quinta-feira, 19 de abril de 2018

PGR INVESTIGARÁ GLEISI

PGR abre procedimento para apurar vídeo de Gleisi à Al Jazeera


© Instituto Lula A presidente do PT e senadora Gleisi Hoffmann, durante coletiva de imprensa em Curitiba

A Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu um procedimento para decidir se investigará a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) em virtude de um vídeo enviado por ela à emissora Al Jazeera, a maior de língua árabe, que provocou críticas de opositores ao PT nas redes sociais e no Congresso Nacional.

A chamada “Notícia de Fato” é uma etapa preliminar, em que a PGR certifica que recebeu uma representação e indica algum integrante do órgão que faça “um procedimento prévio para coleta de informações preliminares e deliberação sobre uma eventual instauração de procedimento investigatório”. O prazo para conclusão dos trabalhos é de 30 dias.

O pedido contra a senadora foi apresentado pelo deputado Major Olímpio (PSL-SP). Para ele, as declarações da petista, que se dirigiu “ao mundo árabe” para dizer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “foi condenado por juízes parciais em um processo ilegal” e é um “preso político”, feriram a Lei de Segurança Nacional.

Na gravação, a senadora petista também argumenta que Lula foi o presidente brasileiro que estreitou as relações diplomáticas entre o Brasil e o Oriente Médio.
(...)

PASSAPORTE PARA A FUGA

Investigadores suspeitam que passaporte serviria à fuga de Lula

Lula foi alvo de protestos quando esteve "costeando o alambrado" no sul gaúcho, região de fronteira.

A suspeita de investigadores é que o passaporte e outros pertences de Lula, furtados em Curitiba, estariam em poder de auxiliar petista com papel central em um provável plano de fuga para outro país. Na data do julgamento do seu habeas corpus no Supremo Tribunal federal, 22 de março, Lula estava com sua “caravana” no sul gaúcho, bem próximo à fronteira com o Uruguai. “Costeando o alambrado”, como se diz no sul. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O adiamento do julgamento do habeas corpus, provocado por uma viagem do ministro Marco Aurélio, teria abortado a operação de fuga.

Em discurso no sindicato de São Bernardo, antes de entregar-se, Lula citou os acenos à fuga enquanto estava na fronteira com o Uruguai.

Viaturas da Polícia Rodoviária Federal escoltando a “caravana” de Lula, também teriam o papel de mantê-lo sob monitoramento.

O julgamento do habeas corpus, duas semanas depois, deu tempo a Lula para planejar a “resistência”, entocando-se na sede do sindicato.

GLEISI CONVOCA MUÇULMANOS PARA “LUTAR” POR LULA!



"Se o povo árabe acolher Lula

e descobrir que é ladrão,

não vai faltar só o dedinho,

lá eles cortam as mãos"


A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman gravou um vídeo e o enviou à TV Aljazeera contando mentiras sobre a prisão do ex-presidente Lula. A senadora atacou o Judiciário, a imprensa e disse que Lula "é um preso político”.

Gleisi afirma que o petista foi condenado por "juízes parciais" e chamou de “ilegal" um processo rigorosamente amparado nas leis e na Constituição. Gleisi também atropela a verdade ao afirmar que "não há nenhuma prova de culpa, apenas acusações falsas”.

Ela tenta atrair a simpatia dos árabes afirmado que ele é “um grande amigo do mundo árabe”, e convida a todos " a se juntarem conosco nesta luta, Lula livre".

Isso realmente é grave, pois a fala da petista sugere a intenção de pedir publicamente a intervenção das ditaduras islâmicas, aliadas do PT, e de seus respectivos braços terroristas.

Se nos preocupamos com a situação da Venezuela e sabemos que, com Lula e Dilma no poder, estávamos seguindo na mesma direção rumo ao caos e à miséria, precisamos nos preocupar ainda mais com o perigo de voltarem ao poder e fazerem conosco o mesmo que está acontecendo na Síria.

Não podemos subestimar o que pode acontecer. Já basta viver num país com a maior taxa de homicídios no mundo, pois estamos em guerra e os bandidos tupiniquis nos eliminam como inimigos da guerra ideológica plantado por PT&cia. Imaginem o que podem fazer os fanáticos convocados por essa insana.

Caso ocorra qualquer atentado em nosso país, essa senhora deve ser, no mínimo, investigada e responsabilizada.

Ao convocar estrangeiros para agirem contra brasileiros, a senadora do PT comete um atentado à paz e à segurança nacional.

É CRIME!!!!!!

O que seria essa ação senão ataques a bomba, como faziam os guerrilheiros e, muito pior agora, fazem os radicais islâmicos?

Acompanhei seu pronunciamento de hoje na tribuna do Senado agredindo verbalmente a senadora Ana Amélia Lemos, que tem todo o direito de exigir providências, e tentando minimizar sua atitude contra o nosso país.

Na sua fala, estranhamente breve para quem exige a palavra o tempo todo, alegou que não se dirigia apenas aos árabes. Mas não adianta trocar o tom agressivo pelo argumento de que enviara o vídeo a veículos de comunicação de outros países, pois o próprio texto acusa sua intenção. Não há menção alguma a qualquer outra nacionalidade, suas palavras são dirigidas exclusivamente aos árabes, também vítima de grupos radicais que praticam atos de terrorismo contra seu próprio povo e em outros cantos do planeta.

Algumas medidas importantes já estão sendo tomadas. O deputado Francischini (PSL-PR) entrou com pedido de cassação do mandato da senadora e o deputado Major Olímpio (PSL-SP) protocolou na Procuradoria-Geral da República (PGR) uma representação contra a senadora Gleisi Hoffman para que ela seja responsabilizada por crimes previstos na Lei de Segurança Nacional e na Lei que tipifica os crimes contra o Estado e a Ordem Política e Social.

Major Olimpio advertiu: “É válido ressaltar, que os países em que é veiculada essa rede televisiva utilizada pela Senadora citada e seu partido, alcançam regiões em que há concentrações de diversos grupos terroristas, colocando em risco também a segurança nacional do Brasil”, disse o deputado.

O deputado também pede a cassação de registro do PT, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "É válido ressaltar, que a “denúncia” realizada pela Senadora do PT Gleisi Hoffmann se deu como Presidente de seu partido, sendo ato expressamente vinculado a ele, devendo tal agremiação partidária também sofrer as sanções legais, uma vez que a Constituição Federal estabelece em seu art. 17, caput e inciso IV, que "É livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos, resguardados a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos: (...) IV - funcionamento parlamentar de acordo com a lei".

O major também protocolou no Senado Federal, pedido para abertura de processo no Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar e perda do mandato de senadora. “Logo, resta comprovado, mediante o cotejo do vídeo anexado e os dispositivos legais supracitados, que a Senadora do PT Gleisi Hoffmann, agiu de forma incompatível ao decoro parlamentar, ao praticar diversos crimes que atentam contra a Soberania Nacional, o Estado Democrático Direito, o Respeito aos Poderes Constituídos, principalmente o Poder Judiciário e a Ordem Política e Social do País”.

A Constituição Federal estabelece, em art. 55, caput, II e §1º, que:

Art. 55. Perderá o mandato o Deputado ou Senador (...) II - cujo procedimento for declarado incompatível com o decoro parlamentar; (...) § 1º - É incompatível com o decoro parlamentar, além dos casos definidos no regimento interno, o abuso das prerrogativas asseguradas a membro do Congresso Nacional ou a percepção de vantagens indevidas.


segunda-feira, 16 de abril de 2018

FAZ SENTIDO, EXERCENDO O SOCIALISMO - "SE É DO LULA, É NOSSO"



Cerca de 50 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo ocuparam, na manhã desta segunda (16), o tríplex que Lula recebeu a título de propina na praia do Guarujá, no litoral de São Paulo. Arrombaram a porta de um imóvel que está em poder da justiça, que deveria ser leiloado para cobrir o rombo causado por Lula.

O MTST, tal qual outros movimentos que funcionam como milícias e cujos membros, desocupados que vivem às custas de mortadela e alguns trocados, não protestam contra corrupção, mas sim contra a Justiça, estendeu uma faixa nas janelas do apartamento com os seguintes dizeres: “se é de Lula, é nosso”; “se não é, por que prendeu?” e “povo sem medo”. Outros manifestantes também protestaram na frente do prédio.

Essa ação põe fim ao questionamento ditado pelas lideranças do PT e repetido pelos que rezam a cartilha do partido: "Cadê as provas?". Se ainda não estão convencidos com o calhamaço de provas consistentes confirmadas por todos os tribunais, eis aí a prova principal, querem impedir que o fruto do roubo seja devolvido à União.

Petralhas fingem desconhecer a Lei, porque não a respeitam. A polícia agiu e tinha que agir contra a perturbação da ordem e para proteger o direito dos condôminos de ir e vir.

Com ondas de violência tomando conta do país, petistas ameaçando pegar em armas e fazendo discurso sobre derramamento de sangue para defender o chefe da quadrilha, a procuradora geral da República considera mais importante denunciar um deputado por uma piada politicamente incorreta. Criminalizar piada de mau gosto não vai tirar voto do candidato, mas permitir que Lula incite a violência faz o PT perder votos, com certeza.




domingo, 15 de abril de 2018

A PATOLOGIA LULA



Carlos Marques - Isto É

As romarias, os cânticos em seu nome, a louvação às suas palavras, tudo leva a crer que os adoradores de Lula já o colocaram em um pedestal de divindade, no qual nenhuma acusação de crime, nenhuma prova ou evidência pode alcançá-lo. Nem mesmo erros conhecidos, a clamorosa afronta às instituições, o descaso que demonstrou com a Lei e a ordem, a incitação à baderna – sugerindo aos seguidores “queimar pneus”, “fazer passeatas” e “ocupações no campo e na cidade” – serão capazes de denegri-lo. Não para esses fiéis, cegos na veneração.

Não importa, não tem valor os desmandos, não maculem a imagem do protetor dos desassistidos – mesmo que ele tenha se locupletado com o dinheiro alheio, justamente daqueles a quem prometia a salvação. É perjúrio dizer isso, pecado capital. Bem-aventurados os que creem porque esses seguirão ao lado do todo-poderoso.

O próprio Lula, como diz na pregação que fez de autorreferência, nos momentos derradeiros do martírio rumo ao calabouço, descortinou o caminho da fé: “eu não sou mais um ser humano, sou uma ideia”. Talvez o grau etílico no momento da fala, naquele sábado de paixão petista, tenha contribuído para o delírio. Mas há de se supor que Lula acredita na própria profecia.

A ascensão do mundo dos mortais à esfera dos deuses se dá com a sagração de seus apóstolos. Cada um deles, congressistas de carteirinha, tratou logo de pedir à plenária daquela casa de tolerância a inclusão da menção “Lula” em seus respectivos nomes parlamentares.

Assim Gleisi “Lula” Hoffmann, Paulo “Lula” Pimenta e quetais, da noite para o dia, devotaram sua existência política ao redentor. Eis a mensagem da fé! Aleluia ao Senhor. Seria cômico, não fosse triste.

O Partido dos Trabalhadores agoniza engolfado pelo devaneio. Deixou de lado programas, bandeiras, a própria essência ideológica que dava corpo à agremiação, para virar seita. Tal qual a de reverendos suicidas que conclamam incautos para a reclusão e o fim trágico coletivo em nome de uma crença.

A cúria petista, nos dias que se seguiram a prisão de seu líder maior, arrastou uma patológica massa de romeiros para Curitiba, sede da masmorra/recanto de seu mentor, e ali fincou acampamento, revezou hordas de peregrinos nos gritos de saudação “bom dia, Lula”, “boa noite, Lula” e maquinou a ressurreição do demiurgo.

Levou governadores partidários para visitas improváveis, articulou comissões no Senado para a averiguação das condições da cadeia, promoveu algazarra e violência a intimidar os locais. Em suma, rezou conforme a cartilha de insanidades do lulopetismo.

No enredo do calvário que culminou com a rendição midiática o ingrediente das vaias e fogos a comemorar o feito da Justiça não poderia faltar. Lula aquiesceu na última das quedas de sua paixão, em pleno heliporto da atual morada. Horas antes, do palanque improvisado em um carro de som, como numa missa de corpo presente, exibiu-se à imagem e semelhança de um cadáver político.

Dava para notar no tom soturno de suas imprecações, inconformado com o próprio fim, que rogava por uma plateia maior que a avistada ali de cima.

Lula almejava a reencarnação em “um pedacinho de célula de cada um de vocês”. Pedia a militância de muitos “lulinhas”, dos “milhões e milhões de Lulas”. Já era o ente falando. Os exegetas bíblicos deveriam rapidamente rever as encíclicas para incluir o nome do novo santo. Lula tem certeza de seu direito divino a figurar nos versículos do livro sagrado. Disse em certa ocasião que “as pessoas deveriam ler mais a bíblia para não usar tanto meu nome em vão” e cravou a memorável lembrança de que “não existe uma viva alma mais honesta do que eu”.

A mística do Salvador da Pátria em pessoa deu o tom do desvario de lá para cá. Não há na política brasileira mais espaço para um messias oportunista. De mais a mais, as previsões apocalípticas não se confirmaram. O mundo não acabou com a sua prisão, como ele e a parolagem petista vaticinaram.

Lula é agora apenas um número no Cadastro Nacional de Presos (CNP). Detento ficha 700004553820. Até ressuscitar vai uma penosa provação. Aleluia.

terça-feira, 10 de abril de 2018

NO STF, TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI, COM A EXCEÇÃO DE LULA

Tudo por Lula: ministros ameaçam arquivar o bordão ‘dura lex, sed lex’

Ministros Marco Aurélio e Ricardo Lewandowski tem atuado com afinco de advogados pelas ADCs

Com a obstinação de advogado, o ministro Marco Aurélio tenta reverter no Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão após segunda instância. Mas, nesta quarta (11), tudo o que se espera do STF é que não cause sobressaltos adicionais ao País, indicando um mínimo de apego ao bordão jurídico que, de tão velho, chega a ser clichê: “dura lex sed lex” – para o milionário e pobre, para a puta, o preto e “para A, T ou L”, como já sentenciou o ministro Luís Roberto Barroso há uma semana. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A tentativa de neutralizar a pena de Lula, estabelecendo novo marco de impunidade, reforça a notável inconstância de posições do STF.

O STF ameaçou “rever” da Lei da Anistia, de 1979, com a mesma sem-cerimônia que, no mensalão, ressuscitou os embargos infringentes.

Ressuscitados os embargos infringentes, mortos desde 1990, o STF garantiu punição amena, por exemplo, para o ex-ministro José Dirceu

O STF tratou Eduardo Cunha com rigor, mas para outro político do mesmo nível institucional, Renan Calheiros, deu tratamento leniente.

domingo, 8 de abril de 2018

RESUMO DE UMA FARSA CHAMADA LULA

Mario Sabino

*Em 26 de agosto de 2016, uma farsa começou a ser formalmente desmontada. A farsa chamada Luís Inácio Lula da Silva. Naquela data, ele foi indiciado pela Polícia Federal por corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, dentro da Lava Jato, no caso do triplex do Guarujá pago pela empreiteira OAS.

Com Lula, atingimos o ápice da demagogia e da corrupção nesta terra pródiga em demagogos e corruptos.

Lula surgiu no regime militar, quando se apresentou como líder sindicalista tolerável aos generais. Na redemocratização, a esquerda o transformou em ícone revolucionário (o que ele nunca foi) e chefe de partido. No entanto, o discurso radical que lhe fora oportuno na construção do PT revelou-se um desastre eleitoral nas campanhas presidenciais — e Lula, então, engravatou o pescoço e as palavras, para conquistar banqueiros, empresários e parte da classe média. Chegou ao Planalto por meio do que parecia ser um consenso inédito entre interesses de trabalhadores e patrões.

No poder, em conluio com as oligarquias dos grotōes e os plutocratas paulistas e cariocas, Lula levou às últimas consequências o assistencialismo mais rasteiro e uma política econômica que, baseada apenas em crédito farto aos cidadãos que se endividavam para consumir e subsídios indecentes aos empresários amigos, graças à bonança mundial que impelia as exportaçōes de commodities, resultaria no desastre completo sob Dilma Rousseff, a criatura que escolheu para sucedê-lo e autora da maior fraude fiscal já cometida no país. Como resultado, os ganhos sociais relevantes proporcionados pelo Plano Real foram parar na fila do desemprego.

No poder, Lula instituiu, para além da imaginação, a prática de comprar apoio parlamentar. Tanto no mensalão como no petrolão, o seu partido e aliados desviaram bilhões de reais dos cofres públicos, para realizar tais pagamentos.

No poder, Lula e boa parte dos seus companheiros enriqueceram por meio de contratos fraudulentos entre empreiteiras e estatais como a Petrobras, arrasada durante os anos dos governos do PT.

No poder, Lula aparelhou as instituiçōes e tentou calar a imprensa independente, comprando o apoio de blogueiros sujos e jornalistas decadentes, perseguindo profissionais que desvelavam os porões imundos do lulopetismo e cortando propaganda (não apenas governamental) de veículos sérios. Com isso, quase minou um dos pilares da democracia que é a liberdade de imprensa — o seu projeto de perpetuação no poder o exigia.

É essa farsa que começou a ser formalmente desmontada pela PF num radioso 26 de agosto de 2016. E que, graças à Justiça de verdade, chegou ao fim num outonal 7 de abril de 2018, com o epílogo vergonhoso protagonizado em São Bernardo por um ator que recendia a cachaça.

Se Lula ressuscitar, a farsa se repetirá como farsa ainda pior.


*Artigo adaptado do original publicado no livro “Cartas de um Antagonista” (editora Record).

CATÓLICOS PROTESTAM CONTRA USO DA IGREJA NO APOIO AO 'CRIMINOSO LULA'

Abaixo-assinado será entregue ao embaixador do Papa no Brasil


O arcebispo aposentado, alvo do protesto, abraça Lula, o condenado, na celebração que virou palanque eleitoral. (Foto: Paulo Pinto)

Diário do Poder

Endereçado ao núncio apostólico Giovanni d'Aniello, representante ou embaixador do Papa Francisco no Brasil, um abaixo-assinado de iniciativa de católicos recolhe adesões na internet contra a celebração realizada em São Bernardo do Campo (SP), neste sábado, pelo arcebispo aposentado (ou "emérito") Angélico Sândalo Bernardino, de notórias ligações ao PT, em apoio a Luiz Inácio Lula da Silva, primeiro ex-presidente da República da História do Brasil condenado à prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em sentença de 12 anos 1 um mês em regime fechado que começou a ser cumprida.

O professor Hermes Rodrigues Nery, coordenador do Movimento Legislação e Vida, explica que os católicos não podem aceitar a instrumentalização da Igreja para fins políticos contrários à doutrina católica:

- É inaceitável que na manhã de 7 de abril de 2018, o bispo emérito Dom Angélico Sândalo Bernardino tenha presidido celebração ecumênica de apoio ao criminoso Luís Inácio Lula da Silva, que já havia expirado o prazo dele se apresentar à Polícia Federal para cumprir o mandado de prisão expedido pelo juiz federal Sérgio Moro. Os católicos se sentiram indignados com isso.

Quem deseja analisar o abaixo-assinado deve clicar no seguinte endereço: http://www.citizengo.org/pt-br/160297-repudio-celebracao-presidida-por-dom-angelico-sandalo-bernardino-apoio-ao-criminoso-luis?tc=wp&tcid=46939050 ou clique AQUI.

ESPETÁCULO VERGONHOSO

General Augusto Heleno

O teatro, a palhaçada e a pantomima, que se estenderam por cerca de 48 horas, nos permitem chegar a uma dura conclusão: quem se deixou impressionar, principalmente pelo discurso antidemocrático e desafiador do condenado, deve providenciar um tratamento psicológico.

Quem julga virtuosos os políticos que se amontoaram naquele palanque (que mais parecia um contêiner de lixo), ou sofre de obturação mental ou de cegueira crônica.

Quem esquece que o PT e seus comparsas são os maiores culpados pela falência moral e econômica, pela crise na educação e na saúde, e pelo derretimento da maioria das instituições nacionais, é um cretino doentio ou cultiva uma amnésia profunda.

A proclamação totalitária do criminoso ex-presidente, pregando, inclusive, o controle da imprensa, foi digna das que ocorreram às vésperas da Revolução Comunista de 1917. Só que em péssimo português.

Sinto profunda vergonha por haver presenciado um espetáculo desse nível, cujo ponto alto foi preconizar o desrespeito às instituições e debochar do estudo formal. Tudo no bojo dos desmandos gerenciais e da desenfreada corrupção que acometem o país há quase 16 anos.

PRISÃO DO LULA, O QUE AS REDES DE TV NÃO MOSTRARAM

Manifestantes anti-Lula comemoraram a chegada de Lula preso à sede da PF em São Paulo.

Durante todo o percurso entre a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, até a superintendência da Polícia Federal em São Paulo, o comboio de camburões levando o detento Luiz Inácio Lula da Silva foi saudado com buzinaço e fogos de artifício pelos paulistanos. Muitos apartamentos apagavam e acendiam as luzes, em apoio à prisão.

Foi inevitável que as reportagens ao vivo mostrassem as luzes de apartamentos piscando, celebrando a prisão de Lula, mas foi bastante tímida a divulgação das imagens da humilhante chegada do chefe de quadrilha na PF de Curitiba. Ele chegou saudado com gritos de "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão", entoado por centenas de manifestantes antipetistas que aguardavam a sua chegada. A multidão também cantou os versos "ôôô, o ladrão chegou".


Confiram as imagens no vídeo abaixo:


domingo, 1 de abril de 2018

FORA TEMER OU INTERVENÇÃO SALVAM O PT!?



No próximo dia três, se o povo brasileiro quiser, as ruas de nossas cidades serão tomadas por manifestantes insatisfeitos com algumas decisões da justiça, ou não decisões, que tem confirmado a fama do Brasil como o reino da impunidade.
Preocupa, porém, as cortinas de fumaça que vêm garantindo, com sucesso, a liberdade do chefe da organização criminosa que levou nossa economia, e o povo junto, para o fundo do poço.
Uma dessas ondas partiu do próprio STF, justamente o principal alvo dos protestos por ter interrompido o julgamento sobre a prisão do Lula.
Uma série de manobras vem dando força às provocações do ex-presidente condenado e às constantes ameaças de conflito para tentar intimidar a justiça, a imprensa e os brasileiros de bem que são os que mais sofrem com o vandalismo.
A indignação que tomou conta do país, como no efeito manada, tem se desviado de seu foco principal para o presidente Temer, mais uma vez. Os amigos de Temer, simples investigados, já foram contemplados com a cadeia por determinação do ministro Luis Roberto Barroso, relator do chamado Inquérito dos Portos, no Supremo Tribunal Federal (STF), enquanto Lula continua livre e fazendo campanha ilegal.
A possibilidade de um "Fora Temer" no lugar de "Lula na Cadeia" preocupa os organizadores dos movimentos e pessoas atentas a esse equívoco.
Fico encafifada como é que conseguem esse feito e porque a maioria dos ditos formadores de opinião também embarcam nessas ondas traiçoeiras.
Antes de chegar ao ponto, é preciso ficar claro que não é mais questão de decidir se Lula é culpado ou inocente, mas sim de mais uma vergonhosa manobra para garantir a impunidade de um condenado.
Quando pensamos que a pressão popular pode surtir efeito e, por conseguinte, os juízes do Supremo venham a confirmar o que já foi determinado em outras instâncias e que isso basta para que a operação Lava Jato seja concluída com louvor, surge mais um boato de que Temer estaria sendo pressionado a renunciar e uma junta militar assumiria o poder.
Mais uma vez, os tais formadores de opinião reagem com desdém a quem tenta alertar sobre essa possibilidade.
Seria a arrogância, que causa o mesmo vazio mental que afeta os idiotas?
Seriam coniventes ou até cúmplices do chefão? Essa possibilidade pode ser descartada, pois muitas dessas lideranças coordenam movimentos de oposição ao PT.
Seria o complexo de avestruz dos que não querem enxergar que essa é a pauta do PT?
Eu gostaria muito de saber o que se passa na cabeça dessa gente, mas é óbvio a quem mais interessa esse tipo de orquestração.
Interessaria ao PT se Lula não tivesse sido condenado ou se Temer saísse antes de sua condenação. A ideia seria a de atropelar a Constituição para promover novas eleições e, possivelmente, seria eleito, segundo as pesquisas, e teria direito à imunidade.
Na situação atual, se o Brasil chegar a uma condição irreversível de caos generalizado, as Forças Armadas têm o dever de intervir, sim. Muitos vão aplaudir a saída de Temer e alguns vão ficar satisfeitos com a medida. Mas é aí que mora o perigo, pois eu vejo como mais uma tábua de salvação para Lula e o PT.
Esse, sim, seria seu último recurso, não a protelação do STF. As manchetes dos jornais estampariam um golpe. Lula seria preso, mas certa imprensa transformaria a condenação de um corrupto em prisão política. Cenário propício para a promoção de criminosos à condição de heróis do povo brasileiro.

quarta-feira, 28 de março de 2018

O ENIGMA DO 'ATENTADO'

Tiros na caravana de Lula deixaram buracos muito redondinhos



O Antagonista


Autoridades federais estão intrigadas com os tiros na caravana de Lula. Isso porque, pelo aspecto das perfurações, os disparos devem ter sido feitos à curta distância e com o veículo parado.

Essas autoridades dizem que, quando um veículo é atingido em movimento, a marca da bala deixa um aspecto de rasgo ou “respingo”. No entanto, as marcas mostradas são redondinhas. E os tiros parecem ter sido disparados de perto, porque o buraco é do mesmo diâmetro da bala. Quando é de longe, o buraco é mais largo, em razão da expansão da energia.

Obviamente, só a perícia pode resolver o enigma do “atentado”.

"ATENTADOS" QUANDO LULA ESTÁ EM BAIXA

SUSPEIÇÃO - SEMPRE QUE LULA ESTÁ EM MAUS LENÇÓIS, UM 'ATENTADO' O VITIMIZA

Não é a primeira vez que o PT fala em 'atentado' contra Lula

Jornalistas que estavam no ônibus não ouviram disparo, nem viram ninguém atirando, e só perceberam o buraco de bala chegando ao destinos e os petistas o apontando. (Foto: assessoria do PT)

Diário do Poder

Policiais experientes não descartam a hipótese de armação, no suposto atentado a tiros à caravana do ex-presidente Lula no Paraná, com o objetivo de “vitimizar” o político petista que vive a expectativa de votação, no Supremo Tribunal Federal (STF), do seu habeas corpus. Ele também anda em baixa em sua visitação a Estados do Sul, com moradores tentando impedir os comícios, expulsando-o aos gritos de “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”.

Três tiros teriam atingido dois dos três ônibus da comitiva, e o único a não ser perfurado por balas foi exatamente aquele que conduz o ex-presidente. Mas ele não estava no veículo porque fez o percurso de helicóptero. Um dos ônibus atingidos foi o que transportava jornalistas, claro, e o outro, com duas perfurações, levava “convidados”.

Os jornalistas estranharam porque não ouviram o disparo e somente perceberam o orifício supostamente produzido por bala quando chegaram ao destino e seguranças da comitiva e petistas chamaram atenção para os sinais do suposto atentado.

Os ônibus seguiam de Quedas do Iguaçu, no oeste do Paraná, para a cidade de Laranjeiras do Sul, quando segundo o PT os tiros foram disparados, mas nenhuma fonte independente os ouviu. Curiosamente, Lula já estava na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFSS), onde chegou de helicóptero.

PT do Paraná e seus 'atentados'


Também não está descartada a hipótese de que alguma pessoa tenha de fato atirado contra a comitiva, como afirmam os lulistas, mas a policia paranaense está habituada aos métodos do PT local, liderado pela senadora Gleisi Hoffmann, hoje presidente nacional do partido.

Em maio do ano passado, o PT denunciou um “atentado” contra sua sede em Curitiba. Durante a madrugada, claro, quando não havia ninguém. Não houve feridos, nem danos significativos. Nesse suposto atentado, segundo relato dos petistas, dois homens encapuzados teriam lançado duas bombas de coquetéis molotov contra o imóvel, no bairro São Francisco. O “atentado” jamais foi reivindicado, como é comum nesses casos, nem a policia pôde chegar a qualquer conclusão definitiva.

Como em outras ocasiões, Lula fez divular em seu twitter uma mensagem redigida pela assessoria: "A nossa caravana está sendo perseguida por grupos fascistas. Já atiraram ovos, pedras. Hoje deram até um tiro no ônibus". No palanque, ele fez discurso se comparando a Tiradentes.

‘Atentados’ quando Lula está em ‘baixa’

Opositores do PT chamam a atenção para o fato de Lula ser alvo de alguma forma de suposto “atentado” sempre que enfrenta maus bocados.

No começo de agosto de 2015, quando o ex-presidente enfrentava graves denúncias em operações como a Lava Jato, uma bomba foi jogada de um carro em movimento contra o portão do Instituto Lula, durante a madrugada, quando não há ninguém no local. Não houve estragos, nem feridos. Apenas barulho. Esse suposto atentado nunca pôde ser confirmado pelas autoridades que o investigaram.

Em outra ocasião, também em maio de 2017, o PT reclamou de rojões atirados contra um acampamento de apoio a Lula, na ocasião ainda sem sentença condenatória por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Rojões também teriam sido usados em outro “atentado” à sede do PT. Como em todos os casos, jamais houve feridos e nem sequer danos materiais. Mas serviram como uma luva à suposta intenção de desviar o foco e vitimar não apenas Lula como o partido.

Opositores do PT destacam que em todos os episódios envolvendo protestos contra Lua, na visita que ele faz a Estados do Sul, foram vistas armas apenas na cintura e nas mãos de seguranças do ex-presidente. A Polícia Civil promete investigar e chegar aos autores, tendo sido o atentado real ou simulado.

Na confusão da agressão a um jornalista do Globo, uma pistola apareceu na mão de um homem (à esq.) que atuaria na segurança do ex-presidente. (Foto: Ricardo Galhardo/Estadão)

terça-feira, 27 de março de 2018

ENTREVISTA DE MORO, RECORDE MUNDIAL DO ASSUNTO MAIS COMENTADO DO DIA

‘Espero que o STF tome a melhor decisão’, diz Moro sobre Lula

VEJA.com - Guilherme Venaglia

© Reprodução O juiz Sergio Moro participa do programa Roda Viva

O juiz federal Sergio Moro disse, na noite desta segunda-feira, que espera que “o Supremo Tribunal Federal tome a melhor decisão” no caso do habeas corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Moro não disse qual seria a “melhor decisão”, mas reiterou sua defesa da execução das penas após condenação em segunda instância.

Questionado se mandaria prender o petista, agora que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) recusou os embargos de declaração do ex-presidente, o juiz argumentou que é apenas “um cumpridor da ordem”. Lula tem um salvo-conduto do STF até a conclusão da análise do seu recurso, que deve ser retomada no dia 4 de abril. Caso o habeas corpus seja rejeitado, ele poderia ter a prisão decretada.

Em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, o juiz da Lava Jato citou a “ordem” do TRF4, em referência ao acórdão da condenação do petista a 12 anos e um mês de prisão. O documento do tribunal determina que, uma vez esgotados os recursos do ex-presidente em segunda instância, deve se iniciar o cumprimento da pena. “Tenho que cumprir a ordem do Tribunal Regional Federal”.

Áudio

Sergio Moro afirmou que “jamais pediu escusas” pela decisão de tornar público um áudio de uma conversa entre Lula e a então presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016. “Foi uma decisão que eu tomei pensando estar fazendo a coisa certa. O ministro Teori [Zavascki, relator da Lava Jato morto em 2017] entendeu que não e revisou.”

A conversa divulgada, em que Dilma diz a Lula estar enviando um intermediário com um documento “em caso de necessidade”, foi entendida como um combinado para que o ex-presidente tivesse um ato de posse como ministro-chefe da Casa Civil, que lhe garantiria foro privilegiado, caso Moro determinasse sua prisão. O caso levou o ministro Gilmar Mendes, do STF, a anular a nomeação de Lula para o cargo, anunciada no dia em que as gravações vieram à público.

Aos jornalistas que estavam na bancada do programa da TV Cultura, o magistrado disse não acreditar que haja um “acordão” para proteger o ex-presidente. “Eu não posso acreditar em uma hipótese dessa”, argumentou.

segunda-feira, 26 de março de 2018

DECISÃO UNÂNIME - CONDENAÇÃO DE LULA É MANTIDA

TRF-4 NEGA RECURSO DA DEFESA DE LULA

TRF-4 mantém condenação de Lula; petista ainda não pode ser preso até decisão do STF (foto: paulo pinto/fotos públicas)

Diário do Poder

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negou por unanimidade o recurso da defesa de Lula contra a condenação em segunda instância. Em janeiro deste ano, o Tribunal decidiu pela confirmação da condenação e aumentou a pena do petista para 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá, São Paulo.

Com a decisão do TRF-4 desta segunda (26), Lula já poderia ser preso. No entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu provisoriamente na semana passada pelo impedimento da prisão do petista até a próxima quarta (4), quando o Supremo julga o pedido de habeas corpus preventivo apresentado pela defesa.

Nos embargos protocolados em fevereiro deste ano, a defesa de Lula argumenta que a decisão do TRF-4 possui 38 "omissões em relação a elementos que constam no processo", 16 "contradições com os seus próprios termos" e cinco "obscuridades". Os advogados pedem ainda que as correções alterem “o resultado do recurso de apelação julgado em 24/01, com o reconhecimento da nulidade de todo o processo ou a absolvição de Lula".

O desembargador Gebran Neto, relator do caso, leu os itens apontados pela defesa e deu parcial provimento sem alterar a sentença. O magistrado retificou os pontos que tratam do nome da OAS. Os desembargadores Victor Laus e Leandro Paulsen acompanharam na íntegra o voto do relator.

VOCÊ ATENDE O TELEFONE E NINGUÉM RESPONDE? SAIBA O PORQUÊ

EMPRESAS DE TELEMARKETING ENGANAM CLIENTES COM LIGAÇÕES FALSAS

Telemarketing simula ligações para aumentar os lucros e irrita quem as recebe

Empresas de telemarketing simulam ligações para "provar" aos clientes tentativas de vender produtos

Ligações que caem quando atendidas infernizam as pessoas.

Remuneradas pelo número de ligações que realizam para vender produtos ou serviços, empresas de telemarketing estão enganando os próprios clientes: fazem telefonemas em massa, que desligam ao serem atendidos, a fim de simular a prestação do serviço. O sistema gera uma lista com milhares de telefonemas que na verdade não foram feitos, e são úteis para “comprovar” o serviço e enganar o contratante.
A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Além de enganar os clientes, empresas de telemarketing atormentam milhões de brasileiros com ligações insistentes de ninguém.

A Anatel, “agência reguladora” de telecomunicações, afirma não ter “elementos suficientes para concluir sobre as ligações mencionadas”.

A Anatel recomenda que se procure “solucionar a demanda” junto à empresa telemarketing. Que não deixa pistas, só números inexistentes.

domingo, 25 de março de 2018

NOVOS MODELOS DE CENSURA


Haja inspiração aos servos do tinhoso:

* RECLAMAR DAS "VOZES DO ÓDIO"; traduzindo "Eu te proíbo de falar mal do Lula" (mas quem está falando mal? Quem sempre atacou todo mundo e destruiu a reputação de muita gente de bem foi ...... Lula. O que se diz sobre ele é a mais absoluta VERDADE)"

* INCUTIR NA CABEÇA DAS PESSOAS QUE O BRASIL NÃO TEM JEITO, traduzindo "Só Lula é o salvador"


* LUTAR PELA VOLTA DA DEMOCRACIA, traduzindo "O juiz Moro é um tirano e Lula, o chefe da quadrilha, é um perseguido político que precisa voltar ao poder para se vingar de Moro."

* MOVIMENTOS 'VERDE E AMARELO' É COISA DE FASCISTA, traduzindo "o povo brasileiro que sai às ruas para exigir o fim da impunidade de bandido é fascista, só os vândalos do PT têm o direito de ocupar as ruas."

* ESPALHAR A SENSAÇÃO DE PÂNICO DEVIDO A IDENTIFICAÇÃO DO PERFIL DOS USUÁRIOS DAS MÍDIAS SOCIAIS - O meu perfil não é segredo pra ninguém, se eu quisesse esconder minhas preferências, só postaria poema e figura de bichinho. Portanto, a intenção é mais um "cala a boca"

sábado, 24 de março de 2018

STF, VERGONHA NACIONAL! LUGAR DE LULA É NA CADEIA


Os brasileiros estão partindo para o tudo ou nada, não aguentam mais tanta esculhambação. Nada justifica, porém, o medo dos juízes quanto às ameaças do PT sobre botar fogo no país, pois tanto faz se Lula for preso ou não, qualquer uma dessas possibilidades vai levar multidões às ruas. Acho até que os vermelhos podem até causar algum estrago, impunemente, como sempre, mas vai ser um fiasco. Entretanto, se o Lula se safar, certamente teremos guerra civil.

Na fracassada caravana pelo Rio Grande do Sul, Lula saiu fugido de Passo Fundo -RS e entrou escondido em Chapecó -SC. A cidade de Chapecó também foi cercada, impediram o Lula a descer de seu avião e discursar na cidade. Ele precisou fugir de lá também e foi dormir em Sarandi. Mas o pessoal de lá já preparou os foguetes para ninar o Lula.

Ninguém aguenta mais a presença desse bandido.


quarta-feira, 21 de março de 2018

MINISTRA CÁRMEN MOSTROU SUA FORÇA



O papel do jornalista é esclarecer e informar, não plantar versões sem fundamento.
É o que faz Mary Zaidan em nota informal publicada no facebook:

"Os apressadinhos que saíram alardeando que a ministra Cármen Lúcia tinha voltado atrás não compreenderam que foi exatamente o oposto. Ela continuou negando a inclusão da revisão da possibilidade de prisão em segunda instância e pautou para amanhã o julgamento do HC de Lula, que só vale para ele, sem repercussão geral.
Amanhã, quem quiser salvar Lula terá de fazê-lo às claras."

SUPREMA BAIXARIA NO STF

Mais um bate boca entre Barroso e Gilmar suspende sessão do STF

Ministros prestaram outro desserviço ao trocar ofensas pessoais durante sessão do STF

André Brito

Mais um bate boca envolvendo os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso levou à suspensão da sessão do Supremo Tribunal Federal desta quarta (21).

Durante o voto sobre a proibição de doações ocultas, Gilmar Mendes disse ser preciso haver transparência e criticou o STF por recentes decisões, citando o caso da revogação, pela Primeira Turma da Corte, da prisão de médicos e funcionários de uma clínica de aborto.

“Claro que continua a haver graves problemas. [...] É preciso que a gente denuncie isso! Que a gente anteveja esse tipo de manobra. Porque não se pode fazer isso com o Supremo Tribunal Federal. ‘Ah, agora, eu vou dar uma de esperto e vou conseguir a decisão do aborto, de preferência na turma com três ministros. E aí a gente faz um 2 a 1”, disse.

Barroso, que integra a Primeira Turma, tomou a crítica como ofensa pessoal e começou a criticar Gilmar. "Me deixa de fora desse seu mau sentimento, você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com atraso e pitadas de psicopatia. Isso não tem nada a ver com o que está sendo julgado. É um absurdo vossa excelência vir aqui fazer um comício cheio de ofensas, grosserias. Vossa excelência não consegue articular um argumento, fica procurando, já ofendeu a presidente, já ofendeu o ministro Fux, agora chegou a mim. A vida para vossa excelência é ofender as pessoas", disse Barroso.

Como a discussão seguia acalorada, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, suspendeu a sessão.

segunda-feira, 19 de março de 2018

"LIVRAMENTO NÃO, LULA LADRÃO!"

Socos, pontapés, spray de pimenta e cassetete conseguem conter jagunços do MST que atacaram manifestantes anti-Lula em Livramento

A foto é de Elis Regina/AP

Políbio Braga

Socos, pontapés, spray de pimenta e empurrões marcaram o encontro entre os ex-presidentes Luis Inácio Lula da Silva (Brasil) e José 'Pepe' Mujica no Parque Internacional que faz divisa entre Livramento e Rivera. Alguns manifestantes faziam seu protesto contra a visita do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, quando jagunços do Movimento dos trabalhadores Sem Terra (MST) que fazem a segurança de Lula, resolveram agredir todos eles. O jornal A Plateia desta tarde diz que um senhor e uma senhora de idade, que portavam faixa acabaram empurrados; uma terceira pessoa, uma senhora, que estava de muletas, acabou indo ao chão.

Para conter os ânimos, a Brigada Militar e o Pelotão de Operações Especiais (POE), tropa de choque, contiveram os jagunços do MST.

"Vimos socos, pontapés e a Brigada Militar precisou usar spray de pimenta para conseguir conter o tumulto", afirmou Elis Regina, repórter do Jornal A Plateia, que acompanha junto a toda a equipe da TV A Plateia e da rádio RCC FM o encontro de Lula com Mujica.


domingo, 18 de março de 2018

ACABOU, LULA, AGORA É DEFINITIVO

Edson Fachin nega pedido de Lula ao STF para tentar escapar da prisão

Fachin avisa que Supremo apoia prisão após segunda instância

Fachin afirmou que não cabe a ele, levar a pauta para julgamento no plenário do Supremo

Diário do Poder

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o novo habeas corpus preventivo, mais uma tentativa da defesa do ex-presidente Lula de escapar da prisão. A defesa de Lula apresentou o novo HC nesta quarta-feira (14).

Fachin ressalta na decisão desta sexta-feira (16), que o STF não mudou seu entendimento. “No momento da impetração inicial, e mesmo agora após o aditamento, não se alterou, nesse interregno, a orientação da jurisprudência firmada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal quanto ao tema da execução criminal após a sentença condenatória ser confirmada à unanimidade por juízo colegiado de segundo grau".

O ministro também afirmou que não cabe a ele, levar a pauta para julgamento no plenário do Supremo, por entender que essa incumbência é da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF.

Súmula do STF manda ignorar habeas Corpus já indeferido

Pela Súmula 691, do Supremo Tribunal Federal, não compete ao STF examinar decisão de relator indeferindo em habeas corpus requerido a tribunal superior. Sendo assim, prevalece a decisão do ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negando o benefício a Lula.

A Súmula 961, de 2007, foi aprovada com apoio do então ministro Sepúlveda Pertence.

AOS CLIENTES DO CRIME (AOS CHEFÕES, TAMBÉM) INTERESSA QUE O RIO DE JANEIRO CONTINUE EXATAMENTE COMO ESTÁ

Verdades, só verdades, nada mais que verdades

Ricardo Kertzman

Desafio a qualquer um, que encontre uma única vírgula fora do lugar, no texto que segue abaixo.

Freixo, Caetano e Duvivier: contra a intervenção federal, contra a polícia

“Não acabou, tem que acabar, eu quero o fim da Polícia Militar”. Eis aí o novo mantra, repetido à exaustão pelos militantes de esquerda do Brasil. Há que se perguntar o porquê de tanto ódio em relação à polícia, não é verdade?

É certo que a PM comete abusos. Eu mesmo já sofri alguns ao longo da vida. Já levei borrachada em porta de estádio e até hoje não sei por quê. Já tive revólver apontado para minha fuça porque avancei um sinal vermelho. Já fui pisoteado por um cavalo (animal) montado por outro (policial). Isso transforma a instituição em algo execrável? O excesso de alguns maus militares compromete o trabalho servil e heroico de 99,99% de seus colegas? Claro que não.

Em nome de supostos “direitos humanos” a esquerda, notadamente o PT, PSOL e suas franjas organizadas, insurge-se contra a Polícia Militar e as Forças Armadas. É de se perguntar o porquê novamente. Ora, quais direitos humanos estão garantidos hoje aos milhões de brasileiros que vivem nas favelas? Direito a levar uma bala perdida? A ver adolescentes “quicando” nuas sobre os pênis de traficantes, em bailes funk, numa espécie de “roleta russa” sexual? Direito a ter de pagar por proteção aos chefes dos morros?

Sinto em “botar o dedo na ferida”, mas se ninguém o faz, faço eu. Os movimentos organizados de esquerda são parceiros do crime. Em nome de supostas lutas ideológicas, as esquerdas aliam-se invariavelmente ao que não presta. E é assim no mundo inteiro, aliás.

São parceiras de terroristas, seja no Oriente Médio ou na Itália, como no caso do assassino Cesare Battisti, abrigado no Brasil por suas babás vermelhas. São parceiras da ditadura Castro, em Cuba. Da venezuelana, de Chavez e Maduro. Ou das africanas, que tiveram suas dívidas externas com o Brasil perdoadas pelo ex-presidente Lula.

Desta forma, só me resta pensar que as esquerdas são, na verdade, sócias do crime. Por serem financiadas por criminosos (sim, há financiamento de campanha por dinheiro oriundo do tráfico) ou por necessitarem de serviços e produtos fornecidos por eles.

Quais? Ora, pancadaria, depredações, invasões, terrorismo… Ou isso não é coisa de criminosos?

Acaso o jornalista morto (pela explosão de uma bomba, numa manifestação no Rio) foi vítima de um padre ou de alguém que deliberadamente fabricou e atirou um artefato para ferir e matar? Os mísseis diuturnamente (Dilma Rousseff diria noturnamente também, hehe) lançados de Gaza sobre Israel são caseiramente fabricados ou fornecidos pelo Irã e Coreia do Norte? E o que dizer das toneladas de maconha e cocaína, avidamente ingeridas por artistas e intelectuais cariocas, por adolescentes e jovens de classe média e classe média alta da zona sul da cidade; são compradas nas farmácias?

Sim, meus caros. Esquerda e crime caminham juntos. Jogo do bicho e escola de samba (lembram-se dos desfiles deste ano, no Rio, demonizando Temer e as reformas trabalhista e previdenciária?). Diretórios acadêmicos e maconha. Botecos do eixo Ipanema-Leblon e outras drogas mais pesadas. PT e corrupção. PSOL e corrupção. PCdoB e corrupção. Comunismo, Socialismo e genocídios…

Estou mentindo?

Outra coisa: não é verdade que o povo esteja ao lado desta gente. Sobretudo o povo mais pobre. Uma coisa é a popularidade de Lula, construída durante anos sobre o baixíssimo nível educacional da ampla maioria dos seus eleitores. Bem diferente é o apoio às bandeiras de esquerda. Pobre não é a favor das drogas, não é a favor do aborto, não é a favor da ideologia de gênero tampouco.

Pobre é religioso, é trabalhador, venera a família. Sobretudo: pobre gosta de polícia! Mais de 80% da população mais pobre do Rio é favorável à intervenção na segurança do estado. Intuo que, nas favelas, este índice suba para próximo aos 100%.

A vereadora do PSOL recém executada, contrária a tudo isso, obteve 40 mil votos. Favelada que era, imaginava-se ter sido eleita pelos votos dos vizinhos. Que nada! Menos da metade dos seus eleitores moram nos morros. Na zona sul da cidade, alcançou seus melhores resultados. Apenas no Leblon, obteve mais de 1200 votos. Surpresa? Nenhuma, ué. A turminha descolada do bairro precisa de pouca polícia e muito tráfico. Assim a erva lhes chega mais farta e barata, ora. Por isso votam em quem lhes garante a farra.

Há quase quatro décadas, Leonel Brizola, então eleito governador do estado, já dava a senha: em seu governo, a polícia era proibida de subir os morros. Sim, amigos. Há quase 40 anos. Ontem, em entrevista ao jornal espanhol El País, o maior traficante do Brasil preso, Nem da Rocinha disse: 1) ser contra a intervenção federal no Rio, 2) que prender não adianta nada, 3) que a solução seria legalizar as drogas, 4) que o impeachment de Dilma foi um golpe, 5) Lula foi o melhor presidente do Brasil e… que votaria nele!

Agora me digam: não é isso o que ouvimos diariamente da turma das bandeiras vermelhas, inclusive da própria vereadora morta?

Compreendem a relação mais que umbilical entre esquerda e crime? Repito a minha pergunta anterior: estou mentindo?
Acho que não, né?

SEM MÍDIA, SÓ ESTE ANO, 15 VEREADORES FORAM ASSASSINADOS

Caso de Marielle teve repercussão, mas não é primeiro ou único

Elton de Alexandre Aguiar Matta (PV) e Miguel Calixto (PSD), de Barra do Jacaré (PR), e Jorge Cunha (Pros), de Apicum Açu (MA), também morreram este ano

Pode até parecer que Marielle Franco (PSOL-RJ) foi a primeira vereadora assassinada covardemente no Brasil, só que não. Apenas nos primeiros 80 dias deste ano foram assassinados 15 vereadores em todas as regiões. No Rio, 17 policiais militares foram executados por bandidos. Os veículos de comunicação cariocas acompanharam com helicóptero todo o velório da vereadora assassinada por bandidos, mas ignorou quase todas as demais mortes de vereadores e PMs. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Foram executados este ano Vereadores em Alagoas, Rondônia, Bahia, Amazonas, Rio Grande do Sul, Piauí, Pernambuco e Paraná.

Em um só caso, dois vereadores paranaenses foram assassinados durante um assalto em Barra do Jacaré (PR).

O vereador Jorge Cunha (Pros) foi executado em Apicum Açu (MA) porque não tinha nem sequer 2 reais exigidos pelos assaltantes.

Em 2017, 134 PMs foram executados no Rio, sem comoção, exceto dos familiares e nos quartéis. Quase todos negros e negras, e pobres.

COPA E LAVA JATO

Moro remarca audiências de Lula por jogos do Brasil na Copa do Mundo

© Agência Brasil Até o processo mais midiático da Lava Jato, já que envolve o ex-presidente, irá parar em virtude da equipe de Tite

O velho clichê diz que a Copa do Mundo faz o Brasil parar. Na tarde desta sexta-feira (16), Sergio Moro apenas reforçou este velho ditado repetido de quatro em quatro anos. Em documento publicado, o juiz determinou que secretaria da 13ª Vara Federal da Justiça do Paraná remarque os depoimentos da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva marcados para dia 22 e 27 junho, datas dos jogos do Brasil contra Costa Rica e Sérvia, pelo Mundial.

A determinação de Moro é escrita após a convocação de todas testemunhas no réu em que Lula é acusado de receber propinas nas reformas realizadas no sítio Santa Bárbara, em Atibaia. Até o processo mais midiático da Lava Jato, já que envolve o ex-presidente, irá parar em virtude da equipe de Tite, que joga contra costarriquenhos e sérvios pela classificação às oitavas de final.

Entre as testemunhas liberadas pelo juiz federal para assistir ao jogo da seleção se encontram dois ex-funcionários da Petrobrás, que defenderiam Lula no dia 22, e mais duas pessoas que iriam depor a favor do petista no dia 27.A ex-presidente Dilma Rousseff irá depor normalmente em 25 de junho, data em que a seleção brasileira não joga.

A reportagem entrou em contato com Sergio Moro, que preferiu não comentar o assunto. O processo do Sitio de Atibaia acusa a Odebrecht, OAS e Schahin de reformar o local em troca de contratos com a Petrobrás; o valor chega a mais de R$ 1,02 milhão. Luiz Inácio Lula da Silva já foi condenado na Lava Jato a nove anos e meio de prisão por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá.

Com informações da Folhapress.

domingo, 11 de março de 2018

A RESPOSTA DO POVO COLOMBIANO A LULA

O Antagonista

Em 2009, Lula perguntou:

“Se, em um continente como o nosso, um índio [Evo Morales] e um metalúrgico [o próprio Lula] podem chegar à Presidência, por que alguém das Farc, disputando eleições, não pode?”

Nove anos depois, dados os protestos em atos de campanha das Farc (agora Força Alternativa Revolucionária do Comum), a rejeição popular ao acordo de paz com o grupo que não prestou contas à Justiça e o cancelamento da candidatura presidencial do líder Rodrigo Londoño, o Timochenko, a resposta é simples:

Porque o povo colombiano não quer líder de grupo narcoterrorista na presidência, Lula.

VERGONHA! DILMISTAS CRITICAM DECISÃO QUE FORTALECE FICHA LIMPA

Para Paulo Teixeira (PT) e Marcelo Castro (MDB) STF é ‘ativista’

Dois parlamentares criticaram a decisão do Supremo Tribunal Federal que manteve a aplicação da Lei da Ficha Limpa a todos os questionamentos de registro de candidatos condenados por abuso de poder econômico antes de 2010.
Em outubro do ano passado, o STF já havia decidido validar o prazo de oito anos de inelegibilidade mesmo a condenados antes de 2010, ano de edição da Lei da Ficha Limpa. Agora, os ministros aprovaram a chamada tese de repercussão geral, ou seja, que o entendimento acerca da norma vale a todos os processos ainda em tramitação sobre a questão.
O ex-ministro da Saúde de Dilma Rousseff Marcelo Castro (PMDB-PI) é contra a decisão: “com todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, parece-me absolutamente inusitada, inovadora, para não dizer esdrúxula essa decisão”, disse. “Uma norma retroagir para prejudicar alguém contraria um princípio universal do Direito e fere de morte a própria lógica, porque ninguém pode se conduzir por uma lei que não existia”, completou.
O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) criticou o entendimento do Supremo. “É um equívoco essa decisão de um tribunal que a cada dia está mais ávido para legislar. O STF está em um ativismo impressionante.” Para Teixeira, a medida traz insegurança ao eleitor e gera uma “pena eterna” aos possíveis candidatos: “A pessoa que perdeu seus direitos políticos por oito anos vai ter uma pena ainda maior porque retroagiu essa punição”.
O STF decidiu favoravelmente à aplicação retroativa do requisito de elegibilidade previsto na Lei da Ficha Limpa não prejudicaria a confiança do eleitor porque haveria ciência de que alguns candidatos concorreram apenas porque estavam amparados por liminares.
(Com informações agência Câmara)

O PRECONCEITO QUE BANALIZA A VIOLÊNCIA - "MILITARCÍDIO"

'Tem que tirar a intervenção militar da cabeça da população', diz general que comandou as tropas do Brasil no Haiti

Grasielle Castro - HuffPost Brasil 

© Daniel Morel / Reuters Ex-comandante das Forças Armadas no Haiti, o general Heleno Ribiero acredita que falta ao País combater o preconceito contra militares.

Ex-comandante das Forças Armadas no Haiti, o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira fez um amplo desagravo aos militares em um debate na Escola Superior de Guerra, no Rio de Janeiro.
Tem que parar de achar que militar está sempre de colete e armas pronto para derrubar o governo.

Para ele, os militares são mal aproveitados por causa do preconceito contra a corporação.

"Existe preconceito contra militares. (...) O País combate todos os preconceitos menos esse. Somos mal aproveitados por causa dessa bobageira de achar que vai ter revolução, que vamos derrubar o governo."

O general usa como argumento os resquícios da luta dos militares "para garantir que o País não se tornasse comunista".

"Não passa na nossa cabeça esse negócio de intervenção militar. Isso é inapropriado, extemporâneo, uma coisa que só vai prejudicar o País, tem que tirar isso da cabeça da população brasileira."


Uso da violência

Em defesa da corporação, ele ressaltou que são os militares os responsáveis pelo uso institucional da violência.

"Esse é o papel das Forças Armadas, colocar em ordem o que está em desordem. Por isso, é armada e equipada para isso", emendou.
Para ele, o que incomoda "tanta gente é que para onde mandar, a gente vai. A hora que aperta correm para as Forças Armadas".

O general também entrou no debate sobre os direitos humanos. Para ele, a condição é prioritariamente para humanos direitos.

"Se os humanos direitos não têm direitos humanos, nós temos primeiro que arrumar isso. Vamos conseguir direitos humanos para humanos direitos, depois pensar em bandido. Bandido tem que ter direitos humanos? Claro que tem. É um absurdo cometer insanidades nas operações.

Agora passar a régua em bandido com fuzil sem efeito colateral... O cara não pode andar armado com fuzil como anda com aspirador de pó. Que brincadeira é essa? Ele não tem direito nem de andar armado, quanto mais com uma AR-15.

Um sujeito desses tem que ser devidamente alertado que, pela regra de engajamento, desde que não haja efeito colateral e ele esteja exibindo uma arma de uso exclusivo das Forças Armadas, ele é alvo porque eu preciso vencer uma situação de extrema crise. Tão extrema que fez com que o governo adotasse uma providência extraordinária. (...) Não vai resolver jogando flores e beijinhos."

Transtorno geopolítico

O general acredita ainda que um dos problemas do Brasil é a localização geográfica "horrível", pela proximidade com países líderes na produção e comercialização de drogas, como Colômbia e Peru.

"Nossa diplomacia não está autorizada a fazer determinadas ameaças a esses países, como cortar subsídios. (...) Hoje esses países podem ser considerados nossos inimigos."

sexta-feira, 9 de março de 2018

O "OPERÁRIO" DE FHC

Os opositores do PSDB nem precisam esquentar a cabeça, FHC está aniquilando a candidatura tucana.

Fernando Henrique redescobre um Lula que nunca existiu 

Por J.R. Guzzo 

Se Lula se livrar da penitenciária, ninguém do PT e da “esquerda”, e muito menos o próprio Lula, vai dizer uma única palavra de agradecimento a FHC (/)

O Lula que o ex-presidente Fernando Henrique deu para elogiar de uns tempos para cá é um homem imaginário. Até agora ninguém parece ter entendido direito o que ele está querendo dizer com essa súbita descoberta de virtudes no personagem que até outro dia, pelo menos em público, o tratava como o político mais desprezível do Brasil. Lula, na verdade, passou anos a fio cuspindo em Fernando Henrique. Jamais admitiu que o seu antecessor na presidência da República tivesse tido o menor mérito em nada do que fez durante os oito anos em que esteve no governo. Ao contrário: inventou a mentira de que tinha recebido dele uma “herança maldita”, responsável por tudo que havia de errado no Brasil. Dirigiu-lhe ofensas pesadas. Tratou-o sempre com rancor, despeito e inveja. Mais que tudo, Lula agiu no Palácio do Planalto de maneira oposta às ideias gerais de Fernando Henrique. Agora, sem que se saiba por que, tornou-se um líder político exemplar na opinião do adversário de sempre. Mudou Lula ou mudou FHC? Lula, com certeza não mudou nada ─ ou melhor, mudou para muito pior do que jamais foi em toda a sua carreira. Quem mudou, então, foi FHC. É melancólico. Mas a vida tem dessas coisas ─ como mostra tão bem a experiência, o cérebro humano não é necessariamente um lugar coerente.

Na falta de uma explicação capaz de fazer algum nexo, o que se pode imaginar, com base no “Manual de Psicologia Para Amadores”, é que Fernando Henrique está de volta aos seus sonhos de 40 anos atrás. Lembram-se dele? Era, então, o retrato acabado do intelectual de esquerda brasileiro enquanto jovem ─ ou, se preferirem, mais ou menos jovem. Trazia na alma e na mente as fantasias clássicas do socialista de Terceiro Mundo, armado de leituras europeias e à procura de um regime que até hoje só existiu na imaginação das salas de aula da universidade: o “socialismo com liberdade”. Ou, então, uma nova “ditadura do proletariado”, que viesse só com proletariado e sem ditadura. Na São Bernardo do final dos anos 70, FHC e seus pares se deslumbravam com a possibilidade de ver um operário de carne e osso, ou pelo menos um líder sindical, virar uma força política de verdade. Até então, como tantos dos intelectuais brasileiros, talvez nunca tivesse visto um operário ao vivo e a cores. De repente, não só vê, mas descobre que um “homem do povo” como Lula pode crescer num sistema de liberdades, com eleições, direitos individuais, separação de poderes, etc. Bom demais, não é mesmo? Encantada, a classe intelectual da época “pirou”, como se diz.

Depois, na vida real, Fernando Henrique esqueceu por completo a figura da fábula ─ ao constatar que Lula, o herói das massas populares que iria fazer a “passagem pacifica para o socialismo”, era apenas uma invenção. Pior do que um simples equívoco, Lula era uma falsificação, como ficou comprovado assim que passou a mandar. Junto com o PT, transformou o seu governo, e o da sucessora que inventou, numa caçamba de lixo a serviço de empreiteiras de obras públicas, fornecedores da Petrobras e outros marginais hoje na cadeia, réus confessos e condenados por corrupção em massa. Onde acabou caindo o líder operário? Foi apenas mais uma quimera desfeita ─ só isso.

No percurso entre São Bernardo e a 13ª. Vara Criminal de Curitiba rolou uma vida inteira. Lula e FHC passaram a ser inimigos ─ os mais extremados da política brasileira moderna. Agora, aos 87 anos de idade, Fernando Henrique faz um salto espetacular rumo ao passado ─ e passa a orar para um herói que nunca existiu, nem na época e muito menos agora. Justamente agora, aliás, Lula está no seu ponto mais baixo ─ condenado como ladrão em três instâncias, por nove magistrados diferentes, abandonado pelas “massas” e necessitado de um golpe no Supremo Tribunal Federal para não acabar na cadeia. O ex-presidente, ex-sonhador e ex-inimigo migrou para o seu lado, é verdade, mas nenhum dos dois parece ter grande coisa a ganhar com isso. Se Lula se livrar da penitenciária, ninguém do PT e da “esquerda”, e muito menos o próprio Lula, vai dizer uma única palavra de agradecimento a FHC. Se não se livrar, o seu apoio não terá servido para coisa nenhuma. Esse mundo é mesmo injusto.

PT = PERDA TOTAL

De Mensalão a Petrolão, chegamos ao Eletrolão. Não é novidade para quem sempre acompanhou esses casos, mas agora não tem como abafar, mais um esquema está se escancarando

Belo Monte causou ‘graves impactos ambientais’ e ‘prejuízo econômico’

Operação Buona Fortuna mira pagamento de propina sobre obras da usina

A Buona Fortuna afirma que Delfim Netto recebeu percentual de propina mediante contratos fictícios de consultoria sobre a construção de Belo Monte (Foto: Reprodução)

Estadão

A procuradora da República Jerusa Burmann Viecili, da força-tarefa da Operação Lava Jato, do Ministério Público Federal, em Curitiba, aponta que as obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte causaram ‘graves impactos ambientais’ e também ‘prejuízo econômico para a sociedade’. A construção é alvo da Operação Buona Fortuna, 49.ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta sexta-feira, 9. O ex-ministro da Fazenda da ditadura Antonio Delfim Netto e seu sobrinho, o empresário Luiz Appolonio Neto são alvos de mandados de busca e apreensão.

“As provas indicam que o complexo esquema criminoso verificado no âmbito da Petrobras se expandiu pelo país e alcançou também a Eletrobrás, em especial nos negócios relativos à concessão e construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Essa obra, além de ter ocasionado graves impactos sociais e ambientais na região que já haviam sido demonstrados pelo Ministério Público Federal, também redundou em elevados prejuízos econômicos para toda sociedade”, afirma a procuradora.

A Buona Fortuna afirma que Delfim Netto recebeu percentual de propina mediante contratos fictícios de consultoria sobre a construção de Belo Monte.

Em nota, o Ministério Público Federal, no Paraná, informou que Delfim Netto é suspeito de receber parcela das vantagens indevidas que seriam direcionadas aos partidos PMDB e PT, em razão de sua atuação na estruturação do consórcio Norte Energia.

“As provas indicam que o ex-ministro recebeu 10% do percentual pago pelas construtoras a título de vantagens indevidas, enquanto o restante da propina foi dividido entre o PMDB e o PT, no patamar de 45% para cada partido”, informa a Procuradoria da República.

Segundo os investigadores, já foram rastreados pagamentos em valores superiores a R$ 4 milhões de um total estimado em R$ 15 milhões, pelas empresas Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Odebrecht, OAS e J. Malucelli, todas integrantes do Consórcio Construtor de Belo Monte, em favor de pessoas jurídicas relacionadas a Delfim Netto, por meio de contratos fictícios de consultoria.

No caso da Odebrecht os pagamentos foram registrados no sistema de controle de propinas da empresa (“Drousys”), com o codinome “Professor”.

“As apurações demonstraram que realmente não foi prestado nenhum serviço pelo ex-ministro às empreiteiras que efetuaram os pagamentos”, aponta a Lava Jato.

Delfim foi o todo poderoso ministro da Fazenda do regime militar, nos anos 1970. Ele ficou famoso como o ministro do ‘milagre econômico’.

Em agosto de 2016, em depoimento ao delegado da Polícia Federal Rodrigo Luís Sanfurgo de Carvalho, da Lava Jato, Delfim Netto, de 89 anos, afirmou que recebeu R$ 240 mil em espécie da Odebrecht em outubro de 2014 por ‘motivos pessoais, por pura conveniência’, devido a um serviço de consultoria que ele teria prestado à empreiteira.