quarta-feira, 18 de julho de 2018

OS SETE A ZERO .... DA CROÁCIA



A carismática presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, foi a sensação da Copa do Mundo na Rússia. Fã de futebol, a presidente croata acompanhou a maior parte dos jogos de sua seleção no estádio. As passagens de avião foram pagas por ela, que pegou voos comerciais. E os dias de férias foram devidamente descontados da folha de pagamento.

Kolinda, de 50 anos, vestiu a camisa e assistiu várias partidas da arquibancada, sem as pompas de uma chefe de Estado, já que não tinha viajado a trabalho. 

A admiração por Kolinda, porém, certamente vai além das questões éticas. 

Certa vez, participei de uma dinâmica de grupo, num trabalho realizado por uma psicóloga em uma associação da qual eu faço parte, e um dos questionamentos que caiu para que eu desenvolvesse um raciocínio foi sobre a importância do PODER. Se eu tivesse a preocupação de me posicionar de uma forma politicamente correta, certamente daria uma de humilde e falaria horrores sobre isso. 

Nunca experimentei nenhuma forma de poder, mas considero importante que essa característica faça parte das pessoas que pretendem fazer o bem, porque a maioria dos poderosos que se tem notícia não medem esforços para se aproveitar dessa condição e explorar quem não tem poder a fim de se locupletar.

Nesse contexto, a presidente da Croácia não é a feminista empoderada, como estão rotulando os esquerdistas, porque empoderada subentende-se depender de outros para conquistar espaços.

Kolinda é, na verdade, PODEROSA, porque tem brilho próprio. Foi notada, não é um personagem, efeito de propaganda como acontece com certas figuras medíocres que conhecemos.

Parabéns à Croácia pela garra e por sua Presidente Kolinda. Mulher conservadora, católica, anti comunista, linda e querida por seu povo.


GLEISI MENTE DESCARADAMENTE

O Antagonista

Gleisi Hoffmann, que só fala quando tem certeza, correu ao Twitter para comemorar a decisão de Rosa Weber e escreveu “Justiça diz que Lula pode se candidatar”.

Não foi isso que a Justiça disse. Como publicamos, a vice-presidente do TSE não analisou o mérito da ação –avaliou apenas que neste momento, como a candidatura do condenado não foi registrada, ela ainda não pode ser impugnada.

Infelizmente para o PT, mas felizmente para o Brasil, a Lei da Ficha Limpa continua em vigor.

terça-feira, 10 de julho de 2018

O SILÊNCIO INDECENTE E CÚMPLICE



A OAB, timidamente, manifestou sua posição sobre a tentativa de golpe de domingo, quando a orquestra afinada da esquerda contava com a Pátria distraída com os jogos da Copa e as férias do juiz Moro para soltar o bandido condenado, o ex-presidente Luis Inácio. A nota beira o ridículo e as duas Casas Legislativas esboçaram apenas reações isoladas pois é parte envolvida.

O silêncio é indecente e cúmplice, com raras exceções e faltando citar instituições importantes como a CNBB, sempre contundente contra adversários do PT.

As instituições estão contaminadas, incluindo a imprensa, as igrejas, as escolas, tudo o que foi envenenado pelos sindicatos, associações e partidos de esquerda. Trata-se de infecção generalizada ou metástase do tumorzão enjaulado. 

O antídoto precisa ser aplicado nas pessoas comuns que têm a doença ainda encubada, só assim seremos maioria para tentar evitar que o povo brasileiro se torne escravo de uma elite, como em Cuba e na Coreia do Norte (os venezuelanos ainda lutam bravamente, mas estão quase lá porque demoraram muito para reagir). 

Quanto aos doentes crônicos que fazem parte do aparelhamento e se prestam ao serviço sujo, esses aí são podres de alma e coração, não têm cura. Digo o mesmo sobre os coitados que repetem os mantras enfiados em seus cérebros, só milagre. 

Nosso esforço só tem validade se for para informar quem ainda não está perdido. As pessoas desavisadas não podem receber conteúdos de um lado só, o outro lado precisa firmar posição e mostrar os dados disponíveis, as imagens, os fatos fundamentados e também os argumentos.

Só nos resta ter esperança que a Justiça que ainda funciona os coloque nos seus devidos lugares... na cadeia, os que são bandidos, e no ostracismo, os idólatras irrecuperáveis.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

PT "PAZ E AMOR"

Bretas faz ‘coletânea’ de ameaças a Moro

O Antagonista

Marcelo Bretas publicou em sua conta oficial no Twitter uma espécie de “coletânea” de tuiteiros que publicaram, ontem, que era preciso matar Sergio Moro.

O juiz da Lava Jato no Rio marcou o Twitter do STF em sua publicação.

“A Justiça brasileira não pode ser usada como instrumento de disputas políticas”, escreveu Bretas.

BOLSONARO E A MULHER BÊBADA



Percival Puggina

Sou cauteloso em relação às redes sociais, ou seja, sei que elas compõem um ambiente onde tudo ou quase tudo vale. Nele se torna impositivo, portanto, discernir a boa fonte, a começar pela linguagem, seguindo pela forma, passando pelo conteúdo e pela checagem do fato, quando houver fato envolvido. Convenhamos que isso não é muito diferente do que se deve fazer em relação a tantos veículos e profissionais da mídia tradicional, especialmente quando se trata de juízos e opiniões. É principalmente nesse território, até bem pouco dominado pelos tradicionais meios de comunicação, que se vão encontrar as mais escandalosas manipulações, construídas para induzir o público a se afastar da verdade e do justo discernimento em relação aos fatos.

Nesse sentido, as redes sociais, sites e blogs promoveram importante democratização no direito de opinião, com enormes ganhos à sabedoria e à burrice nacional. Acabou o monopólio do direito de opinião. Quem abastece seu espírito com beleza e sabedoria, sai bem servido. Quem busca mediocridade e grossura, idem. Também isso é democrático.

Ao noticiar o caso da mulher que assediou Jair Bolsonaro no aeroporto de Congonhas, quase todos os jornais que li instilaram sua dose de veneno contra o candidato afirmando que ele “se escondeu no banheiro”, ou que “se refugiou no banheiro” ao ser xingado por uma mulher, ou que “se envolveu numa confusão (segundo alguns relatos) ou numa discussão (segundo outros)”, ou que a tal mulher “chegou a se jogar no chão” (quando, na verdade, caiu de bêbada) e por aí andou a criatividade das distorções. Quem “se envolve” é sujeito ativo do envolvimento. Portanto, o candidato seria sujeito da confusão e não objeto do escarcéu armado por alguém fora de si. Resumo da opereta segundo quase todas as matérias que li: o machista Bolsonaro foi xingado por uma mulher, se envolveu em encrenca e teve que fugir para o banheiro…

O fato, porém, foi inteiramente filmado e o vídeo que a tudo isso desmente está disponível no YouTube. Mostra uma mulher não identificada (mesmo passados tantos dias), num pileque como raramente se vê igual, ou atuando como tal, berrando palavrões na sala de embarque, tentando, durante quase dez minutos, se aproximar do candidato e invadir o banheiro onde Bolsonaro prudente e adequadamente entrou.

O momento atual, no meu modo de ver, é muito prematuro para escolher candidato presidencial. Mas algo está a me dizer que quem suscita tão articulada animosidade entre pessoas intelectualmente desonestas, algum mérito deve ter.

ALEGAÇÃO DA MANOBRA PETISTA PODERIA SOLTAR MARCOLA, FERNANDINHO BEIRA-MAR, ETC.

Para jurista, alegação de Favreto poderia soltar qualquer preso que afirme ser candidato


Todos os criminosos se aproveitariam, alerta o jurista Ophir Cavalcante

Claudio Humberto

O jurista Ophir Cavalcante, ex-presidente nacional da OAB, afirmou ao Diário do Poder, neste domingo (8) que não pode prevalecer a tese do desembargador Rogério Favreto, plantonista do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que soltou Lula, porque, segundo ele, “pode soltar todos os presos”. Ele também lembrou que o caso do ex-presidente Lula não poder ser objeto de apreciação na área penal, por se tratar de matéria eleitoral à qual se aplica a Lei da Ficha Limpa.

Segundo Ophir, que atualmente é Procurador Geral do Estado do Pará, a decisão de Favreto soltando Lula poderia abrir precedente para que tenham direito à liberdade todos os que afirmarem ser pré-candidatos. O desembargador petista soltou Lula alegando que ele pode vir a ser candidato a presidente.

O ex-presidente nacional da OAB afirmou que essa decisão cria condições para que figuras como o ex-deputado Eduardo Cunha e até mesmo o mega-traficante Fernandinho Beira-Mar e outros requeiram a soltura.

PROCURADORES QUEREM PUNIÇÃO DE FAVRETO, O DESEMBARGADOR PETISTA QUE NUNCA FOI JUIZ

Membros do MP entram no CNJ com pedido de providências contra Favreto

Ele nunca foi juiz, era advogado por 20 anos servindo ao PT, e Dilma o nomeou desembargador federal.

Um grupo de 100 membros do Ministério Público (MP), entre procuradores e promotores, entrou na noite deste domingo (8) com um pedido de providências no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o desembargador Rogério Favreto, responsável por determinar, também no domingo, a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para os integrantes do MP, a decisão de Favreto, que atendeu a um pedido de deputados do PT durante plantão no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), violou “flagrantemente o princípio da colegialidade”, uma vez que, na visão dos procuradores e promotores, passou por cima da determinação da 8ª Turma do tribunal.

O pedido de providências se baseia em um trecho da resolução do CNJ sobre o assunto, segundo a qual “plantão judiciário não se destina à reiteração de pedido já apreciado no órgão judicial de origem ou em plantão anterior, nem à sua reconsideração ou reexame”.

Os membros do Ministério Público querem que o CNJ analise se Favreto cometeu “violação à ordem jurídica” ao determinar a soltura de Lula. Segundo eles, o desembargador não apresentou justificativa plausível para reverter decisão colegiada anterior e soltar o ex-presidente.

O pedido de providências ataca um dos principais argumentos de Favreto, que para justificar a decisão de soltar Lula apresentou como “fato novo” a condição de ele ser pré-candidato à Presidência da República, estando assim injustamente impedido de participar de entrevistas, debates e sabatinas.

“Vale destacar que a condição de pré-candidato do paciente não é fato novo, mesmo porque, notoriamente, é de conhecimento público há meses a candidatura, ainda que à revelia da lei, do paciente beneficiado pelo habeas corpus concedido pelo desembargador federal Rogerio Favreto”, diz o texto do pedido de providências.

Ao menos mais seis representações foram abertas contra o desembargador no CNJ. Não há prazo para que sejam julgadas.

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP) confirmada pela 8ª Turma do TRF4, que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão ao ex-presidente.

Ele permanece preso após determinação do presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores, que na noite de domingo (8) desautorizou o alvará de soltura expedido por Favreto.

Lula foi encarcerado com base no atual entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), que ao negar um habeas corpus do ex-presidente, em 4 de abril, por 6 votos a 5, reafirmou ser possível o cumprimento de pena após condenação em segunda instância. (ABr)

DESEMBARGADOR MANTÉM DECISÃO QUE IMPEDIU SOLTURA DE LULA

André Richter - Repórter da Agência Brasil

O desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, decidiu hoje (9) manter sua decisão que impediu a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ontem (8), durante o plantão judiciário, Gebran, relator dos processos da Operação Lava Jato, cassou decisão que havia determinado a soltura de Lula e tirou o processo do desembargador Rogério Favreto, que concedeu a liberdade. O pedido foi motivado por um habeas corpus protocolado por deputados do PT.

Ao receber o processo nesta segunda, Gebran Neto manteve sua decisão e ainda impediu que a corregedoria do tribunal e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sejam acionados para apurar o suposto descumprimento do alvará de soltura pelo juiz federal Sérgio Moro, que deveria efetivar a soltura de Lula, segundo Favreto.

“Ante o exposto, reafirmo o entendimento no sentido do indeferimento da medida liminar revogo integralmente as decisões em plantão deferidas nestes autos, inclusive no tocante ao envio de comunicação peças à Corregedoria-Geral de Justiça da 4ª Região e ao Conselho Nacional de Justiça, porquanto flagrantemente prejudicadas em razão de deliberações posteriores”, decidiu Gebran.

Na decisão, Gebran reafirmou que a 8ª turma do tribunal negou o mesmo pedido para soltar o ex-presidente e não há fato novo para justificar a decisão de Rogério Favreto.

“Não se está diante de ordem cautelar de segregação, mas, sim, de execução provisória da pena. Significa dizer que se o deferimento de liminar em juízo ordinário já é excepcional, mais excepcional ainda é o seu deferimento em plantão”, argumentou Gebran.

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 7 de abril, por determinação do juiz Sérgio Moro, que ordenou a execução provisória da pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex em Guarujá (SP). A prisão foi executada com base na decisão do STF que autorizou prisões após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça.

PETISTAS PEDEM PRISÃO DO JUIZ SERGIO MORO

Não é só inversão de valores, é total insanidade que criminosos queiram punir os cumpridores da lei, que barraram um GOLPE
*

Deputados petistas e desembargador querem que CNJ investigue Moro 

Paula Reverbel

Os deputados federais Paulo Teixeira (PT-SP), Paulo Pimenta (PT-RS) e Wadih Damous (PT-RJ), que entraram com o pedido de habeas corpus para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fosse solto, pretendem entrar com representação no Conselho Nacional de Justiça contra Sérgio Moro. O desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região Rogério Favreto, que acatou o pedido dos petistas, também pediu que o órgão apure "eventual falta funcional" do juiz da Lava Jato.

A solicitação de Favreto ao CNJ foi feita em sua terceira ordem para soltar Lula, condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O desembargador determina ainda que a manifestação de Moro sobre o caso seja encaminhada também à corregedoria do TRF-4.

© DANIEL TEIXEIRA /ESTADÃO Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) sai em defesa de Lula

De acordo com Teixeira, a peça dos deputados deverá ser entregue na terça-feira, 10. Nela, os petistas vão alegar descumprimento de ordem judicial, desobediência e obstrução da Justiça da parte de Moro, já que o juiz da Lava Jato não cumpriu a decisão de Favreto, que estava no plantão de final de semana na corte.

Para os deputados, Moro errou ao tomar diligências no lugar de expedir o alvará de soltura de Lula. "Ele confrontou o desembargador, que estava ocupando o cargo de presidente do tribunal por conta do plantão", explicou Teixeira. "Desobedeceu a ordem e disse que o desembargador era incompetente para tomar essa decisão", acrescentou.

Além disso, a representação dos petistas também vai mencionar o fato do juiz da Lava Jato estar de férias desde o dia 2 até o dia 31 deste mês. Vão argumentar que o caso deveria ter ficado com o juiz substituto de Moro. Segundo nota do TRF-4, Moro entendeu possível despachar no processo por ter sido citado.

domingo, 1 de julho de 2018

VOTO NULO - FRAUDE NAS URNAS


Falam tanto em fraude nas urnas eletrônicas e eu tenho uma cisma sobre fraude e a modinha do VOTO NULO.
Creio que só há possibilidade de fraude quando a diferença de votos entre os candidatos é pequena e também considero provável que uma quantidade exagerada de votos brancos e nulos facilita a fraude, porque cada "não voto" pode se transformar em voto no candidato que está financiando a fraude.

DEFESA DE LULA COLECIONA DERROTAS NO STF

Por Ricardo Brito

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva colecionou uma série de derrotas no fim do semestre do Supremo Tribunal Federal (STF) na busca de tentar livrar o petista da prisão em que se encontra desde abril, mas o caso envolvendo-o está longe de ter um desfecho judicial.

Líder nas pesquisas de intenção de voto ao Palácio do Planalto, Lula busca uma decisão judicial que o tire da cadeia e garanta direitos políticos para concorrer novamente à Presidência. Mas corre sério risco de permanecer detido e ainda ser impedido de disputar com base na Lei da Ficha Limpa.

Até o momento, houve três principais frentes processuais abertas por advogados do ex-presidente e também por partidos simpáticos a ele para tentar reverter a condenação ou, ao menos, os efeitos da pena por corrupção e lavagem de dinheiro no processo do tríplex do Guarujá (SP).

O primeiro revés dos defensores do ex-presidente ocorreu na semana passada quando o ministro Edson Fachin, do STF, decidiu remeter o julgamento de um pedido de liberdade do ex-presidente para apreciação do plenário do Supremo --e não para a 2ª Turma da corte.

Os advogados de Lula contestaram novamente a decisão dele e tentaram, sem sucesso, que o caso fosse apreciado pela 2ª Turma na terça-feira. Pela segunda vez, Fachin rejeitou.

Defensores dele consideravam que em um julgamento por esse colegiado menor --composto por cinco dos 11 ministros-- haveria chances de vitória do petista. Na terça, a Turma --com os votos dos ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli e contra a posição de Fachin-- revogou a prisão do ex-ministro petista José Dirceu e impôs outras derrotas contra investigações da operação Lava Jato.

Uma fonte com acesso a ministros da Turma disse à Reuters que Lula, se fosse julgado pela 2ª Turma, teria grandes chances de conseguir um relaxamento da prisão. No plenário, disse, as chances de se derrubar a detenção do ex-presidente são menores.

Após essa segunda rejeição por Fachin de levar o recurso para a Turma, a defesa do ex-presidente entrou com nova ação para contestar essa decisão do ministro, a chamada reclamação. Nessa ação, os defensores queriam também impedir a execução provisória da pena do petista.

Essa reclamação foi distribuída para o ministro Alexandre de Moraes, que é da 1ª Turma. Os advogados reclamaram novamente, dizendo que só poderia ser apreciado por um dos quatro ministros da 2ª Turma --excetuando Fachin-- que tinha rejeitado por duas vezes esse pedido da defesa.

Em decisão tomada no fim da tarde desta sexta, Moraes rejeitou todos os pedidos da defesa do ex-presidente e concordou com a posição de Fachin no caso. Segundo ele, o ministro não feriu o devido processo legal ou o princípio do juiz natural.

"Diante do exposto, com base no art. 21, § 1º, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, indefiro o pedido de nova distribuição somente entre os Ministros da 2ª Turma, excluída a autoridade reclamada, pois a distribuição foi regularmente realizada, nos termos do art. 67, § 8º, do RISTF, e julgo improcedente este reclamação", decidiu Moraes.

(continua)

ISTO QUE TEMOS É DEMOCRACIA?


O general Augusto Heleno pôs em cheque, em artigo publicado no Diário do Poder, a democracia no Brasil. Contrário à intervenção, ele questiona se as eleições, ocorridas com o PT no poder, foram lícitas e transparentes, “quando se sabe que um fantástico volume de dinheiro, desviado dos cofres públicos, foi aplicado, por todo o bloco governista, disfarçado de programas sociais, em descarada compra de votos”.

Heleno também ressalta a delonga dos julgamentos de políticos.

“É democrático que o julgamento de inúmeros políticos, comprovadamente desonestos, se arraste por décadas, até que seus crimes prescrevam? É democrático que alguns ministros do STF anulem decisões do próprio plenário da corte e libertem, contra todas as evidências, condenados a mais de dez anos de prisão?”, questiona o general.

Para ele, não é de se surpreender quando a população pede uma intervenção militar, principalmente quando o Supremo Tribunal Federal (STF) “mantém o país, já à beira do abismo pela incompetência do executivo, em permanente insegurança jurídica, contribuindo para desmoralizar as instituições.