sábado, 18 de dezembro de 2021

O ÓDIO CONTRA A PERSONALIDADE DO ANO ALIMENTA OS RESSENTIDOS


Que pena que ainda há muitos poderosos incutindo tanto ódio no coração dos brasileiros, que acabam se tornando vermes aduladores e rastejantes de certo tipo de formadores de opinião que são capazes de tudo para satisfazer seus inter$$es:

REMORSOS

por José Maurício de Barcellos

Um ressentido petista de quatro costados encaminhou-me a fotomontagem de uma capa da Revista Time, trazendo o retrato do Presidente do Brasil com uma caricata expressão de parvo, encimada por uma legenda posta em um inglês ruim, “Idiot of the de year” (Idiota do ano).

A charge que circula pelo território livre da rede mundial de computadores, apenas objetiva enxovalhar a imagem e afrontar a boa reputação de um homem que desponta, dentro e fora do seu País, como o maior líder popular visto pelas últimas gerações e faz alusão à escancarada fraude perpetrada na tradicional eleição para personalidade do ano promovida pela tal revista, em que se trocou a autêntica vontade popular, manifestada pelo mundo a fora, por uma subserviência “globalista” ou talvez, quem sabe, por um punhado de dólares.

Fiquei com pena dos dois. Do pobre diabo porque assim confessa seu elevado nível de “impatriotismo explícito” e admite uma degradação moral que lhe permite trair a Pátria em que nasceu, ao se agachar quando o gringo a vilipendia.

Da conhecida revista, que outrora foi considerada um ícone da imprensa livre, tenho pena porque desceu ao ponto de ultrajar a vontade de fiéis leitores, ao trocar os milhões de votos livres e independentes que indicaram o capitão como a “Personalidade do Ano”, pela mercenária escolha vinda de meia dúzia de seus editores, que recaiu na contestada figura de um industrial bilionário, tido como showman e cafajeste, cujas empresas são acusadas de exploração e assédio sexual de funcionários.

Pergunto a mim e ao caro leitor igualmente. Que sentimento é este que tanto atazana e maltrata pessoas de uma boa situação social e com alguma formação intelectual, que as leva a proceder assim? Pergunto-me, também, por que no tempo do domínio dos “comunofascistas” no Brasil, pouco ou quase nada se via de manifestações tão ignominiosas como estas de agora?

Não encontro a resposta na questão ideológica, pelo menos não somente nesta. Em nossa sociedade a análise do problema não se resume à simplória divisão entre esquerda e direita ou entre os conservadores e os nominados enganosamente de progressistas, pois a esquerda é mais ladra e incompetente do que qualquer coisa e a direita, em verdade, é tão omissa e desidiosa que nem conseguiu ainda se organizar definitivamente.

Não vou me perder em análises sociológicas até porque estas não estão na minha seara e, também, igualmente, porque para nossa gente em geral aquelas nada acrescentam, por isso que o povão pouco se lixa para os intelectuais da impostura e suas furadas teorias “uspinianas”. Falo como o homem comum e com estes é que me importo convicto de que, neste País, a elite é mil vezes pior do que o povo ou ainda de que quando o povão se rebela é quem de fato decide.

Senão, vejamos. Quem em 2018 botou para correr a classe política abjeta e trouxe a “Nova Ordem Brasileira” foi o povão, sozinho e contra todo o establishment corrupto e venal. A elite política restou literalmente nocauteada ou acabou correndo, de um lado para o outro, como “barata tonta”. Isto mesmo, como nojentos insetos que realmente o são.

Quem, mal ou bem, vem sustentando o presidente eleito e sua equipe no poder é a grande massa popular. Não fosse o povo nas ruas nas horas certas; não fossem as descomunais manifestações de apoio que o capitão recebe pelo Brasil inteiro, a canalha vermelha aliada às sanguessugas da Nação Brasileira, teria enviado para o ralo a esperança de nos livrarmos, em definitivo, das quadrilhas de FHC a Temer. Disto os patriotas não podem olvidar.

Aqueles porcarias não desistem nunca, pois insultando este governo, escondem o remorso que os corrói. Percebam o que digo. Recentemente li que o deformador de opinião da “Goebbels”, Merval Pereira – o tal das maracutaias junto ao SENAC-RJ e da cadeira na Academia arranjada pelos Marinhos da Globo – escreveu com rancor: “Tirar Bolsonaro é a primeira coisa a fazer”. Ah, coitado!

Se dependêssemos do lado podre do STF e do Congresso Nacional, bem como também dos poderosos que ficaram órfãos dos cofres públicos, tal como a velha imprensa e seus vassalos das comunicações, isto é, a chamada elite safada e sem verniz, Bolsonaro estaria fora do poder e todo o sonho destruído.
Comecei falando de traidores. Isto mesmo, falando de reles traidores alimentados pelo despeito e pela inveja, isto é, dos “contras” – gênero que engloba todos quantos estão dispostos a voltar ao poder de alguma maneira para voltar a roubar – e vou continuar falando daqueles que, por exemplo, preferem arriscar ver a caterva vermelha de volta, do que continuar amargando dentro do peito a culpa no sentido de que um dia se deixaram enganar, como tolos, pelo social-comunismo que nos desgraçou.

Compreendo o drama pessoal desses indigentes da Pátria. Um dia foram FHC e, sem dúvida que mancharam suas vidas e trajetórias, sendo coniventes com o covarde propósito de transformar-nos numa república socialista, na qual somente o referido finório, seus filhos e seus sorrateiros tucanos tinham licença para roubar aqui para gastar em Paris.

Foram Lula e aí bem sabem que são culpados e, por vezes, comparsas da bandidagem com a qual o ogro aparelhou toda máquina governamental.

Foram Dilma e então não desconhecem que, moralmente, são responsáveis pelo seu projeto comunista, com o qual a “anta guerrilheira” assaltou os cofres da Nação para implantar o comunismo na América Latina.

Olhe, meu caro patriota, para aquele que diante de seus olhos vai perpassando. Percebam como estão adoecidos de rancor em face da vergonheira para qual concorreram e registrem que são capazes até de lutar por uma terceira via, não porque desconheçam tudo quanto se está fazendo para pôr de pé o Gigante das Américas, mas porque Bolsonaro e seus filhos são os dedos que, todo dia, apontam para seu passado negro e vergonhoso. Deve ser muito duro para aqueles incautos, pelo menos para alguns que ainda têm alguma consciência, saber que um dia traíram a terra em que nasceram.

O povão, que afinal foi vitimado por todos quantos foram escorraçados do Planalto, sem dúvida que estava iludido. Tanto assim é que abraçou este governo e aos milhões foram de graça para as ruas o defender. Entretanto, os poderosos, a esquerda delinquente (da elite em geral) jamais estiveram enganados. A bem dizer foram, partícipes, locupletaram-se e até dividiram seus ganhos pagando um dízimo partidário para sustentar a canalha petista, tucana e peemedebista. Esta é a pura realidade e por isso eles amargam grande rancor dentro do peito.

Nos tempos atuais, o homem de honra e o verdadeiro patriota há que redobrar sua vigilância. Os “contras” são capazes, por causa da doença do remorso que não os deixa em paz, do inimaginável em relação ao Presidente eleito e ao povo, que com ele não vai capitular.

Precisam todos reter que as afrontas e os vilipêndios perpetrados não vão parar por aqui e nem são muita coisa, se comparados com o crime que cometeram contra o Brasil e que nas entranhas vão amargar por longo e longo tempo, pois como advertiu o grande dramaturgo e estadista francês, Vitor Hugo a “Miseráveis” como eles, “Quanto maior o crime, maior o tempo consumido pelo remorso”.

Dos mandarins que infestam as cortes superiores deste País aos menores agentes públicos aos quais se deu algum tipo de poder ou de influência, todos – absolutamente todos que estão ligados à esquerda delinquente – por despeito e vindita vão continuar a golpear a Nação Verde e Amarela, porque seus subalternos sentimentos de remorso ainda gritarão aflitos, durante suas vidas inteiras, perante um tribunal em que ninguém pode ter absolvição, como disse o poeta. Vamos lutando.

José Maurício de Barcellos ex-consultor jurídico da CPRM-MME é advogado

domingo, 14 de novembro de 2021

A ECONOMIA A GENTE VÊ DEPOIS, MENOS PARA OS "GLOBAIS"


Foi assim que a tragédia se espalhou em nosso país, além das celebridades que continuaram viajando pelo mundo, não concederam licença remunerada aos seus funcionários domésticos, entre outras situações que criticavam nos outros enquanto praticavam...ou pior, condenaram quem não poderia sobreviver sem trabalhar.

Não podemos esquecer a orientação daquele doutor famoso, a de que a doença era só um resfriadinho. Valia qualquer bravata para garantir o faturamento com o carnaval.

domingo, 26 de setembro de 2021

XADREZ GLOBAL PRECISA SER FREADO NO BRASIL

O vídeo abaixo é antigo, foi publicado há cerca de uma ano, mas o jogo continua avançando.
 
A onda que se soma aos efeitos da pandemia é a crítica ao aumento do custo de vida. O pessoal que vivia em estado de êxtase com a quarentena gourmet esquece que sua recomendação era a de que a economia "a gente vê depois, fechando os olhos para o desespero de quem ficou proibido de prover o seu sustento.

Os números estão aí, os preços disparando e os culpados atirando pedras sem assumir suas responsabilidades.

Quanto ao vídeo, cada vez mais peças estão sendo derrubadas no tabuleiro, como é o caso do setor elétrico que há anos vem sendo entregue às peças mais poderosas do jogo atual por meio de aquisição de ações das empresas e de usinas. O resultado não está sendo catastrófico apenas na conta de luz, mas também para funcionários, aposentados e pensionistas.
 
O modelo que está sendo implantado avança a passos largos. Enganam-se os arrogantes que pensam que irão se safar.


quarta-feira, 4 de agosto de 2021

A CASA CAIU PARA BARROSO&CIA.


A entrevista que o presidente Bolsonaro concedeu ao vivo ao programa Os Pingos nos Is - Jovem Pan realmente foi bombástica. Ao lado do deputado Felipe Barros, o presidente Jair Bolsonaro leu o relatório da Polícia Federal no qual o próprio TSE admitiu a invasão de hacker nas eleições de 2018 durante mais de 6 meses, acessando códigos-fonte das urnas, como também relatou que as logs (histórico) da movimentação foram apagadas pelo próprio TSE.

Segundo Felipe Barros, o ataque aconteceu em 2018 e o hacker utilizou a senha de empresa terceirizada para alcançar outras senhas administrativas, acabando por ter acesso ao coração do sistema, com o código-fonte das urnas.

Barros afirmou que o próprio TSE reconheceu o ataque em ofício enviado ao delegado da Polícia Federal que investigou o ataque. Em tese, o acesso ao código-fonte poderia gerar alterações nos sistemas de votação.

Em suas contas nas mídias sociais, o presidente publicou os links para que o leitor possa ter acesso aos documentos citados na entrevista.

Confiram AQUI os documentos que comprovam, segundo o próprio TSE, que o sistema eleitoral brasileiro foi invadido e, portanto, é violável. 
No vídeo abaixo, a entrevista:



CASTIGO OU LEI DA ATRAÇÃO?

Quando uma corja de corruptos se torna referência de honestidade, pode apagar a luz que o país já virou trevas


Períodos de tragédias costumam vir acompanhados de relatos relacionados a perversões morais e a massificação da maldade.

É compreensível o fato de opositores de governantes que não são reféns de certa agenda promíscua e delinquente, como é o caso de Bolsonaro, espumarem de ódio por terem perdido o discurso demagogo de salvadores da humanidade e a facilidade de impor suas pautas, que vinham transformando a sociedade numa massa hegemônica, sem identidade e sem opinião própria.
 
O que é imperdoável são os ataques levianos de autoridades que desrespeitam a independência dos poderes da República e extrapolam em suas ações anticonstitucionais para derrubar o poder que elegeu como alvo.

Imperdoável também é a postura das instituições que seguem o mesmo caminho da leviandade e se comportam como grupos militantes.

O que eu considero mais repugnante, porém, são os ataques virulentos de quem saiu de sua insignificância graças ao presidente, mas virou as costas, deixando Bolsonaro praticamente sozinho no covil de lobos. Só não contavam com uma multidão de anônimos que se mantém firme no propósito de fazer valer a verdadeira essência da DEMOCRACIA, que é o poder exercido pelo povo e não imposto por pretensos iluminados.

Assim como em outros períodos da história, o cidadão comum triunfará sobre as trevas.

segunda-feira, 21 de junho de 2021

AÇÃO E REAÇÃO


Já vimos religiosos que deveriam ser exemplos de santidade estapeando pessoas por motivos tolos.

Conheço críticos de Bolsonaro que mandam qualquer um para aquele lugar se não disser amém às suas vontades.

Estou esperando sentada que apareça algum crítico que realmente exercite a prática do perdão diante de contrariedades. Nem precisa ser o massacre que o presidente sofre há décadas.

E tem mais...a galera vai ao delírio quando alguém solta por nós os gritos entalados na nossa garganta.

sábado, 19 de junho de 2021

EXPLORAÇÃO POLÍTICA DE MEIO MILHÃO DE MORTOS


O mundo acompanha a dor do luto sofrida por uma multidão de anônimos atingidos pela praga do coronavírus.

Desde que tudo começou, os noticiários mostram, diariamente, o sofrimento humano provocado pela pandemia da covid-19. No Brasil, talvez um pouco mais tarde do que deveria, porque certos poderosos da mídia propagavam que era só um resfriadinho para faturar com o carnaval.

Neste contexto de corações tomados pela dor, é urgente que cada pessoa busque ser presença solidária, compartilhando palavras que devolvam a esperança. Trata-se de cumprir missão consoladora para levar luz aos momentos de luto e aliviar a dor dos que ficam.

Eu não tenho facilidade para fazer isso, por esse motivo consigo compreender quem também não tem habilidade para consolar. Admiro quem sabe fazer bom uso das palavras, desde que não seja o discurso fácil e falso dos políticos, nem de quem quer que seja que faça isso com algum interesse. O que considero totalmente impróprio, porém, é batucada nas ruas e exploração de uma dor tão profunda para lançar candidatura política.

Espero que as pessoas tenham discernimento para identificar o que são ações consistentes que valem mais do que palavras e o que é apenas um espetáculo deprimente de ilusionismo macabro.

Lamentável ver tanta gente insensível explorando a tragédia para lançar a candidatura do chefe de quadrilha.