segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

LULA PODE TER NATAL EM FAMÍLIA - LULECO PODE SER PRESO A QUALQUER MOMENTO



A casa caiu!

Segundo a Folha de S. Paulo, Marcelo Odebrecht entregou à Lava Jato mais e-mails que comprometem Luleco.

Lula pediu a Alexandrino Alencar que ajudasse o seu filho Luís Cláudio a começar a sua carreira como empresário esportivo.

Antonio Palocci deixou claro que o dinheiro repassado pelo lobista Mauro Marcondes a Luis Cláudio Lula da Silva teve origem em pagamento pela aprovação da Medida Provisória que beneficiou as montadoras Caoa e Mitsubishi.

Luleco foi a Palocci pedir de dois a três milhões de reais para a TouchDown, então Lula disse a Palocci para não se envolver, pois ele já estava resolvendo o problema com Mauro Marcondes, seu amigo desde os tempos de sindicalismo.

Era dinheiro de propina.

PT DESCARTADO ATÉ PELA OPOSIÇÃO

Vou arriscar um comentário sobre publicação de Roberto Freire nas mídias sociais e espero estar certa na minha convicção, sempre otimista, de que teremos uma oposição responsável que não será um estorvo, como costuma ser o PT e seus puxadinhos. Ser oposição, numa democracia, deve ser exatamente assim, contribuir para aprovar o que for bom para o país e exercer, sem armação nem jogo sujo, seu papel de fiscalizar e denunciar se porventura algo sair dos trilhos.

Percebo, na postagem, também um alerta, o de que teremos de volta o PT à moda antiga, sempre apostando no atraso e no quanto pior, melhor. Quanto a isso, não tenho dúvida, porque petista não tem escrúpulo nem vergonha na cara.

Roberto Freire transcreve o que FHC escreveu quando era governo e espero que seja tão sensato quanto Freire agora na oposição, assim como foram sensatos quando faziam oposição ao governo petista. O último parágrafo com as considerações de Roberto Freire explica meu otimismo:
*
Recebi de um amigo e camarada do velho PCB um artigo da Coluna do Globo do saudoso jornalista e político Marcio Moreira Alves com uma entrevista do então Presidente FHC. Lá pelas tantas - e isso é o que me faz lembra por aqui tal artigo - FHC ao analisar algumas dificuldades do seu governo diz e eu transcrevo: 

" Uma das dificuldades que temos é a recusa total das esquerdas a considerar como passível de negociações no Congresso toda e qualquer iniciativa do governo. É como se não tivessem propostas para o futuro e por isso se agarram ao presente querendo manter como está e votando da maneira mais conservadora possível.
A única exceção é o PPS que se recusa a ser conservador. Faz propostas adiante das que o Governo apresenta e,por vezes essas propostas podem ser aceitas. Roberto Freire tem cumprido esse papel no Senado e o Sérgio Arouca faz a mesma coisa na Câmara, enfrentando patrulhamentos com grande desassombro."

Para nós do PPS fica demonstrado que ser uma esquerda progressista e contemporânea do futuro é coisa antiga. Também fazer oposição responsável para com o país vem de longe e de outros governos. Por fim infelizmente o quadro de reacionarismo e conservadorismo das esquerdas hegemonizadas no país pelo PT ali já demonstrado só se agravou e com um componente ainda pior o desmantelo da corrupção.

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

PEDALADAS DE DILMA: "HÁ ALGO ERRADO", DIZ JUIZ

O juiz Francisco Codevila foi obrigado a arquivar a investigação criminal contra Dilma Rousseff e Luciano Coutinho no caso das pedaladas fiscais. O que levou o juiz a arquivar o caso está na lei, mas não deixa de ser uma aberração o fato do mesmo crime que levou à cassação do mandato da presidente, simplesmente "deixar de existir" porque prescreveu.

Na decisão, porém, ele deixou clara sua insatisfação com a “flagrante incongruência do sistema legal”.

“Dilma Vana Rousseff, em juízo político, foi condenada à perda do cargo de Presidente da República por ‘ordenar ou autorizar, em desacordo com a lei, a realização de operação de crédito com qualquer um dos demais entes da Federação’ (…). Esta mesma conduta é prevista como crime comum, e a pena máxima é de 2 anos (…) Ou seja, o mesmo ato pode levar a Presidente da República a perder o cargo, no juízo político, e a pagar uma cesta básica, no juízo comum. Evidentemente, há algo errado!”

NÃO TEM DELAÇÃO SEM CITAR O CHEFE

A mais recente delação de Antônio Palocci cita novamente Lula e Dilma. A TV Globo apresentou com detalhes o novo acordo de Palocci com a PF, homologado por Edson Fachin:

“Foram 23 depoimentos que retratam a atuação de uma suposta organização criminosa no governo federal e também crimes envolvendo o sistema financeiro nacional.

O ex-ministro dos governos petistas também deu informações sobre a atuação supostamente criminosa dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff em fundos de pensão.

Fachin já determinou a abertura de novos inquéritos com base na delação de Palocci.”

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

MAIS UMA DENÚNCIA CONTRA LULA, NUNCA SAIRÁ DA CADEIA

Lava Jato São Paulo denuncia Lula por lavagem de R$ 1 milhão em negócio na Guiné Equatorial

Ministério Público Federal aponta que ex-presidente intermediou negócios de empresa brasileira no país africano e recebeu pagamento disfarçado de doação para o Instituto Lula; esta é a primeira acusação formal da força-tarefa da operação em SP

Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt , Estadão


A força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo denunciou o ex-presidente Lula por lavagem de dinheiro. A acusação formal levada à Justiça Federal aponta que, ‘usufruindo de seu prestígio internacional, Lula influiu em decisões do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, que resultaram na ampliação dos negócios do grupo brasileiro ARG no país africano’. Segundo a Procuradoria da República, em troca, o ex-presidente recebeu R$ 1 milhão dissimulados na forma de uma doação da empresa ao Instituto Lula.   

A reportagem está tentando contato com todos os citados. O espaço está aberto para manifestação.

Para o Ministério Público Federal, não se trata de doação, mas de pagamento de vantagem a Lula em virtude do ex-presidente do Brasil ter influenciado o presidente de outro país no exercício de sua função. Como a doação feita pela ARG seria um pagamento, o registro do valor como uma doação é ideologicamente falso e trata-se apenas de uma dissimulação da origem do dinheiro ilícito, e, portanto, configura crime de lavagem de dinheiro.
(...) 

Quem é Teodoro Obiang

Teodoro é pai do vice-presidente da Guiné-Equatorial, Teodoro Nguema Obiang, o Teodorin, cuja comitiva foi retida no dia 14 de setembro no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). O grupo de Teodorin estava na posse de US$ 16 milhões em dinheiro vivo e relógios de luxo. A Polícia Federal e a Procuradoria da República investigam o destino que Teodorin planejava dar à fortuna.

Em outubro, a PF realizou buscas no monumental apartamento triplex de 1 mil metros quadrados, no Condomínio L’Essence, avaliado em R$ 70 milhões, localizado à Rua Hadock Lobo, 1725, nos Jardins, em São Paulo, cuja propriedade é atribuída a Teodorin.

Matéria completa AQUI.


"IDEOLOGIAS SE INTERESSAM PELAS IDEIAS, NÃO PELAS PESSOAS"

Fernando Gabeira faz uma análise acertada sobre os programa Mais Médicos e indica o que é necessário para que um profissional de saúde cuide bem das pessoas. Gabeira deixa bem claro que, para isso, é importante deixar de lado a pregação ideológica, que visa apenas ocupar espaços para cooptar adeptos às ideias de seus líderes.

Uma dessas necessidades é justamente a de conhecer os rincões brasileiros e conhecer a realidade de quem vive lá, sem a influência dos conceitos estabelecidos por quem não se importa com suas carências, mas sim se aproveita dessas carências para que se tornem seguidores de suas teses.

A seguir, sua coluna em O Globo:

"Organizações humanitárias mostram que estar ao lado dos mais fracos não é, unicamente, consequência da visão socialista.

Os cubanos foram embora. O Programa Mais Médicos não existe mais, tal como foi criado no governo Dilma. Sou otimista quanto ao futuro do programa. Talvez possa ser feito de uma forma melhor.

Breve, a discussão ideológica ficará para trás, e então poderemos nos concentrar no que realmente interessa: a saúde de milhões de brasileiros.

A grande oportunidade que está diante de nós é a ida de milhares de jovens médicos brasileiros para o interior. As condições salariais são atraentes. O dinheiro ficaria no Brasil. Mas não é esse o principal ganho. O encontro de milhares de jovens da classe média urbana com os rincões do Brasil pode representar para eles um grande aprendizado.

Já houve grandes momentos históricos em que esse encontro se deu. Na Rússia, no século XIX, quando milhares de estudantes foram compartilhar o cotidiano dos camponeses. Havia muito romantismo, ideias revolucionárias, uma visão idealizada dos pobres do campo. Embora o resultado tenha sido revoluções esmagadas, foi um período rico para a própria cultura russa.

Aqui, no Brasil, as idealizações não são as mesmas. Minha impressão é que os brasileiros vão encontrar no interior surpresas positivas sobre as pessoas que vivem lá. Os russos se decepcionaram porque esperavam ver nos camponeses um reflexo de suas fantasias urbanas.

A ida dos médicos brasileiros teria o mesmo valor pedagógico que a carreira oferece aos militares: percorrer diferentes pontos do país, sentir a diversidade, acreditar mais ainda no potencial do Brasil.

Não há contraindicação ideológica. Ouso dizer mesmo para uma juventude de esquerda dos grandes centros: o choque cultural seria benéfico. Certamente, sairia mais realista.

Meu primeiro trabalho na TV, creio em 2014, foi sobre uma cidade do Maranhão chamada Buriti Bravo. Já era uma aproximação com o Programa Mais Médicos. Uma visita às cidades mais desamparadas, no Maranhão e no Amapá.

Semana passada, procurei algumas pessoas como o escritor Antonio Lino, que fez uma dezena de viagens para escrever sobre o Mais Médicos. E também o sanitarista Hermano Castro, da Fiocruz.

Minhas primeiras conclusões: o programa é essencial para as cidades cobertas; ele pode ser feito majoritariamente por brasileiros, o que não significa que alguns estrangeiros não possam participar, dentro das regras do jogo. Constatei também que o gargalo é a formação desse tipo de médico. Isto estava previsto no programa de Dilma, mas não foi bem desenvolvido.

É preciso ser realista. Apesar dos salários, ainda é muito difícil fixar um jovem médico no interior. A realidade me leva de novo ao mundo das ideias.

A única maneira de atenuar realmente o problema é uma valorização simbólica desse tipo de trabalho. Transmitir um pouco, por exemplo, a chama que ilumina um grupo como o Médicos Sem Fronteiras, que leva ajuda a pessoas em grandes dificuldades. No caso, o governo comprar essa ideia talvez não ajude tanto quanto se fosse aceita pelo mundo cultural. Não proponho heróis positivos, são pessoas de carne e osso que merecem um reconhecimento maior.

Tanto os cubanos quanto a esquerda encaram esse trabalho como o produto de uma visão socialista, e desafiamos a verem na medicina um mercado, e não adotarem suas teses.

Esquecem que a exportação de serviços médicos é um importante item no comércio exterior cubano. É um negócio de Estado. Não só o Médicos Sem Fronteiras, mas inúmeras organizações humanitárias no mundo demonstram que essa presença ao lado dos mais fracos não é, unicamente, uma consequência da visão socialista.

Para completar a semana, ouvi uma conferência do ministro alemão Cristoph Bundscherer num painel sobre indústria 4.0. Paradoxalmente, ele falava de um futuro tecnológico com diagnósticos à distância, portanto, com menos médicos.

Se combinarmos a formação dos novos médicos com uma abertura para o mundo tecnológico, é possível atenuar esse grande problema brasileiro.

No momento, temos um pepino. No futuro, talvez nos lembremos da passagem dos cubanos apenas como um doloroso aprendizado. É raro um contrato ser rompido assim, numa área tão sensível, sem que tenhamos salvaguardas. Isso faz parte do legado. Ideologias se interessam pelas ideias, não pelas pessoas."

DISCOS VOADORES ATÉ PODEM EXISTIR; MARXISTAS INTELECTUALMENTE HONESTOS, NÃO

Ernesto Araújo, futuro ministro das Relações Exteriores, ironizou no seu blog os críticos às suas matérias às quais questiona a possibilidade da existência de discos voadores. Ele costuma dá a entender que não acredita, mas também não duvida nem desfaz de quem crê.

“Se eu fizer uma referência à história da cigarra e da formiga, amanhã algum jornal dirá que eu acredito em insetos falantes.”


E vai além em suas considerações sobre "ficção". Araújo acha a existência de marxistas intelectualmente honestos menos plausível do que a de seres extraterrestres:

“A existência de um marxista intelectualmente honesto não é plausível, pois há uma contradição intrínseca entre a disciplina intelectual marxista, que nasce na mentira e obriga seus praticantes a mentir inclusive a si mesmos o tempo todo, e a honestidade intelectual.”