segunda-feira, 11 de junho de 2018

O POVÃO AMADURECEU, A ELITE AINDA NÃO SABE



Certo partido, ou seria uma organização criminosa pela quantidade de membros do alto escalão que foram condenados à prisão ou ainda estão sendo investigados, cogitou apresentar um holograma no lançamento de pré-candidatura do chefe da quadrilha. Desistiram, mas faria sentido, pois o dito cujo, considerando seu apelido, é apenas um personagem de ficção, uma página infeliz e infantil de nossa história. O ser de carne, osso e alma do capeta está em cana pagando por seus crimes muito reais.

Enquanto isso, conta-se nos dedos a quantidade de jornalistas que representam uma luz na escuridão do jornalismo encastelado nos estúdios e nas redações. Até mesmo nas redes sociais me deparo com a mediocridade de jornalistas que bloqueiam possíveis fontes simplesmente porque não concordam com sua opinião. 

Para citar um nome que merece respeito, deixo link de um texto publicado na revista Veja, do jornalista J.R. Guzzo, muito pertinente num momento em que a imprensa foge dos fatos. Aliás, isso vem acontecendo desde que se tornou refém da pauta esquerdista. 

Mais importante, porém, que o conteúdo da matéria é o que seus leitores estão comentando sobre o texto. Tratam-se de colocações que confirmam minha modesta opinião sobre o que está acontecendo na corrida eleitoral e que atribuo à reviravolta na preferência dos eleitores. 

A insistência dos esquerdistas em arrastar as correntes do ódio e do eterno desejo de vingança contra os militares resultou numa guinada a alguns valores do que chamam de “direita”, como o respeito aos direitos individuais e a valorização de quem produz. 

Os jovens estão revolucionando e aderindo a um movimento até então execrado pelos ditos formadores de opinião. A moçada resolveu pesquisar e descobriu que o cidadão comum, antes das mudanças dos costumes que, por coincidência ou não, acompanharam a chegada dos partidos de esquerda ao poder, conseguia andar nas ruas sem medo de bandido, as escolas públicas eram de qualidade, as pessoas mais humildes conseguiam comprar sua casa própria, entre outras coisas que se perderam. 

Esses são os relatos de pessoas simples que não viam razão para querer que o Brasil se tornasse uma colônia da União Soviética, como aconteceu com Cuba, isso também fez parte da minha realidade. 

Se, ao invés de viverem presos no passado, as lideranças da esquerda tivessem direcionado o foco de seus discursos no que realmente atende às necessidades de quem paga impostos, não teriam despertado certo passado que já deveria estar enterrado. A pauta “conservadora” da esquerda manteve o passado tão vivo que teima em não enterrar defuntos, enquanto isso a nossa juventude quer mudanças e o resgate da esperança no futuro.

O que os militares têm com isso? As Forças Armadas vêm agindo para evitar uma sucessão de conflitos, o povão sabe disso, não é à toa que se trata da única instituição na qual o povo ainda deposita alguma confiança.

domingo, 10 de junho de 2018

EM QUEM OS BRASILEIROS MAIS CONFIAM?


A instituição em que os brasileiros mais confiam continua sendo as Forças Armadas, como mostra pesquisa Datafolha. A aprovação chega a 78% entre os que confiam pouco ou muito.

O percentual de entrevistados que diz confiar muito nos militares é de 37%. Outros 41% confiam pouco nas Forças Armadas e 20% não confiam.

Entre os índices mais baixos de credibilidade, estão o dos partidos políticos (68% não confiam) e o do Congresso (67%).

PARALISAÇÃO "SEM PARAR"



O TST determinou que pelo menos 75% dos funcionários da Eletrobras deverão trabalhar caso aconteça a paralisação de 72 horas que está prevista para começar amanhã.

A determinação é do ministro Maurício Godinho Delgado que, por considerar o serviço essencial, acredita que o percentual mínimo de trabalhadores em atividade deve ser respeitado.

Caso a decisão do ministro seja descumprida, os sindicatos que representam a categoria pagarão multa de R$ 100 mil por dia.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

OS PETISTAS SÃO INCORRIGÍVEIS

Minha Casa, Minha Ditadura

O Antagonista

A petista Ermínia Maricato, que trabalhou para o Ministério das Cidades de Lula, em cargo comissionado, detonou o Minha Casa, Minha Vida, dizendo para a BBC que o programa piorou as cidades e favoreceu as empreiteiras:

“Tivemos um movimento imenso de obras, mas quem o comandou e definiu onde se localizariam não foi o governo federal, e sim interesses de incorporadores e empreiteiras. Esse investimento gigantesco, aliado a uma especulação de terras ciclópica, tornou as cidades ainda mais inviáveis no Brasil.”

Ela disse também que o Minha Casa, Minha Vida beneficiou o crime organizado e que a culpa foi de Dilma Rousseff:

“O DNA do programa vem da ditadura e das empreiteiras, exatamente como Belo Monte”.

Apesar de tudo, porém, Ermínia Maricato acha que “o PT está sendo perseguido pela Justiça – e que Lula foi preso injustamente”.

Os petistas são incorrigíveis.

sábado, 26 de maio de 2018

BRASIL, FECHADO PRA REFORMA


Quanta ironia! Petistas contra a greve e esquerdistas colocando militar pra agir contra trabalhador. É piada? Não, é Brasil.

Quem diria! Os vermelhos estão há décadas promovendo greves todos os anos, greve dos professores, dos bancários e por aí vai. Que eu saiba nunca deu em nada, os profissionais dessas categorias continuam na mesma m....

Aquele movimento de mortadelas, que iria botar fogo no país se o condenado fosse em cana, virou piada.

A primeira greve dos "direitos", sim, parou o país e está mostrando a verdadeira força de um povo que não se dobra nem se vende.
Por incrível que pareça, a paralisação dos caminhoneiros é um verdadeiro movimento popular (diferente das greves fajutas dos vermelhos), é um movimento consciente que conta com o apoio maciço do trabalhador, esse mesmo que está disposto a uma dose de sacrifício pra mudar o rumo do país. 

Desde os tempos de enganação do PT (incluindo o tal milagre do pré -sal: "cadê?") caminhamos para o mesmo destino que a Venezuela? Óbvio que sim e reconheço que Pedro Parente está trabalhando para recuperar a empresa que os desgovernos petistas quebraram. Entretanto, o fato é que a conta ficou apenas para nós, o cidadão comum, enquanto os encastelados não abriram mão de nenhum centavo de suas benesses. 

O governo quer negociar? Que procure os verdadeiros líderes, pois tentar fazer teatrinho com pelego oportunista já está provado que não funciona. A tendência é acirrar os ânimos porque isso sinaliza que nos consideram um bando de trouxas.

Quanto às opiniões, mais uma vez os brasileiros estão divididos, mas já percebi quem mais está incomodado com a ampla adesão da população ao movimento dos caminhoneiros: a esquerda que nunca conseguiu parar o país, nem com ameaças nem pagando, e a Globo que está preocupada em perder audiência nos jogos da Copa.

Eu fico matutando, o partido que estiver no poder e, propositadamente, realizar maus negócios com o dinheiro público, deveria, no mínimo, perder o direito ao fundo partidário para cobrir uma parte do rombo que causarem. Nem estou entrando na questão da corrupção, falo só dos desastres como o de Pasadena e da refinaria na Bolívia.

Seria uma gota no oceano dos bilhões perdidos, mas sentiriam o peso da responsabilidade.


PRESIDENTE DA PETROBRAS SOB SUSPEITA

O deputado federal Delegado Francischini (PSL) quer convocar o presidente da Petrobras, Pedro Parente, para dar explicações sobre o pagamento adiantado de R$ 2 bilhões feito pela estatal ao banco JP Morgan.

Um reportagem da revista Crusoé mostra que Parente é sócio de José Berenguer, presidente da JP Morgan no Brasil.

Francischini protocolou requerimento de convocação do presidente da Petrobras na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara Federal.

UMA SACUDIDA NO PAÍS DA FANTASIA

Muitas pessoas estão irritadas com o (não) movimento dos caminhoneiros. Talvez porque sejam pessoas simples, alguns certamente por sua preferência pela "direita" (opção que os esquerdistas não toleram), muita gente está sofrendo pra valer, outras não aguentam sofrer privação. Eu lamento que seja assim, mas o fato é que muita gente ainda vive com vendas nos olhos ou apenas vendo as sombras na caverna. 

Eu não me posicionei assim que tudo começou porque preferi observar as reações de um modo geral, mas o que me fez considerar a "greve" um mal necessário é exatamente o que está no texto de Fernando Gabeira.

A greve dos caminhoneiros, segundo Fernando Gabeira, é uma oportunidade para o Brasil:

“Uma paralisação como essa revela claramente que não existe vida própria, blindada contra os descaminhos da elite dirigente. Gasolina, alimentos, água de beber tudo isso invade a existência pessoal com seus vínculos familiares.

A greve foi um momento em que nos sentimos muito sós. Mas abre a chance de nos reunirmos em torno da ideia de um país, uma cultura, enfim, de retomar algum nível de sentimento nacional. Isso passa por uma grande sacudida no país da fantasia.”