sábado, 19 de maio de 2018

FUNDO DO POÇO - RELIGIOSOS DIVULGAM FUNK COM APOLOGIA AO CRIME

É o fim? Talvez. Mas também pode ser um recomeço. Quando pessoas influentes mostram a cara, podemos saber quem faz mal ao país.

Por essas e outras, tenho constatado que muitos internautas decidiram bloquear amigos virtuais nas mídias sociais simplesmente porque não compartilham das mesmas ideias ou porque esses se tornaram potenciais eleitores de políticos que são adversários de seu candidato de preferência.

Eu, na contramão dessa tendência, além de respeitar suas escolhas, prefiro ficar atenta a tudo.

É evidente que existem os radicais, apavorados com a escalada da violência, que estão espalhando pânico e partindo para ataques pessoais contra qualquer cidadão que tenha opiniões divergentes, prática até então exclusiva dos petralhas.

Esses são os que menos me preocupam, pois são vítimas das próprias fraquezas. O perigo está nos tiranos que acreditam ter o monopólio de virtudes como a defesa dos oprimidos, a bondade e a caridade, com o dinheiro alheio, diga-se.

Temos que reconhecer, entretanto, que muita coisa mudou depois que juízes e, por que não admitir, meia dúzia de políticos resolveram assumir o compromisso de combater a corrupção e o crime organizado, nossas mazelas mais profundas e que redundam em outras tantas. Nossas instituições também estão funcionando a contento, pois não foram contaminadas como aconteceu nos países que permitiram o avanço do comunismo. É o caso da Venezuela.

Quanto aos políticos tradicionais, ONGs picaretas e os drogados da Globo, não é novidade que se posicionem ao lado dos bandidos e se mobilizem contra qualquer ação de combate ao crime. O que me espanta é o que eu vejo quando dou uma espiada nas páginas de religiosos, sejam sacerdotes católicos, monges budistas e outras lideranças que costumam pregar a paz enquanto se declaram aliados dos que promovem a guerra. E os fiéis, bobinhos ou coniventes, curtem e compartilham o lixo que esses hipócritas publicam.

Só para exemplificar, deixo registrado o trecho da letra de um funk postado por um desses santos do pau oco:

"Jesus nasceu numa quebrada
Periferia da periferia mesmo
Passou a vida toda defendendo assassino, ladrão, puta, ...."

PROPINA DA TAM PARA GLEISI PODE ESTAR LIGADA A 'FAVOR' ÀS EMPRESAS AÉREAS

Decisão do ministro, marido da senadora, rendeu para empresas

Propina da TAM a Gleisi seria ligada a compra direta de passagens organizada quando o marido, Paulo Bernardo, era ministro do Planejamento

Investigadores ligados à Lava Jato suspeitam que os pagamentos de propina da TAM à senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) podem estar ligados à decisão do governo Dilma Rousseff que favoreceu empresas aéreas. Com a decisão do Ministério do Planejamento, cujo titular era seu marido Paulo Bernardo, o governo federal passou a fazer compra direta de passagens aéreas, dispensando as agências de viagem. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Segundo a Polícia Federal, Gleisi recebeu R$1,3 milhão em propinas. Somente a antiga TAM (hoje Latam) pagou R$ 345 mil.

O governo não economiza com a compra direta de passagens, mas as empresas aéreas economizam comissões às agências de viagem.

Desde a decisão do Planejamento, as empresas aéreas são os únicos fornecedores do governo pagos à vista, usando cartões corporativos.

Além da venda direta e do recebimento à vista, as aéreas nem precisam recolher na fonte o imposto de renda, CSLL e PIS/Cofins.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

ITAMARATY REAGE AOS ARROGANTES DEFENSORES DO EX-PRESIDENTE CONDENADO

Acostumados a combater qualquer tipo de interferência de estrangeiros nas questões nacionais, especialmente quando são atribuídas ao que chamam de "imperialistas", os petistas e seus tentáculos têm vibrado com as "invasões" da tal elite dos países ricos nos últimos dias.

Além da divulgação de um providencial dossiê contra o Regime Militar, um fantasma que teimam em manter desenterrado, outra aberração veio da Europa com as assinaturas de François Hollande, José Luis Rodríguez Zapatero e Massimo D’Alema, três de meia dúzia de ex-chefes de estado, em texto que pede a libertação de Lula, bem como a participação do ex-presidente condenado e, portanto, ficha suja, nas próximas eleições.

Dessa vez, porém, a intromissão indevida não ficou sem resposta.

O que escreveu no seu Twitter o chanceler Aloysio Nunes Ferreira:

- Recebi, com incredulidade, as declarações de ex-chefes de governos europeus que arrogam-se o direito de dar lições sobre o funcionamento do sistema judiciário brasileiro.

Nunes disse que os governos europeus pregaram a “violação do estado de direito” já que “qualquer cidadão brasileiro que tenha sido condenado em órgão colegiado fica inabilitado a disputar eleições”. E ainda questionou: “Fariam isto em seus próprios países?” O ministro das Relações Exteriores classificou ainda o pedido como "gesto preconceituoso, arrogante e anacrônico contra a sociedade brasileira e seu compromisso com a lei e as instituições democráticas".

Leiam na íntegra:

“Recebi, com incredulidade, as declarações de personalidades europeias que, tendo perdido audiência em casa, arrogam-se o direito de dar lições sobre o funcionamento do sistema judiciário brasileiro. Qualquer cidadão brasileiro que tenha sido condenado em órgão colegiado fica inabilitado a disputar eleições. Ao sugerir que seja feita exceção ao ex-presidente Lula, esses senhores pregam a violação do estado de direito. Fariam isto em seus próprios países? Mais do que escamotear a verdade, cometem um gesto preconceituoso, arrogante e anacrônico contra a sociedade brasileira e seu compromisso com a lei e as instituições democráticas.”

domingo, 13 de maio de 2018

SINISTRA PRÁXIS COMUNISTA

Ipojuca Pontes

Os comunistas, para avançar sobre o poder e mantê-lo a ferro e fogo, tornaram-se especialistas em criar mártires e heróis paradigmáticos com o objetivo confesso de lograr as massas. Trata-se, é claro, de uma prática de rotina no universo do agit-prop revolucionário.

Vejamos, por exemplo, o caso de Lenin, o “pai” do socialismo soviético. Foi um assassino impiedoso, assaltante de banco que entregou a Rússia aos alemães, notadamente a Ucrânia, o Báltico e boa parte de Brest-Litóvsk. Lenin não tinha limites nem escrúpulos. Sempre afirmando que “não sabia de nada”, ordenou o massacre dos sete membros de família imperial russa, entre eles, Nicolau, Alexandra e os cinco filhos menores do casal (Os serviçais foram mortos a baionetadas).


Lenin vegeta canonizado como se santo fosse, para o êxtase do fanatismo comunista.

Pois bem, o dito Lenin, que morreu sifilítico segregado pelo “camarada” Stalin; Lenin, o fanático seguidor do “Catecismo Revolucionário” do terrorista Sergei Netchaeiv; o Lenin inventor do ditatorial “centralismo democrático” foi transformado em “herói da humanidade”. Até hoje o seu corpo, embalsamado e exposto num alarmante Mausoléu da Praça Vermelha, em Moscou, vegeta canonizado como se santo fosse, para o êxtase do fanatismo comunista.

No Brasil há o caso de Luiz Carlos Prestes, o mentor das intentonas comunistas (1935 e 1964). Tido como herói no entender da entourage vermelha, LCP passou a perna em Getúlio Vargas e se “apropriou” de uma fortuna para pagar o seu ingresso no Partido Comunista – quantia entregue em Moscou à camarilha do Komintern de Stalin, “cash”.

O fato inquestionável é que o obcecado Prestes, por escrito, mandou trucidar Elza Fernandes, a “Garota”, adolescente tida como “provocadora” pelo fato de ser mulher de “Miranda”, secretário geral do PC à época (1936). Num sítio do subúrbio de Deodoro-RJ, um assecla do Comitê Central, Natividade Gomes, o “Cabeção”, estrangulou a garota com uma corda de varal, quebrou-a pelo meio, enterrando-a, em seguida, à sombra de uma mangueira.

Outro caso de martirização planejada se deu com o camponês João Pedro Teixeira, militante remunerado pelo Partido Comunista com a grana enviada da KGB, via Praga e Havana, para financiar a revolução no Nordeste, da qual as Ligas Camponesas de Sapé, na Paraíba, despontava com o apoio pessoal do então presidente Jango (ver “1964 – Elo Perdido”, de Vladimir Pedrilák, escrito a partir de acesso aos arquivos do serviço secreto comunista).

A especialidade de Pedro Teixeira, enquanto “líder camponês”, era invadir terras e colocar canga nos camponeses que não aderiam ao movimento. Nas mãos da cúpula do PC, João Pedro foi feito fundador da Ligas de Sapé e transformado, para desespero dos proprietários rurais, em ativo “quadro” na ocupação de terras produtivas. Em 1962, foi encontrado morto, segundo se divulga, a mando de latifundiário local. Rendeu até filme.

Sua militância também gerou frutos e boa parte da imprensa tratou de canonizá-lo como mártir da reforma agrária (“na marra”). No início de 1964, os integrantes das Ligas, sempre conduzidos pela cúpula do PC, invadiram, em Mari-PB, uma fazenda da Usina S. João e expulsaram o seu administrador. Ato contínuo, um contador da Usina, Fernando Gouveia, acompanhado de oito homens, foi confrontar os 300 invasores armados de foice e facão. Não deu outra: eclodiu um conflito armado e em pouco tempo o contador e seus homens foram trucidados a golpes de foice. O campo pegou fogo, virou zona de guerra, atraindo até mesmo a gang do New York Times e afins.

Morto, o “quadro” das Ligas de Sapé se fez mito. Recentemente, o nome de João Pedro Teixeira foi inscrito no “Livro de Heróis e Heroínas da Pátria” a partir de projeto do deputado do corrupto PT, Valmir Assunção. (Ali, no entanto, não se diz que JPT era um dos “quadros” do PC no Nordeste remunerado por Moscou para atiçar a revolução no campo).   

Zoofilia, perjúrio, corrupção passiva, lavagem, quadrilha, obstrução... Mas para os petistas, apenas vítima de golpe.

Nesta segunda década do século XXI se processa no Brasil espantoso caso de canonização de um criminoso contumaz. Seu nome: Luiz Inácio Lula da Silva. Não se trata aqui do fenômeno de beatificação nem de “culto à personalidade”, perversão da propaganda política vermelha para exaltação de líderes totalitários. O seu caso é de culto irrestrito só concebível quando da veneração dos que estão inscritos no catálogo dos santos.

Mas a realidade do politiqueiro Lula é bem outra. Como já foi dito, se o leitor abrir o código penal não encontrará dificuldade em enquadrá-lo: encampa zoofilia, adultério, tentativa de estupro, perjúrio, blasfêmia, prevaricação, crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, obstrução da justiça, tráfico de influência, nepotismo – e por aí segue o rol de pecados, transgressões e crimes que associam o santo do PT à própria figura do Demo. Se condenado em parte deles (já o foi em dois) ultrapassará a casa dos 100 anos de cadeia.

Os devotos de Lula não querem saber disso. Para eles, o petista é vítima dos neoliberais que querem o povo na miséria e temem vê-lo, de novo, no Palácio do Planalto para, mais uma vez, num passe de mágica, “salvar o povo brasileiro”. Em resumo, os opositores não passam de canalhas, entreguistas, conspiradores financiados pelos ianques, gente hipócrita que defende a lei da ficha limpa e outras baboseiras.

Enquanto isso, no SPA da Polícia Federal, em Curitiba, São Lula curte tudo numa boa. Não limpa privada, não varre nem troca roupa de cama. Tem aparelho de televisão, esteira rolante, frutas e comida extra, quem sabe água ardente e sala de reunião com mesa e cadeiras, onde recebe diariamente advogados, familiares e amigos, repassando palavras de ordem para desestabilizar a nação que ele próprio jogou no buraco.

(Nem Adolfo Hitler, engaiolado numa prisão de Landsberg depois do fracassado “putsch” da cervejaria (em München) teve tanta mordomia. De seu, só conseguiu lápis e papel para escrever “Mein Kampf” – tarefa impossível para analfabetos).

Até.

O VERDE DE VERDADE

Por J.R. Guzzo

Agricultura irrigada no Rio Grande do Norte (Renato de Sousa/VEJA)

Publicado na edição impressa da Exame

Qualquer pessoa razoavelmente bem informada sobre as realidades da terra no Brasil sabe muito bem, e há muito tempo, que poucas coisas são tão estúpidas no imaginário mundial quanto a crença de que a agricultura e a pecuária brasileira “destroem” a natureza. Na verdade, quando mais bem instruída é a cabeça, mais espessa é sua ignorância sobre o assunto – e quanto maior a ignorância, mais alta é a sua voz e mais escandalizada a sua indignação. O fato, no fim das contas, é que as pessoas razoavelmente bem informadas sobre o agronegócio brasileiro são poucas; no Brasil, então, praticamente não existem fora do ambiente diretamente ligado ao trabalho e à produção no campo. As grandes autoridades nos problemas ecológicos supostamente ligados à agricultura, aqui, são a modelo Gisele Bündchen e similares; quando Gisele abre a boca para falar alguma coisa sobre o tema, o governo treme. A mídia reproduz suas afirmações como uma “denúncia”, sem a mais remota preocupação em saber se aquilo faz algum nexo lógico. Na verdade, qualquer idiota que tiver carteirinha de “artista” e disser que o país está sendo destruído pela soja e pelo frango tem a seu dispor espaço imediato e ilimitado em nossos órgãos de informação. Se disser que a culpa de tudo é “do Temer”, então, é só correr para o abraço.

É natural, assim, que tenha passado praticamente sem registro o último estudo em profundidade da NASA e do USGS, o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que mapeou por satélite, hectare por hectare, as áreas utilizadas para cultivo no mundo inteiro. Ao lado de pesquisadores do Global Food Security Analisys da ONU, a agência espacial e o serviço de geologia dos Estados Unidos revelaram que o Brasil é um dos países mais eficientes do mundo na relação agricultura-natureza – produz muito alimento em pouca terra e, em consequência, consegue preservar áreas extensas de vegetação e ambiente naturais. Os números, mais uma vez, revelam o contrário das crendices: as lavouras ocupam menos de 8% do território do Brasil. A Índia ocupa 60%; os Estados Unidos, onde estão os maiores críticos do agronegócio brasileiro, utilizam 18% de sua terra com a atividade rural, ou mais do que o dobro do Brasil. Da Europa, então, melhor nem falar: “área verde”, ali, é pouco mais que o jardim público e as árvores plantadas para fazer sombra nas ruas. Verde natural, mesmo, é com o Brasil – a vegetação nativa, aqui, cobre mais de 65% do território nacional, ou dois terços de todo o país.

Os dados são resultado de trabalho feito por profissionais, com a utilização da mais avançada tecnologia disponível. Não são palpite de ativistas ecológicos baseados na pura fé, ou na safadeza. Também não são propaganda da “bancada ruralista”. Vão no sentido exatamente contrário ao que pregam os lobbys agrícolas americanos, que gastam milhões de dólares combatendo o agronegócio brasileiro, com o seu lema “fazendas aqui, florestas lá”; têm a colaboração entusiasmada dos “militantes” brasileiros do verde. Para quem trabalha no campo, naturalmente, as informações da NASA não chegam a ser uma surpresa. Batem com os levantamentos mais recentes da Embrapa, com diferenças de 0,2%. Além disso, o agricultor e o pecuarista sabem muito bem, pelo que veem com os seus próprios olhos, sem a ajuda de satélites, qual é a situação real das terras que cultivam. Mas a verdade, nessa questão toda, é o que menos interessa. A “preservação da natureza” virou uma religião, com dogmas que estão acima da discussão racional e que têm de ser obedecidos sem nenhum questionamento. Ou o sujeito acredita, mesmo que não tenha um miligrama de informação sobre o assunto, ou é carimbado como defensor dos “agrotóxicos”, inimigo da alimentação saudável, capitalista selvagem, perseguidor de “camponeses” e cúmplice do “trabalho escravo” – além, é claro, de fascista e eleitor “do Bolsonaro”.

Não perca seu tempo com essa gente.

FICHA LIMPA: TIPOS COMO LULA SERÃO BARRADOS

TSE dá ‘aviso prévio’ ao condenado Lula: ficha suja não se candidata

O ministro Admar Gonzaga questionou se “convém à democracia” homologar candidaturas de corruptos condenados.

Ao discutir a possibilidade de um candidato que não se encaixa nos pré-requisitos da Lei da Ficha Limpa na lista de elegíveis, o ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral questionou, sem citar nomes, se “convém à democracia” homologar condenados até por corrupção e lavagem de dinheiro, “sabidamente inelegíveis”. O ministro, na prática, deu “aviso prévio”: tipos como Lula não serão candidatos.

O ministro Admar Gonzaga manifestou sua posição durante debate em São Paulo sobre os maiores desafios na eleição 2018.

A Lei da Ficha Limpa criou pré-requisitos para pré-candidato em eleições. Um deles é não ter condenações na Justiça.

Quem for condenado em julgamento colegiado, na Justiça ou em órgãos como OAB, fica inelegível. Está na Lei da Ficha Limpa.

Condenado em segunda instância, Lula receberá atestado de “ficha suja”, caso insista em registrar a candidatura na Justiça Eleitoral. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

CADÊ OS ESQUERDISTAS?




Um prédio de mais de 20 andares, em chamas, desabou neste primeiro de maio no centro de São Paulo.

Segundo informações divulgadas nos jornais, o fogo começou por volta das duas da manhã, entre o segundo e o quinto andar, e pelo menos uma pessoa morreu.

O edifício estava ocupado por integrantes do movimento dos sem-teto. Os líderes do movimento conseguiram fugir em seus carros e o comandante das invasões em São Paulo tenta tirar o corpo fora alegando que se trata de outra sigla, não a sua. Entretanto, todos esses outros "movimentos de ocupação" que surgiram depois do MTST tiveram apoio do Boulos.

Portanto, o principal culpado pela tragédia que aconteceu no centro de São Paulo tem nome e sobrenome: GUILHERME BOULOS.

É esse sujeito que engana pessoas humildes, cooptando-as para que ocupem prédios abandonados e sem as mínimas condições de segurança. E ainda por cima, cobra taxas de aluguéis dessas pobres pessoas.

A que ponto chega a crueldade desses canalhas que exploram a miséria alheia para tirar proveito político. Não basta usar pessoas em situação de vulnerabilidade como massa de manobra, ainda tiram dinheiro dos coitados, vendendo o sonho de um de apartamento sem filas.

Apenas nesse prédio com 150 famílias, podemos calcular quanto desembolsam ao cobrar R$ 400,00 ao mês. Multiplicando esse valor aos 150 pagantes, chegamos à cifra de R$ 60.000,00. São R$ 720.000,00 ao ano tirados do bolso dos pobres para bancar seus luxos.

Passei o dia aguardando que algum deles fosse ao local do incêndio prestar solidariedade ou para oferecer algum tipo de ajuda. Não vi nenhuma notícia sobre isso.

Por isso eu pergunto, cadê Boulos, Suplicy, Haddad ou qualquer outro esquerdista?

É assim que funciona o socialismo idealizado por PT&Cia. Uma casta superior decide tudo, o que as pessoas devem fazer, falar ou até mesmo o que devem pensar. As massas sem identidade, pois os esquerdopatas repudiam o indivíduo e só falam nos coletivos, são usadas a seu serviço e pouco se importam se algumas "peças" são descartadas.

Leiam bastante sobre as condições de vida das criaturas que se tornam reféns do partido, a exemplo do que ocorre em Cuba e na Venezuela, e verão que nesses grupos (MST, MTST e outros) já funciona um modelo paralelo de socialismo em nosso país.

O prédio que pegou fogo e desabou em São Paulo sintetiza o Brasil: somos um país caindo aos pedaços, com um monte de inocentes úteis manipulados pela esquerda e totalmente invisível aos olhos de quem vende a imagem de defensor dos pobres, mas está provado que é só no discurso.