criticar o PT e apontar que a legenda que comandou o País por 13 anos deixou um legado que "faz mal para o Brasil".

De olho em 2018, o partido tucano tem investido em comunicações que reforçam a necessidade de o Brasil "superar" o período de administração petista, reforçando o apoio ao governo de Michel Temer (PMDB) e de olho nas próximas eleições presidenciais.

Em artigo publicado na segunda-feira, 2, o presidente nacional da legenda, senador Aécio Neves (MG), escreveu que o ano de 2017 representa a hipótese "um recomeço" após "a tormenta" da crise que gerou milhões de desempregados.

O game, que recebeu o nome de "Legado do PT - Para Nunca Mais ser Esquecido" foi lançado em uma página temática dentro do site do PSDB. Ao acessar, o internauta se depara com uma imagem dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e com oito peças para encontrar as imagens em comum.

Na abertura do site, o PSDB apresenta o jogo afirmando que "o governo petista foi marcado por escândalos de corrupção e incompetência". As imagens que compõe o jogo são acompanhadas com textos que apontam rombo R$ 300 bilhões nas contas públicas, caos na saúde, segurança e educação, 12 milhões de desempregados cinco mil obras paradas em todo o País, além de outros "legados".

Ao completar o jogo da memória, o PSDB parabeniza o jogador e diz que "o que está em jogo é o futuro do País", afirmando que o Partido dos Trabalhadores causou um mal que não pode ser esquecido. "Agora que você já reforçou a sua memória, compartilhe o jogo com seus amigos. Quanto mais gente jogar, mais gente vai lembrar!", finaliza o texto. (AE)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

CHEGA AO FIM REINADO DO PT NA FIOCRUZ

ESCOLHA DE NOVA PRESIDENTE ACABA APARELHAMENTO DE 16 ANOS


A nomeação da nova presidente da Fiocruz, a médica Tânia Araújo-Jorge, pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, desfez o feudo petista que já durava 16 anos no órgão. Tânia foi escolhida em detrimento de Nísia Trindade, outra integrante da lista tríplice, que, ligada ao PT, tinha apoio de Paulo Gadelha, atual presidente. Gadelha dava a escolha da protegida como favas contadas e a chiadeira com a derrota foi grande. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Ao contrário do que alegam petistas, Tânia não era segunda colocada. Os integrantes de listas tríplices concorrem em igualdade de condições.

Depois de 16 anos, vários petistas perderão boquinhas, entre eles o ex-governador do DF Agnelo Queiroz, que é chefe no escritório de Brasília

Entre a abertura do impeachment de Dilma pela Câmara e a cassação definitiva no Senado, foram dezenas de petistas realocados na Fiocruz.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

A MELHOR CERVEJA DO MUNDO

Resultado de imagem para lula cerveja itaipava, estadao

O Antagonista (Brasil)

Lula ganhou quase um milhão de reais para fazer propaganda da cerveja Itaipava.

O Estadão publicou um e-mail do dono da empresa a Paulo Okamotto, em que ele manda Lula elogiar a cerveja.

Lula obedeceu.

Durante uma palestra na Bahia, ele disse:

"Eu duvido que tenha no mundo uma cerveja melhor do que a Itaipava."

A cervejaria Itaipava era usada pela Odebrecht para pagar propinas no Brasil. Para Lula, não tem no mundo uma empreiteira melhor do que a Odebrecht.