domingo, 19 de novembro de 2017

DEMISSÕES EM MASSA ... NOS SINDICATOS

Empregados da CUT ameaçam greve contra programa de demissão voluntária

Central decide cortar 60% dos gastos com folha de pagamento


Diário do Poder

A CUT, que sempre se posiciona contra programas de demissão voluntária e estimula greves por essa razão nas empresas, agora alega, quem diria, a necessidade enxugar gastos com a folha de pagamento, "asfixiada" com o fim da obrigatoriedade do imposto sindical, decidida na reforma trabalhista que entrou em vigor no último sábado (11).

Com o programa de demissão, a CUT, que tem ao todo 178 empregados, quer cortar 60% das despesas com pessoal. Desse modo, o restante das atividades da central poderão ser mantidos.

Se até o dia 4 de dezembro, quando se encerra o PDI, o programa não tiver adesão, a CUT começará a demitir até que se alcance o percentual estipulado.

A redução na folha de pagamento não é uma medida apenas da CUT. Outros sindicatos estão tomando decisões semelhantes após o fim das contribuições sindicais obrigatórias. A Confederação Nacional dos Metalúrgicos é uma delas.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

DE MILHÃO EM MILHÃO, JUSTIÇA ESCANCARA A FORTUNA DO CHEÃO

PROCURADORIA PEDE BLOQUEIO DE R$ 24 MILHÕES DE LULA E DO FILHO

Estadão
(Fausto Macedo, Julia Affonso e Luiz Vassallo)


A Procuradoria da República, na Brasília, requereu à Justiça Federal o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula e de um de seus filhos, Luiz Cláudio Lula na Operação Zelotes - processo contra o ex-presidente por suposto tráfico na compra dos caças Gripen. Os procuradores querem confiscar R$ 21,4 milhões do petista e mais R$ 2,5 milhões de Luiz Cláudio.

O juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal, de Brasília, mandou intimar Lula e Luiz Cláudio para se manifestarem sobre o pedido de bloqueio promovido pelo Ministério Público Federal.

Lula, o filho e o casal de lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni foram denunciados pelo Ministério Público Federal em dezembro do ano passado. Todos são acusado por 'negociações irregulares que levaram à compra de 36 caças do modelo Gripen pelo governo brasileiro e à prorrogação de incentivos fiscais destinados a montadoras de veículos por meio da Medida Provisória 627'. O Estado revelou em 2015 o esquema de tráfico de influência e compra de Medidas Provisórias atribuído ao ex-presidente na Zelotes.

Os procuradores pedem ainda confisco de valores do casal de lobistas. O juiz Vallisney Oliveira também mandou Mauro Marcondes e Cristina Mautoni se manifestarem sobre o pedido da Procuradoria.

A Procuradoria da República afirma, na acusação, que os crimes teriam sido praticados entre 2013 e 2015 quando Lula, já na condição de ex-presidente, 'integrou um esquema que vendia a promessa de que ele poderia interferir junto ao governo para beneficiar as empresas MMC, grupo Caoa e SAAB, clientes da empresa Marcondes e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia LTDA (M&M)'.

Em troca, afirma a denúncia, Mauro e Cristina, donos da M&M, repassaram a Luis Cláudio pouco mais de R$ 2,5 milhões.
(...)

terça-feira, 14 de novembro de 2017

PELEGADA VAI CHORAR, MAS NÃO VAI MAMAR

Deixa a pelegada chorar, fazer arruaça, queimar ônibus, fazer sabotagem em metrô, envenenar a cabeça de gente bobinha ..... o que importa é que não vão mais fazer farra com o dinheiro do trabalhador

TEMER NÃO VAI RESTABELECER O IMPOSTO SINDICAL

Para o governo, fim da contribuição obrigatória é definitivo

Fim do imposto sindical obrigatório é definitivo apesar do choro da pelegada

Não adianta chororô: o presidente Michel Temer decidiu não incluir, nas medidas de “revisão” da reforma trabalhista, o retorno da “contribuição” obrigatória que garantia à pelegada receita anual de cerca de R$3,5 bilhões. A contribuição sindical morreu, segundo um dos ministros mais influentes. Entre os ajustes previstos estão a desvinculação das indenizações do salário e entrega de comprovantes de FGTS e INSS. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Centrais sindicais, confederações, federações e sindicatos não estão obrigados a prestar contas de sua receita bilionária.

O Congresso aprovou lei submetendo entidades sindicais à fiscalização do Tribunal de Contas da União, mas o então presidente Lula vetou.

Há décadas o trabalhador é obrigado a dar um dia de trabalho ao “bolo” do imposto sindical. Agora, com a reforma, isso será voluntário.

O fim do dinheiro fácil que os sustentava e aos “mortadelas” levou os sindicalistas a promoverem protestos em todo o País. Serão inúteis.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

DINHEIRO 'ESQUECIDO' PODE TER SIDO LEVADO POR ROSE, 'AMIGA' DE LULA

DINHEIRO SEM DONO PODE TER SIDO LEVADO A PORTUGAL POR 'ROSE', AMIGA ÍNTIMA DE LULA
        

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

DINHEIRO EM BANCO FALIDO PODE SER DE PETISTAS

MILHÕES ABANDONADOS - PORTUGAL APURA SE É PETISTA PARTE DE €40 MILHÕES ABANDONADOS


Autoridades portuguesas investigam se pertencem a políticos brasileiros ao menos parte dos 40 milhões de euros (R$153 milhões) abandonados no Banco Espírito Santo (BES), que faliu. Os titulares dos investimentos não apareceram. A Comissão de Liquidação os procura desde agosto de 2016. O BES mantinha relações promíscuas com próceres da era Lula, como o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Presidente do BES por 20 anos, Ricardo Salgado contou ao Ministério Público português que pagava propina mensal de R$100 mil a Dirceu.

A “mesada” ao ex-braço direito de Lula era para ajudar a Portugal Telecom na compra da brasileira Oi, durante o governo do PT.

A suspeita é que o dinheiro “abandonado” tem origem suja. Está em outros bancos, em “contas jumbo”, cujos titulares não são identificados.

O Ministério Público de Portugal investiga as relações de executivos do país com políticos petistas, especialmente Lula, na Operação Marquês.

PT RETALIA LAVA JATO PELAS CONDENAÇÕES DE PETISTAS

PT VOTA CONTRA PEC QUE DÁ INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA À POLÍCIA FEDERAL


Diário do Poder

Deputados do PT, e dos partidos anexos, se posicionaram contra a admissibilidade da PEC 412, que dá autonomia financeira e orçamentária à Polícia Federal, durante reunião na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara nesta terça. "Não querem nem discutir", disse um parlamentar favorável.

A rejeição ao projeto foi classificada por outros parlamentares como retaliação aos avanços das investigações no âmbito da operação Lava Jato. "Todos nós sabemos do sistema podre que está aí e da tramoia para tentar enfraquecer a operação Lava Jato", disse o deputado Éder Mauro (PSD-PA).

Nos discursos anteriores, os deputados Luiz Couto (PT-PB), Chico Alencar (Psol-RJ) e Wadih Damous (PT-RJ) atacaram a PEC como uma tentativa de criar um novo Poder. Para Damous, a PEC é uma "ameaça ao estado democrático de direito", repetiu o mantra petista.

Os parlamentares lembraram que, enquanto estava no governo e no comando da PF, o PT usava um discurso de fortalecimento da instituição, mas assim que as investigações começaram a resultar em condenações de políticos do partido, o PT abandonou, subitamente, o apoio.

Quando a derrota ficou clara, o deputado Paulo Teixeira (PT) apresentou requerimento para adiar a votação por cinco sessões. Em votação, a CCJ aprovou o requetimento e deve retornar ao assunto antes do recesso.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

LULA AMARELOU COM COCALEIRO, TEMER NÃO

TEMER MANDA ADVERTIR MORALES SOBRE DECLARAÇÕES HOSTIS EM SUA VISITA

VISITA SERÁ CANCELADA CASO SE ELE INTROMETA NA POLÍTICA INTERNA



O presidente cocaleiro boliviano Evo Morales, que é amigo do ex-presidente Lula, foi advertido de que o governo brasileiro cancelará sua visita em caso de hostilidades na agenda ou em caso de declarações sobre política interna brasileira. Sua visita, semana passada, foi adiada de última hora em razão dos problemas de saúde que resultaram na cirurgia do presidente Michel Temer. Nova data vem sendo negociada. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

“Soubemos de um ato político e avisamos que isso não seria bem recebido”, informou fonte altamente qualificada do Palácio do Planalto.

A advertência do Brasil à Bolívia, clara, dispensou carta ou ofício: foi tema de conversa entre diplomatas de ambos os países.

Morales é do grupo de semi-ditadores populistas “bolivarianos”, aliados do PT, que usam a democracia para destruí-la e se manter no poder.

Morales tem afrontado o Brasil desde sua posse, desde quando invadiu com tropas a refinaria da Petrobras, de R$5 bilhões, e a “nacionalizou”.

domingo, 5 de novembro de 2017

LULA TEM NOVA NAMORADA E NÃO É ROSE. É UMA LOIRA...



VEJA

Na cúpula do PT todos já sabem que o ex-presidente Lula anda se relacionando com uma mulher loira. 

Aliás, os dirigentes petistas mais próximos de Lula, são todos cumplices do novo caso do ex-presidente.

A mesma cumplicidade que acobertou todos os episódios de favorecimento a Rose Noronha, quando dona Marisa ainda era viva.

Agora, não obstante a viuvez, todos acham ainda cedo para que o novo namoro seja revelado.

Acreditam que caso Lula consiga ser candidato, vai precisar explorar emocionalmente o episódio do falecimento de dona Marisa e, assim sendo, a revelação de uma namorada pode ofuscar a força da encenação.

sábado, 4 de novembro de 2017

PERSONA NON GRATA - BOLIVIANO TOMOU NOSSA REFINARIA, LULA AMARELOU

TEMER DEVERIA RECUSAR A VISITA DE EVO MORALES AO BRASIL

TROPAS BOLIVIANAS INVADEM A REFINARIA DA PETROBRAS E DECRETAM SUA "NACIONALIZAÇÃO".

A inesperada cirurgia do presidente Michel Temer gerou uma notícia positiva: poupou o Brasil da visita do presidente cocaleiro da Bolívia, Evo Morales, que surrupiou uma refinaria da Petrobras, onde os brasileiros otários investiram mais de R$5 bilhões. Pior: o afano contou com a anuência do então presidente Lula, conforme ele mesmo lembrou ao ser visitado por integrantes do governo boliviano. Com a cirurgia, a visita de Morales foi “adiada”. A nova data não foi definida. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O Brasil desperdiçou na refinaria boliviana dinheiro suficiente para construir ao menos 770 escolas de grande porte e 230 hospitais.

Em vídeo com o vice-presidente boliviano, Lula contou ter sido avisado por Morales, ainda candidato, que nos tomaria a refinaria da Petrobras.

Lula até elogia adversários no vídeo, ao afirmar que a “elite retrógrada” não aceitaria, como ele aceitou, a tunga da refinaria de R$5 bilhões.

Se não pelas afrontas ao Brasil, Morales deveria ser persona non grata por “déficit democrático”: ele subjugou a Bolívia ao seu autoritarismo.

Veja o vídeo em que Lula confessa como entregou o patrimônio da Petrobras aos bolivianos:

terça-feira, 31 de outubro de 2017

APLICATIVOS: PROJETO DE DEPUTADO PETISTA PODE JOGAR O BRASIL NO ATRASO

VETAR UBER ABRE PORTA PARA PROIBIR AIRBNB E ATÉ INTERNET BANKING


Pode refletir em outros aplicativos uma eventual decisão do Congresso que proíba ou dificulte a utilização do Uber ou Cabify. Uma decisão equivocada pode condenar o Brasil ao atraso: assim como na Câmara já tramita proposta do lobby de hotéis para eliminar o aplicativo Airbnb, de aluguel de imóveis por temporada, bancários aguardam a derrota do Uber para pedir à Justiça o fim de aplicativos de internet banking. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O ministro Moreira Franco (Secretaria de Governo) espera que Michel Temer vete qualquer prejuízo a avanços como aplicativos do tipo Uber.

“O que não pode é prejudicar a sociedade para manter os privilégios de algumas pessoas”, afirma Moreira Franco, sobre a briga Uber x táxi.

Relator no Senado, Pedro Chaves (PSD-MS) quer substituir o PLC 28 da Câmara pelo PLS 530, do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

Estudo em quatro cidades americanas mostra que para cada dólar de receita do Uber, seis dólares foram economizados pelos usuários.
*

Assista AQUI ao comentário de uma motorista de UBER e entenda o que pode destruir os aplicativos de transporte, projeto do deputado petista Carlos Zarattini, e o substitutivo do relator no Senado, Pedro Chaves (PSD-MS), que quer substituir o PLC 28 da Câmara pelo PLS 530, do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), regulamentando a atividade como serviço privado e, portanto, trazendo melhorias sem atrapalhar o funcionamento dos aplicativos.

OPERAÇÃO TURBOCRED - FRAUDE NO BB DA ERA DILMA

PF INVESTIGA FRAUDE EM FINANCIAMENTOS AGRÍCOLAS DO BB NO GOVERNO DILMA

IRREGULARIDADES NO BANCO FORAM REGISTRADAS ENTRE 2012 E 2015


Diário do Poder

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta terça (31) a segunda fase da operação Turbocred, para combater o desvio de verbas públicas por meio de fraudes em financiamentos agrícolas no Banco do Brasil durante o governo Dilma, entre 2012 e 2015, inclusive quando Aldemir Bendine, atualmente preso na Lava Jato, presidia a instituição.

São cumpridos 39 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Espírito Santo e Goiás. Policiais foram deslocados às residências de tomadores de empréstimos considerados “fraudulentos”, funcionários e ex-funcionários do Banco do Brasil, e de pessoas que atuaram como “laranjas” nas fraudes.

A segunda fase da operação Turbocred decorre da análise da documentação apreendida em agências do Banco do Brasil durante a primeira fase, em 17 de maio do ano passado. Foram analisadas 149 operações de financiamentos agrícolas, 13 de outras modalidades e 90% haviam sido fraudadas, de acordo com a PF.

Entre os tipos de fraude apurados no inquérito estão a obtenção de financiamentos para custear atividade agrícola em imóvel próprio, mas usado em imóvel arrendado a terceiros; falsificação de carta de arrendamento para empréstimos de atividade agrícola fictícia e a tomada de sucessivos financiamentos para diversos empreendimentos agrícolas, sem capacidade financeira.

A PF informou que as investigações apontam pagamento de propina a funcionários do Banco do Brasil para a obtenção de financiamentos por meio de contas-correntes em nome de “laranjas”. “Os investigados responderão, na medida de suas participações, por crimes de gestão fraudulenta e gestão temerária de instituição financeira, aplicação de recursos de financiamento em finalidade diversa, previstos na lei de crimes financeiros, além de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e associação criminosa, com penas de um a 12 anos de prisão”, informa a PF.

LAVA JATO: PAGAMENTOS DE PALESTRAS DE LULA PODE TER OCULTADO PROPINAS

MORO AUTORIZA PF A USAR PROVAS DA ODEBRECHT SOBRE 'PALESTRAS' DE LULA


O juiz federal Sérgio Moro autorizou nesta segunda (30) que a Polícia Federal use a delação de executivos da Odebrecht e a documentação ligada aos depoimentos em investigação sobre as palestras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista controla a empresa LILS Palestras, Eventos e Publicações – aberta em 2011, após ele deixar o governo.

A Operação Lava Jato suspeita que os pagamentos de palestras do petista, no Brasil e em países das Américas Latina e Central e África, pode ter ocultado propinas. Os investigadores apuram o recebimento direto de R$ 9 milhões de seis empreiteiras acusadas de cartel e corrupção na Petrobrás, e outros pagamentos indiretos e de outras empresas.

Criada para que o ex-presidente pudesse dar palestras, a LILS movimentou entre 2011 e 2015 um total de R$ 52,3 milhões. Foram R$ 27 milhões recebidos, a maior parte de empreiteiras e grandes empresas, e R$ 25,2 milhões em débitos.

A PF havia solicitado autorização “para utilização de todo o material amealhado nos autos para instrução do inquérito policial instaurado para investigar pagamentos indevidos e lavagem de dinheiro relacionados à LILS Palestras e ao ex-Presidente da República, e eventuais desmembramentos”. O Ministério Público Federal foi favorável à solicitação.

Moro liberou. “Ante a manifestação convergente das autoridades responsáveis pelo procedimento investigatório, defiro o requerido e autorizo a utilização das provas e elementos probatórios destes autos para instrução das investigações encetadas no âmbito do inquérito policial e eventuais desmembramentos.”

A investigação pode gerar mais uma denúncia do Ministério Público Federal, no Paraná, contra o ex-presidente. Lula foi alvo de três acusações da força-tarefa da Lava Jato.

A primeira envolve o tríplex do Guarujá. O petista foi condenado a nove anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Lula é réu em ação penal por supostas propinas da Odebrecht. As vantagens indevidas incluiriam um terreno de R$ 12,5 milhões para Instituto Lula e cobertura vizinha à residência de Lula em São Bernardo de R$ 504 mil.

Em outro processo, Lula responde por corrupção e lavagem de dinheiro relacionado ao sítio de Atibaia.

O petista nega todas as acusações. Seus advogados afirmam que Lula é vítima de “lawfare”.

“Uma das táticas desse fenômeno consiste justamente na abertura de diversos procedimentos jurídicos sem materialidade, frívolos, exatamente como ocorre em relação a essa investigação relativa a palestras efetivamente realizadas pelo ex-presidente a partir de relações privadas e lícitas”, têm reiterado seus defensores.

Os advogados afirmam que “todas as palestras do ex-presidente foram feitas e pagas com as devidas emissões de notas e pagamento de impostos”. (AE)

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

INTERNET ESVAZIA OS BANCOS...E OS SINDICATOS

Um fulano muito conhecido liderava greves combinadas com os patrões com a finalidade de facilitar as demissões e para que tivessem argumentos para aumentar o preço dos produtos. Seu discurso era e continua sendo virulento, assim como são as manifestações dos líderes sindicais. Em alguns casos, o cliente consegue driblar essas práticas, como acontece durante as greves de bancários. Portanto, quem seriam os maiores prejudicados nessas ações que sugerem defender o trabalhador senão o próprio trabalhador?

AGÊNCIAS BANCÁRIAS FAZEM SÓ 8% DAS OPERAÇÕES

NOVAS TECNOLOGIAS TORNAM AGÊNCIAS BANCÁRIAS QUASE OBSOLETAS


O avanço da tecnologia e a radicalização cada vez maior das greves anuais dos bancários têm sido apontados como alguns dos principais fatores para o processo de fechamento de agências no Brasil e no exterior. Segundo a Pesquisa Febraban 2017, as transações bancárias de 2016, por meio de mobile e internet banking, representaram 57% do total. As operações realizadas em agências somaram apenas 8%. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O estudo da Federação dos Bancos reforçou a tendência crescente dos clientes por transações bancárias usando mobile e internet banking.

Os bancos brasileiros registraram 1,2 bilhão de saques (100 milhões a mais que em 2015) em caixas eletrônicos e agências, no ano passado.

O número de agências bancárias no País ainda registrou leve alta, passando de 22,9 mil, em 2015, para 23,4 mil em 2016.

A pesquisa da Febraban foi realizada pela Deloitte com a participação de 17 bancos, que representam 93% dos ativos do setor financeiro.

"PRA ROUBAR ASSIM, A ORDEM VEM DE CIMA"

Há 25 anos, experiente empreiteiro cravava: tudo começa no primeiro escalão.

Por Lillian Witte Fibe


Nos idos de 1992, auge do movimento dos caras-pintadas pelo impeachment do presidente Collor, eu estive em Cáceres, uma das joias do Pantanal, em Mato Grosso, na fronteira com a Bolívia.

Presente, o dono de uma das maiores e mais antigas empreiteiras de obras públicas. Depois do evento, pedi a opinião dele sobre a corrupção no governo, cujas revelações nos deixavam mais e mais perplexos.

Há décadas à frente do negócio, o empresário balançou a cabeça e disse: “O que a gente sabe é que a ordem vem de cima. Sem isso, fica muito mais difícil roubar e pedir propina. Tem que ter o aval do primeiro escalão”.

O empreiteiro morreu há vários anos. A empresa dele foi absorvida por um dos atuais presidiários da Lava Jato.
A julgar pelo que garante o Ministério Público em relação aos chefes das organizações criminosas do século 21, o diagnóstico do empreiteiro já estava correto lá trás, há 25 anos.

E o presidente que teve o mandato interrompido por denúncias de corrupção e perdeu os direitos políticos por oito anos, como sabemos, é senador da República. E réu na Lava Jato.

domingo, 29 de outubro de 2017

IBOPE - BOLSONARO E O CONDENADO NO 2º TURNO

Ibope: Lula e Bolsonaro na frente

POR LAURO JARDIM (29/10/2017)



Lula e Jair Bolsonaro iriam para o segundo turno se as eleições presidenciais fossem hoje. É o que mostra a primeira pesquisa feita pelo Ibope para medir o pulso da corrida presidencial de 2018.

Em qualquer cenário apresentado ao eleitor, Lula fica com o mínimo de 35% e o máximo de 36% das intenções de voto. Bolsonaro aparece com 15% quando enfrenta Lula. E cresce para 18% se o ex-presidente for substituído por Fernando Haddad (neste caso, está empatado com Marina Silva).

A pesquisa foi feita entre os dias 18 e 22, com 2.002 pessoas em todos os estados brasileiros, com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Marina Silva é a terceira colocada em qualquer cenário com Lula, com índices entre 8% e 11%, dependendo dos adversários. Se Lula ficar de fora, Marina lidera, empatada com Bolsonaro.

Ciro Gomes, Geraldo Alckmin e João Doria surgem embolados num pelotão abaixo, com percentuais entre os 5% e 7%. Ciro sobe até os 11% quando Lula é substituído por Haddad (que tem a preferência de 2%).

Quando o Ibope não apresenta ao entrevistado uma cartela com os nomes, ou seja, a citação sobre o candidato é espontânea, Lula aparece com 26% das intenções de voto (no Nordeste tem 42%) e Bolsonaro com 9%.

O pelotão seguinte fica muito distante entre 2% (Marina) e 1% (Ciro, Alckmin, Dilma, Temer, Doria).

Arte O Globo

OPERAÇÃO MARQUÊS - MP PORTUGUÊS APUROU PAGAMENTO DE R$2,4 MILHÕES A JOSÉ DIRCEU

PORTUGAL TELECOM E BANCO ESPÍRITO SANTO PAGARAM PROPINA A EX-MINISTRO DE LULA

Diário do Poder

Entre os anos de 2007 e 2014, o ex-ministro José Dirceu recebeu pelo menos 632 mil euros (equivalentes a R$2,4 milhões) de uma empresa do Grupo Espírito Santo (GES) e uma sociedade da Portugal Telecom (PT). De acordo com o Departamento Central de Investigação e Ação Penal, do Ministério Público de Portugal, a propina foi paga em troca da ajuda de Dirceu para as empresas de telecomunicação PT e GES, em negócios com empresas públicas do Brasil, segundo reportagem publicada neste sábado (28) pelo jornal Público, um dos mais importantes Portugal..

Entre esses negócios está a fusão da Portugal Telecom com a Oi, em 2014. O procurador Rosário Teixeira explica que a entrada da PT no capital da Oi, ia ao encontro dos interesses de alguns quadros da administração não executiva da PT, “caso de Henrique Granadeiro, e de alguns acionistas da mesma PT, caso do BES”. Além de que, “envolvia a Andrade Gutierrez [construtora brasileira envolvida “. no caso Lava Jato, o Banco Espírito Santo e alguns elementos da administração da Portugal Telecom”.

DIRCEU FOI CHEFE DA CASA CIVIL DE LULA.

Teixeira cita a participação de Dirceu na fusão das empresas, “E o referido José Dirceu de Oliveira, utilizando os seus conhecimentos junto dos responsáveis políticos brasileiros, dispôs-se a contactar as entidades portuguesas no sentido de, através da promessa de condições favoráveis ao investimento da PT na Oi e da promessa de serem gerados ganhos com o negócio, conseguir uma decisão favorável para tal investimento”. 

De acordo com a conclusão da Operação Marquês, a maior parte do dinheiro teria sido transferida por ordem do banqueiro Ricardo Salgado por intermédio do advogado português João Abrantes Serra.

Segundo a investigação, Abrantes conhecia Luiz Silva, irmão de Dirceu e em 2004 virou seu sócio em uma empresa. Após três anos, em 2007, o advogado Dirceu e Luiz acordaram unir esforços para “através dos estabelecimentos de contatos em Portugal e no Brasil, pressionar entidades políticas e a administração de empresas públicas para a obtenção de decisões favoráveis a interesses empresariais portugueses e brasileiros”.

Foram reconstituídos os circulos financeiros dos pagamentos feitos através da sociedade de Abrantes Serra a José Dirceu. Sendo que o esquema tinha objetivo de estabelecer “pretensos contratos de prestação de serviços”, que de acordo com o MP serviam de fachada para pagamentos de depois seriam encaminhados para Dirceu.

O MP relata que a Espírito Santo Financial, holding do GES, no período de março de 2011 e julho de 2014, pagou pelo menos 30 mil euros mensais, que foram divididos entre Dirceu e Abrantes. Só Dirceu recebeu cerca de 585 mil, além de pagamentos de pagamentos de despesas de um cartão de crédito associado a uma conta controlada por Abrantes.

No despacho o MP concluiu que a sociedade de Abrantes era “mero ponto de passagem” para os pagamentos a Dirceu e sem “efectiva representação e domínio”. Em interrogatório este ano, Abrantes Serra, confessou que os serviços ao GES consistiam sobre tudo em “apresentar pessoas e abrir portas” ao grupo nos países onde o grupo se implantou.

Apesar de todos os fatos apurados, o MP arquivou acusação contra Dirceu na Operação Marquês porque no “período de tempo em alegadamente ocorreram os factos o crime de tráfico de influência implicava que a entidade pública visada pela influência fosse uma entidade titular de um cargo público no estado português e não num estado estrangeiro”.

O advogado Abrantes Serra também escapou da acusação, pois segundo o MP, não foram reunidos indícios suficientes dos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e fraude fiscal qualificada.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

GOVERNOS PETISTAS BENEFICIARAM "LARANJAS" DE LULA

Exclusivo: Governo Dilma beneficiou empresa que repassou 40 mi a ‘laranja de Lula’

O Antagonista

O Antagonista já mostrou que a Editora Gol, de Jonas Suassuna, recebeu R$ 40 milhões da Movile, empresa de aplicativos que nasceu em Campinas e hoje fatura R$ 1 bilhão.

Agora descobrimos que a Movile integrou a seleta lista de fornecedores de aplicativos obrigatórios para smartphones comercializados no Brasil.

O governo Dilma teve a brilhante ideia de exigir de fabricantes de celulares que quisessem isenção fiscal de PIS/Pasep a instalação de apps nacionais. Aquela velha mãozinha do Estado.

A Apple incluiu na sua lista o app ‘Concursos – Videoaula e Simulado para Concurso Público e OAB’, enquanto a Huawei optou pelos apps FreeZone Wi-Fi e Play Kids TV.

Essa escolha era feita com ajuda das empresas de telefonia.

Lula esteve com executivos espanhóis da Telefônica (dona da Vivo) cinco meses antes de Suassuna, sócio de Lulinha, anunciar parceria comercial com a operadora por meio do aplicativo “Nuvem de Livros”.

Em maio de 2010, Lula sancionou uma lei que obrigou todas as instituições de ensino públicas e privadas a possuir pelo menos uma biblioteca com, no mínimo, um título por aluno, em “qualquer suporte” – abrindo margem para “bibliotecas virtuais”, como a Nuvem de Suassuna.

O Antagonista também revelou dias atrás que Suassuna abriu na Espanha uma filial da Gol Mobile, sua empresa de Apps, em parceria com os empresários Francesco Farrugia e Tommaso Prennushi, sócios do Instituto Campus Party.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

REPENSE O ELOGIO ... E A IDEOLOGIA


Avon e ONU Mulheres lançam mais uma campanha sobre igualdade de gênero. Trata-se de um documentário com personagens que se apresentam como vítimas de uma sociedade machista, na qual meninos são proibidos de brincar com brinquedos de menina e meninas não podem participar das atividades atribuídas aos meninos. Eu, que nasci na metade do século, nunca vi isso. Aliás, sempre tive amigos meninos na mesma proporção que meninas e brincávamos todos juntos. Com os meus filhos não foi diferente. Em que fim de mundo existe essa tal sociedade que criou uma geração de recalcados e infelizes?

Já que eu posso me considerar privilegiada, pois tive a sorte de viver no meio de pessoas livres, reconheço o direito desses movimentos que querem fazer crer que Deus não decide nada. Segundo tais ideias progressistas, os bebês, que nascem com um "gênero neutro", é que devem decidir, em algum momento de suas vidas, o que querem ser. 

Pensando bem, para que remoer conceitos retrógrados, conservadores, fascistas e, quem sabe, golpistas, sobre honrar pai e mãe se temos "jovens" celebridades globais com ideias novas, que pregam a desobediência e praticamente criminalizam os pais que ousam orientar seus filhos de acordo com suas convicções?

Quanto à questão da aparência, uma bobagem, como sugerem tais campanhas que repudiam a feminilidade, para que estimular o cuidado com a pele, para que se preocupar com um corpo perfumado, para que tratar o cabelo, enfim, para que comprar produtos da Avon?

terça-feira, 17 de outubro de 2017

MARISA ACUMULOU COM LULA RICO PATRIMÔNIO, ELA TRABALHAVA EM QUE?

INVENTÁRIO DE MARISA APONTA PATRIMÔNIO DE R$11,7 MILHÕES

LISTA DE BENS DO CASAL SOMA 20 BENS E IMÓVEIS, CARROS E APLICAÇÕES FINANCEIRAS QUE CHEGAM À SOMA DE MILHÕES.

Foram entregues na semana passada, pelos advogados, informações sobre os bens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu em fevereiro deste ano. As informações, parte do inventário de Marisa, apontam um patrimônio declarado que soma R$ 11,7 milhões. As informações são do site da Revista Época desta segunda (16).

A lista entregue apresenta 20 bens e imóveis, carros e aplicações financeiras. Entre os mais valiosos estão duas aplicações na previdência privada, que alcançam R$ 9 milhões. O levantamento não possibilitou o acesso a todas as aplicações financeiras e foi preciso solicitar junto a Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil na Bolsa de Valores extratos e posições consolidadas.

Leia abaixo a relação de bens do casal:

1 – Apartamento residencial no Edifício Green Hill, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 602.435,01

2 – Apartamento residencial, número 92, no Edifício Kentucky, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 179.606,73

3 – Apartamento residencial, número 102, no Edifício Kentucky, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 179.606,73

4 – Fração do Sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 413.547,57

5 – Direito de aquisição de uma fração do Sítio Engenho da Serra, em São Bernardo do Campo
Valor: R$ 130.000,00

6 – Automóvel Ford Ranger 2013/2013
Valor: R$ 104.732,00

7 – Automóvel Ômega CD 2010/2011
Valor: R$ 57.447,00

8 – Conta-corrente no Bradesco
Valor: R$ 26.091,51 (posição de fevereiro/2017)

9 – Crédito junto à Bancoop referente a sua demissão do quadro de sócios
Valor: R$ 320.999,20 (posição de fevereiro/2017)

10 – 98 mil cotas sociais da LILS Palestras, Eventos e Publicações
Valor: R$ 145.284,91

11 – Poupança na Caixa
Valor: R$ 126.827,43

12 – Poupança no Itaú
Valor: R$ 21.438,70

13 – Poupança no Bradesco
Valor: R$ 2.946,69

14 – Aplicação financeira Invest Plus, no Bradesco
Valor: R$ 16.605,25

15 – Aplicação financeira LCA, no Banco do Brasil
Valor: R$ 98.378,89

16 – Renda Fixa, no Banco do Brasil
Valor: R$ 191.926,45

17 – Renda Fixa, no Banco do Brasil
Valor: R$ 52.709,96

18 – Renda Fixa, no Banco do Brasil
Valor: R$ 39.929,24

19 – Previdência Privada VGBL, no Banco do Brasil
Valor: R$ 7.190.963,75

20 – Previdência Privada VGBL, no Banco do Brasil
Valor: R$ 1.848.331,34

Total: 11.749.806,36.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

FACHIN REJEITA PEDIDO DE LULA PELA ANULAÇÃO DE GRAMPOS AUTORIZADOS POR MORO

MINISTRO AFIRMOU QUE INVESTIGAÇÃO “NÃO ESTÁ DIRECIONADA A AGENTES DETENTORES DE PRERROGATIVA DE FORO”



Estadão
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, negou seguimento – julgou inviável – à Reclamação 24619, ajuizada pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de anular grampos telefônicos autorizados pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e que captaram em março de 2016 diálogos entre o ex-presidente e autoridades com prerrogativa de foro no Supremo, como a então presidente Dilma, na Operação Lava Jato.

A defesa alegou usurpação da competência do Supremo afirmando que Moro teria emitido juízo de valor sobre as conversas, além de autorizar o levantamento do sigilo das interceptações e o uso dos diálogos em inquéritos policiais.

Ao negar seguimento à reclamação, o ministro Fachin afirmou que a investigação “não está direcionada a agentes detentores de prerrogativa de foro”.

“A mera captação de diálogos envolvendo detentor de prerrogativa de foro não permite, por si só, o reconhecimento de usurpação da competência da Corte”, afirmou o ministro.

Segundo Fachin, é “indispensável, em verdade, o apontamento concreto e específico da potencial aptidão da prova de interferir na esfera jurídico do titular da referida prerrogativa”.

Ele acrescentou que não é caso de se fazer, por meio de reclamação, uma “aguda análise de fatos e provas, na hipótese em que o reclamante não aponta, de modo seguro, a potencial participação ativa do titular da prerrogativa nos fatos em apuração”.

Para Fachin, a alegação de que os agentes detentores de prerrogativa de foro terão seus diálogos devassados por todos aqueles que tiverem acesso a tais procedimentos constitui tema alheio à reclamação, por não estar relacionado à competência da Corte.

“Se referidos agentes públicos não figuram como alvo da investigação, cabe ao juízo singular avaliar e, sendo o caso, zelar pelo sigilo das provas que guarnecem o acervo sob sua supervisão.”

Fachin acrescentou ainda que Moro “observou decisão do Plenário do Supremo na Reclamação 23457, que invalidou as interceptações captadas após o término da ordem judicial”

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

CANDIDATURA AVULSA ABRE CAMINHO À PICARETAGEM

HAVERÁ OS HONESTOS E OS QUE SÓ QUEREM O DINHEIRO DO 'FUNDÃO'


A confirmação da tendência de os ministros do Supremo Tribunal Federal autorizarem candidaturas avulsas, sem exigência de filiação partidária, deverá provocar muita confusão no processo eleitoral de 2018. A começar pela divisão do bolo bilionário do “fundão eleitoral”. Afinal, candidatos avulsos também são filhos de deus, ou seja, do STF, e terão direito a financiamento público para suas campanhas. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Entre candidatos avulsos haverá gente séria, mas também aqueles interessados apenas no “fundão eleitoral” (R$1,7 bilhão, por enquanto).

A candidatura avulsa teria acesso ao rateio do “fundão”: pela lei, 50% serão destinados às campanhas de presidente, governador e senador.

Na pior das hipóteses, um candidato avulso a presidente, por exemplo, participaria do rateio de R$34 milhões (2% do fundão) previstos na lei.

Por definição, candidato avulso não tem filiação, e o tempo de TV hoje é definido por critérios como número de deputados federais do partido.

sábado, 7 de outubro de 2017

A AMEAÇA DONA REGINA

O QUE TEM FERNANDA MONTENEGRO EM COMUM COM DONA REGINA?

Resultado de imagem para o perigo regina

Texto de Claudia Wild:

Não é novidade para o grande público nacional que muitas das figuras públicas do eixo Leblon-Projac-Jardins-Nova Iorque e Paris, apoiam o regime que destruiu as reais chances de desenvolvimento do Brasil e impôs o que há de mais insalubre na América Latina. Neste sentido, a conhecida atriz Arlette Pinheiro Esteves Torres, também chamada de Fernanda Montenegro, trouxe suas pérolas e mostrou sua insatisfação com relação ao "careta" povo brasileiro.

Povo este que não vive na redoma global, que não está na mídia para exaltar ditadores e suas obras. Um povo como você, eu, nossa avó, nossa tia, nossos pais, nosso vizinho e milhões de brasileiros - que assistiram a implantação do mais ousado projeto de poder e manipulação já visto na humanidade. Um povo que quer trabalhar, criar seus filhos, ter seu lazer saudável e poder viver conforme suas tradições familiares; herdadas na simplicidade da vida e daqueles que acreditam em um Deus. Um povo que não vive do delírio, ou de uma utopia barata que perdeu há décadas seu glamour para se tornar a máxima do atraso e do egoísmo - a antítese do que pregam.

Dona Arlette, a badalada atriz de festivais, uma fiel escudeira da escumalha que afundou o Brasil, sua arte, seus conceitos político-ético-morais, sua educação e seu futuro, está inconformada com a atual conjuntura mundial, em que nós - os ex-bovinos acordamos para a realidade e tentamos interpretar como ocorreu a transformação do mundo em um enorme hospício. Dona Arlette está amedrontada com tantos questionamentos e críticas. Dona Arlette quer que seu povo permaneça mudo, aceitando goela abaixo aquilo que criam nos Projacs da vida, nos laboratórios de engenharia sócio-comportamental que são capazes de mudar conceitos, relativizar valores seculares, "desconstruir“ padrões e em suma...Acabar com tudo de bom que conhecemos da bela civilização ocidental, trazendo o novo, a nova sociedade moldada na falta de valores morais e éticos, onde é proibido proibir e o limite é o além do infinito. Onde o Deus-Estado se encarregará de nos proteger e dirimir nossos passos.

Segundo a iluminada global, "há um desserviço a serviço de um poder político estranhamente poderoso. Isto está está tendo uma amplidão assustadora para um mundo absurdamente reacionário onde só vale um único conceito. O conceito que traz alternância, no fundo, no fundo, [para eles] deverá ser morto — diz a mãe de Fernanda Torres, ressaltando ser a favor da liberdade mas contra radicalismos: — O careta deve ter o direito de ser careta, de pensar e de querer o que for, mas o fato de distinguir o contrário diante de um fato, de um fenômeno ou de uma postura humana, é amedrontador".

A decadente Dona Arlette não deve ter gostado nada quando viu Dona Regina, uma senhora do povo, que poderia ser qualquer um de nós, que não suporta mais tanta "desconstrução lacradora“, tanta inversão de valores, tantos crimes, tantos bandidos oficiais e tanta cara de pau em defender o indefensável. Uma brasileira que não tem PhD em Arte Moderna, frequenta vernissage hodierna movida ao cheiro de canabis, ou sente orgulho em assistir seu país afundar numa pseudo-democracia que prendeu o brasileiro na mais nefasta escravidão, a patética escravidão ideológica, mas, claro, muito bem remunerada para seus altos exponentes como Dona Arlette.

Dona Regina, uma brasileira simples que pensa como o senso comum, que não deve achar graça na miséria ou glorificar favelas, que muito provavelmente não defende bandidos, que quer proteger seus netos - para quem a infância é sagrada, que abomina a liberação de drogas e que também não é obscurantista, reacionária, racista, homofóbica ou fascista. Ela é o povo do Brasil: farto de uma falsa cultura sem arte e sem conteúdo, que atende apenas à superficialidade de imbecis endinheirados que são pagos para destruir a nossa sociedade e depois mudarem-se para o remanso do primeiro mundo.

Dona Arlette é aquela senhora que tapa o nariz para andar e desviar-se dos cem milhões de cadáveres que o comunismo produziu. Uma senhora que nos acusa de atraso enquanto ela mesma parou de respirar há um século. A simples Dona Regina aos setenta anos é o futuro do Brasil, já a Dona Arlette com seus quase noventa anos, é o atraso dele e não pela idade. Ela é a marca evidente da desfaçatez e da hipocrisia a serviço de um sistema nefasto e caquético - que só sobrevive através de boas transfusões de dinheiro, via Lei Rouanet e ainda graças a notória ignorância do povo brasileiro.

Voltando à pergunta: o que tem Dona Arlette em comum com Dona Regina?
__Nada! Ademais, a "careta" Dona Regina é adorável e sensata. Já a "progressista" Dona Arlette é uma lástima.

(Obs: A capa da VEJA não é real. Meramente ilustrativa)

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

PROCURADORIA PEDE AUMENTO DE PENA PARA LULA

MPF AFIRMA QUE EX-PRESIDENTE COMETEU TRÊS CRIMES DE CORRUPÇÃO E SENTENÇA SÓ IMPUTOU UM


Estadão

A Procuradoria da República na 4ª Região pediu o aumento da pena do ex-presidente Lula no âmbito de recurso ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região à sentença proferida pelo juiz federal Sérgio Moro no caso Triplex.

O magistrado responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância sentenciou o ex-presidente a 9 anos e 6 meses de prisão, por um crime de corrupção e um crime de lavagem de dinheiro. Moro entendeu que Lula recebeu R$ 2,2 milhões ao supostamente aceitar para si o triplex no condomínio Solaris, no Guarujá, como forma de propinas da OAS.

Lula foi absolvido da acusação de ter recebido, como vantagens indevidas, o armazenamento de bens custeado pela construtora junto à empresa Granero.

Em recurso ao Tribunal, o Ministério Público Federal (MPF) diz entender que Lula, na verdade, teria cometido três crimes de corrupção, um para cada contrato supostamente superfaturado da OAS junto à Petrobrás, alvo da denúncia. Segundo a Procuradoria, o petista teria ajudado a direcionar os termos à empreiteira.

A Procuradoria afirma que ‘relativamente às obras na Refinaria Presidente Getúlio Vargas – REPAR, obra realizada em conjunto pela OAS, Odebrecht e UTC Engenharia, no Consórcio CONPAR, para construção da UHDTI, UGH, UDEA do Coque de Unidades que compõem a Carteira de Gasolina, a autorização para contratação direta foi assinada por Pedro José Barusco Filho e aprovado pela Diretoria Executiva da Petrobras, Paulo Roberto Costa e Renato Duque’.

“Pela OAS, assinou o contrato Agenor Franklin Magalhães Medeiros, na qualidade de Diretor. Houve treze aditivos ao contrato, no período entre 06/06/2008 a 23/01/2012 (um contrato – um ato de corrupção)”, sustenta.

O Ministério Público ainda vê dois atos de corrupção pelas obras da Refinaria do Nordeste Abreu e Lima – RNEST. “A obra foi realizada em conjunto pela OAS, Odebrecht no Consórcio RNEST/CONEST, para implantação das Unidades de Hidrotratamento de Diesel, de Hidrotratamento de Nafta e de Geração de Hidrogênio (UHDTs e UGH) e outra para implantação das Unidades de Destilação Atmosférica (UDAs). Assinou os contratos, representando a Construtora OAS, Agenor Franklin Magalhães Medeiros (dois contratos – dois atos de corrupção)”, argumenta.

O Ministério Público Federal ainda diz concordar com a decisão de Moro que absolveu Lula no caso envolvendo o armazenamento dos bens e deu parecer pela manutenção do crime de lavagem de dinheiro pela suposta ocultação da titularidade do triplex.

TSE VÊ SUSPEIÇÃO DE JUIZ DO TRE LIGADO AO PT



O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reverteu uma asneira do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, que cassou o governador Simão Jatene (PSDB). Foi alegada suspeição de um dos algozes de Jatene no TRE-PA, José Alexandre Buchacra Araújo, ex-filiado ao PT, aliado ao PMDB de Helder Barbalho derrotado por Jatene. O ministro Herman Benjamin, de TSE, viu elementos de suspeição do juiz e suspendeu a cassação. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A decisão do TRE-PA contra Jatene é considerada “contaminada de nulidade”, pela participação de um juiz suspeito.

Agora, com a decisão do TSE, que é definitiva, o caso Simão Jatene voltará ao TRE-PA para afastar, ou não, o juiz Buchacara.

A defesa do governador do Pará agora avalia medidas administrativas em relação a Buchacara, diante dos prejuízos causados a Jatene.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

SINDICATOS SÓ PENSAM NAQUILO... SEU DINHEIRO

SINDICATOS DRIBLAM FIM DE IMPOSTOS E CRIAM TAXAS PARA TODOS OS TRABALHADORES

CENTRAIS QUEREM TOMAR DINHEIRO DE TODOS E NÃO SÓ DE ASSOCIADOS


Diário do Poder

Sindicatos das principais centrais sindicais do País estão aprovando em assembleias a manutenção da cobrança do imposto sindical ou a criação de novas contribuições antes mesmo de o governo Michel Temer editar medida provisória para regulamentar a matéria. Os sindicatos querem arrecadar o dinheiro de todos os trabalhadores e não apenas de seus sócios, tanto no caso da manutenção do imposto quanto na das novas contribuições – chamadas de assistencial ou negocial.

Essa é a estratégia montada para driblar o fim da obrigatoriedade do pagamento do imposto, previsto na reforma trabalhista que entra em vigor em 11 de novembro. Ela deve enfrentar resistência na Justiça. Para o Ministério Público do Trabalho, é ilegal (leia na pág. B3). Os sindicatos dos metalúrgicos de São Paulo (Força Sindical), dos metalúrgicos de São Leopoldo (RS), filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), e o dos têxteis de Guarulhos, da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), foram os primeiros a adotá-la.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, afirmou que a contribuição decidida pela categoria em 15 de setembro representa 1% do valor da folha de pagamento do que o trabalhador ganha em um ano, ou seja o valor de 3,5 dias trabalhados – maior, portanto, do que o antigo imposto sindical, que equivalia a um dia de salário do funcionário.

Quintino Severo, secretário de administração da CUT, disse que o exemplo do sindicato de São Leopoldo (15 mil trabalhadores na base) deve ser seguido por outros da central. “Mas nosso primeiro objetivo é aumentar a filiação.” Segundo ele, o fim do imposto afeta em média 30% da receita dos sindicatos do setor privado ligados à CUT. 

No caso do Sindivestuário de Guarulhos, a assembleia feita dia 9 decidiu manter o antigo imposto sob a alegação de que a reforma institui a prevalência do negociado sobre o legislado. “Quando a lei diz que é preciso prévia e expressa autorização, não quer dizer que ela deve ser individual ou por escrito. Se toda negociação é deliberada em assembleia, então essa autorização se dá na assembleia”, disse o secretário-geral da CSB, Álvaro Egea. A assembleia dos têxteis contou, segundo ele, com uma centena de trabalhadores – a base do sindicato tem 10 mil.

Os sindicalistas alegam que, sem o dinheiro, haverá uma quebradeira das entidades. “A média de sindicalização no País varia de 7% a 30% (de cada categoria). Só o dinheiro dos sócios não sustenta as entidades. Tirar a contribuição é retirar o maior dinheiro de muitos sindicatos. Vai haver muita fusão”, disse Antonio Neto, presidente da CSB. 

A União Geral dos Trabalhadores (UGT) vai seguir o caminho da Força Sindical. Seu presidente, Ricardo Patah, disse ao Estado que a central ainda luta pela medida provisória em razão da segurança jurídica, mas vai orientar seus sindicatos a adotar a contribuição negocial. Já o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adílson Araújo, afirmou que deve propor a manutenção do imposto. “Se é aprovado em assembleia, no meu modesto entendimento, terá força de lei.” 

Ubiraci Oliveira, presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), disse que, antes de aprovar em assembleia a cobrança do imposto, orientará os sindicatos a manter nas convenções coletivas os direitos acordados na última negociação.

Luiz Gonçalves, da Nova Central Sindical, é uma exceção. Ele disse que a central vai esperar pela MP. José Maria de Almeida, coordenador da CSP-Conlutas, disse que a central é contrária ao imposto. Para ele, os sindicatos devem se sustentar com a contribuição espontânea dos trabalhadores. “Se não conseguem, não devem sobreviver.” O secretário-geral da Intersindical, Edson Carneiro Índio, afirmou que a central ainda não se definiu.

Reação

A decisão de se adiantar à MP prometida por Temer se deve ao temor que parte das centrais tem de que o Congresso bloqueie alterações na reforma trabalhista. “Não temos garantia de que teremos boa redação ou que ela será aprovada nas duas casas legislativa”, disse Álvaro Egea, secretário-geral da CSB. O governo promete para outubro a edição da Medida Provisória.

Hoje, a contribuição negocial ou assistencial é limitada a sócios dos sindicatos por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), não podendo ser cobrada dos demais trabalhadores.

Segundo João Carlos Gonçalves, secretário-geral da Força Sindical, as centrais acreditam, porém, que a reforma trabalhista tornou a decisão do STF ultrapassada. Alegam ainda que a lei que regulamenta as centrais prevê que, na hipótese da extinção do imposto sindical, ele seria substituído pela contribuição. Por fim, para o secretário de administração da CUT, Quintino Severo, a adoção da contribuição interessaria às entidades patronais para financiar suas atividades.

A PÁ DE CAL NA CANDIDATURA DE LULA EM 2018

CARTA AO PT E DELAÇÃO DE PALOCCI 'ENTERRAM' CANDIDATURA LULA



A avaliação de dirigentes do PT, mantida em caráter reservado, é que a pá de cal na candidatura de Lula a presidente, em 2018, atende pelo nome de Antônio Palocci. Se apenas um depoimento como testemunha e uma carta de três páginas e meia feriram de morte as chances do ex-presidente, a delação premiada do ex-ministro, em curso, promete ser ainda mais devastadora. Detalha cada um dos crimes do lulismo. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Impressionam advogados que acompanham o caso a determinação e a segurança de Palocci, na decisão de fazer acordo de colaboração.

A direção do PT já não acredita que Lula escape de condenação em segunda instância, o que o tornaria inelegível ainda que não seja preso.

O ex-ministro Palocci se comprometeu junto à força-tarefa da Lava Jato relatar e confessar crimes nos quais foi testemunha e/ou cúmplice.

Dilma disse na Finlândia que Lula estará na campanha de 2018 “vivo ou morto”. Poderá estar vivo, mas tampouco tem um herdeiro político.

sábado, 30 de setembro de 2017

CUNHA: "JANOT QUERIA ME USAR PARA DERRUBAR TEMER"

CUNHA AFIRMA QUE JANOT QUIS USÁ-LO PARA DERRUBAR TEMER, A QUEM 'ODEIA'


O ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) disse em entrevista a Diego Escosteguy, da revista Época, publicada nestefim de semana, que o ex-procurador geral da República Rodrigo Janot “não queria a verdade” e que apenas “queria me usar para derrubar o Michel Temer”.

Ex-presidente da Câmara preso há quase um ano, Eduardo Cunha confirmou que seu acordo de delação não deu certo porque Jano querisa usá-lo.

“O Janot não queria a verdade; só queria me usar para derrubar o Michel Temer”, afirmou. Ele diz estar pronto para tentar um acordo com a nova procuradora-geral Raquel Dodge. E criticou o ex-PGR.

Cunha diz que Janot tem “ódio” do presidente Michel Temer e “operou politicamente” o processo de delações, com o intuito de derrubar Temer e conseguir um terceiro mandato como procurador-geral.

Cunha – Janot queria que eu colocasse mentiras na delação para derrubar o Michel Temer. Se vão derrubar ou não o Michel Temer, se ele fez algo de errado ou não, é uma outra história. Mas não vão me usar para confirmar algo que não fiz, para atender aos interesses políticos do Janot. Ele operou politicamente esse processo de delações.

O ex-deputado também criticou a delação premiadíssima de Joesley Batista, dono da JBS, que, segundo ele, “poupou muito o PT”. Disse por exemplo que a delação “escondeu que nos reunimos, eu e Joesley, quatro horas com o Lula, na véspera do impeachment. O Lula estava tentando me convencer a parar o impeachment. Isso é só um pequeno exemplo. Eu traria muitos fatos que tornariam inviável a delação da JBS. Tenho conhecimento de omissões graves”, afirmou.

Entrevista completa AQUI.

HERDEIRA GARANTE QUE VENDEU APÊ A LULA

HERDEIRA DE APARTAMENTO VIZINHO AO DE LULA DIZ QUE FOI AVISADA QUE VENDA ERA PARA ELE

O APARTAMENTO EM SÃO BERNARDO DO CAMPO (SP) É UTILIZADO POR LULA DESDE 2003 FOTO: RICARDO STUCKERT

Estadão

A herdeira do apartamento 121 do Edifício Hill House – que a força-tarefa da Lava Jato acusa ser um presente dado a Lula, registrado em nome de um “laranja” -, Tatiana de Almeida Campos informou a Receita Federal que em 2010, quando foi feita a escritura de cessão de direitos do imóvel foi informada por sua advogada que o bem estava sendo alienado para o ex-presidente.

O apartamento é o vizinho ao que Lula mora, na cobertura do Hill House, em São Bernardo do Campo, e é usado pelo petista desde 2003, pelo menos. Até 2007 era alugado pelo PT do falecido pai de Tatiana, Augusto Moreira Campos. De 2007 a 2011 foi a Presidência da República que locou o imóvel, que era usado durante os dois mandatos do petista para abrigar as equipes de segurança.

Em 2010, com a morte do proprietário em fevereiro de 2009, o apartamento 121 foi comprado por Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, por R$ 504 mil, em negócio conduzido pelo advogado Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente. Lula é réu na Lava Jato em Curitiba acusado de ter recebido esse apartamento e um terreno de R$ 12 milhões da Odebrecht, no esquema de corrupção descoberto na Petrobrás.

Filha do antigo dono do apartamento 121, Tatiana informou a Receita, em 2016, em documento anexado ao processo, que em 20 de setembro de 2010 sua advogada Lacier Pereira de Almeida Souza, que é sua prima, a buscou para “assinar a venda da cobertura, apto 121, para o Lula. “Foi isso que ela me falou no taxi, na ida ao cartório.”

“Como eu confiava muito nela, somente perguntei se estava tudo correto, ela fez um sinal positivo e me disse onde assinar. Eu não li nada, simplesmente assinei acreditando estar vendendo a cobertura para o Lula. O valor era R$ 504 mil (hoje desconfio ter sido muito mais, mas não posso dizer com certeza””, escreveu Tatiana.

Tatiana afirma que só em 2016 tomou conhecimento que o verdadeiro comprador era Glaucos Costamarques, apóis ter sido revelado pela Lava Jato. “Pra mim ele (Lula) era o dono, de modo que se perguntarem à minha família, todos vão dize que eu ‘vendi’ a cobertura do meu pai para o Lula.”

No documento de 12 maio de 2016 enviado para a Receita, a herdeira diz que só em 2016 buscou o cartório e descobriu que não se tratava de uma venda e sim de uma cessão de direito hereditário e que o bem ainda estava em nome do falecido pai, não tendo sido oficialmente transmitido a Costamarques.

Na acusação contra Lula, o Ministério Público Federal destaca que depois de efetivada a aquisição do apartamento, Roberto Teixeira peticionou como representante de Costamarques a ação de inventário da família do antigo dono, que correu na 2ª Vara da Família e Sucessões da Comarca de São Bernardo do Campo, “apenas em 17 de março de 2011”. “Naquela petição, nada constou sobre a transação que já havia sido realizada” em agosto de 2010.

Um mês antes, em 1º de fevereiro de 2011, Costamarques assinou um contrato feito por Teixeira de locação do apartamento em nome da ex-primeira-dama Marisa Letícia (que morreu em fevereiro), na condição de cessionário, tendo como cedentes a viúva Elenice Silva Campos e a filha Tatiana.

Na ação de inventário do imóvel, Teixeira, como representante de Costamarques, noticiou a cessão de direitos hereditários e de meação assinada em setembro de 2010 e requereu a adjudicação do apartamento 121 em favor do primo de Bumlai em 1º de julho de 2016 – quase seis anos depois, quando Lula já era alvo dos processos da Lava Jato.

A herdeira relata no documento que antes da venda do apartamento 121 para Costamarques, houve um tentativa de a excluírem da propriedade, em 2009, em uma partilha amigável que ela diz nunca ter assinado. “Em 2013 comecei a estudar Direito, para poder entender melhor tudo que estava acontecendo, e também porque sempre que eu falava isso tudo para um advogado ele dizia: ‘deixa isso, você vai mexer com a máfia do PT? Pode correr risco de morte’.”

Inquilino. Lula afirma que é inquilino do imóvel, que foi alugado em 2011 por Dona Marisa para receber os filhos e ser usado para reuniões políticos. Na semana passada, o defensor do ex-presidente Cristiano Zanin Martins, que é genro e sócio de Teixeira, apresentou 26 recibos, que vão de 2011 a 2015, para comprovar que os alugueis eram pagos normalmente.

A Lava Jato quebrou os sigilos bancários de Lula, de Dona Marisa e de Glaucos Costamarques e “não foram encontrados registros de pagamentos” feitos para o suposto “laranja” – nem mesmo via contas bancárias de L.I.L.S.
Palestras e Eeventos e do Instituto Lula.

Só à partir de novembro de 2015, quando Glaucos afirmou ter sido informado por Teixeira que passaria a receber aluguel, é que a Lava Jato identificou nos extratos bancários do laranja “depósitos em dinheiro em seu favor em valores compatíveis com o suposto aluguel”.

Após a entrega dos recibos pela defesa de Lula, Glaucos disse por meio de seus advogados que os documentos foram assinados por ele no mesmo dia, em novembro de 2015, quando Teixeira o teria informado que passaria a pagar os alugueis.

A acusação do MPF nesse processo diz que Lula, dona Marisa (que deixou de figurar no processo após a morte), Costamarques e Teixiera agiram “em conluio” e “dissimularam a origem, disposição, movimentação e propriedade de R$ 504 mil, provenientes, direta e indiretamente, dos crimes de organização criminosa, cartel, fraude à licitação e corrupção praticados pelos executivos do Grupo Odebrecht”, na Petrobrás.
(...)

JOESLEY BATISTA FALOU COM CARDOZO E RENAN DURANTE DELAÇÃO



O empresário Joesley Batista relatava ao então presidente do Senado, Renan Calheiros, e ao ex-ministro Justiça e advogado de Dilma José Eduardo Cardozo os seus depoimentos a procuradores, segundo ele próprio conta nos áudios divulgados nesta sexta-feira (29). Em uma das conversas gravadas, ele reclama haver prestado depoimento “a um garoto de 34 anos”, um procurador a quem chama de “Dr. Ancelmo”. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Joesley diz na gravação que marcou jantar com Renan Calheiros logo depois da primeira reunião para tratar da delação premiada.

Ele disse estar “preocupado” e Renan teria se interessado no motivo. Sua resposta: “Eu tive agora depondo para um menino de 34 anos”.

O delator revela ter discutido com o ex-ministro Cardozo sobre a lei de combate às organizações criminosas, após a deflagração da Lava Jato.

Ainda não foram divulgadas as gravações que Joesley fez de suas conversas com Cardozo, para “trabalhar” ministros do STF.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

CONFIRMADO PELO DONO DO APÊ - RECIBOS DE LULA SÃO FAJUTOS

RECIBOS DE LULA PROVOCAM SUSPEITA DE TENTATIVA DE OBSTRUÇÃO À JUSTIÇA

ASSINADOS NO MESMO DIA, PODEM COMPLICAR SITUAÇÃO DO PETISTA


Diário do Poder

O empresário Glaucos da Costamarques, dono do apartamento alugado para o ex-presidente Lula, afirmou ter assinado todos os recibos de aluguel de uma vez só. Os documentos são referentes ao ano de 2015.

A defesa de Lula apresentou à Justiça, na segunda-feira (25), os comprovantes de aluguel do imóvel entre 2011 e novembro de 2015. A defesa de Costamarques diz que ele assinou os documentos no Hospital Sírio-Libanês, quando estava internado. Disse ainda que os recibos foram levados pelo contador João Muniz Leite, a pedido do advogado de Lula Roberto Teixeira.

A defesa do empresário quer provar que os documentos foram confeccionados pela defesa do petista e pretende ajuizar uma petição na Justiça apresentando essa informação. Os advogados de Costamarques devem solicitar as imagens do sistema de segurança do hospital para comprovar a visita do contador de Lula.

O empresário esteve hospitalizado entre 22 e 28 de novembro de 2015 para a colocação de um stent. Para investigadores da Lava Jato, o episódio é avaliado como possível tentativa de obstrução à Justiça por parte de Lula. A defesa do petista procurou um dos réus com a investigação em curso.

Segundo Costamarques, mesmo tendo firmado contrato com a ex-primeira-dama Marisa Letícia em 2011, somente em novembro de 2015 passou a receber os valores do aluguel, após a prisão do pecuarista José Carlos Bumlai. Ainda segundo ele, alguns pagamentos foram realizados com dinheiro vivo. Desde a morte de Marisa, os valores passaram a ser pagos por meio de transferência.

A defesa de Lula não comentou.

LULA VETOU PROPOSTA DE ACORDO DE LENIÊNCIA DO PT COM A JUSTIÇA

AO OUVIR A PROPOSTA DE VACCARI, ELE REAGIU ASSIM: 'TÁ MALUCO?'


O ex-presidente Lula vetou pessoalmente a proposta do amigo João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do partido, de negociar acordo de leniência do PT com a Justiça, confessando seus crimes e pedindo desculpas aos brasileiros. Na opinião de Vaccari e de enrolados como o ex-ministro Antônio Palocci, um acordo de leniência poderia abrir caminho para o PT não ser extinto, como prevê a lei, e preservar os mandatos. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

“Tá maluco?”, respondeu Lula ao então presidente do partido, Rui Falcão, portador da proposta de acordo de leniência feita por Vaccari.

As ações em que é réu por corrupção e a carta de Palocci permitem entender por que Lula não quer ver o PT confessando seus crimes.

Dirigentes petistas acham que Lula até parece acreditar na própria lorota de que não há ninguém mais honesto que ele “nesse País” (sic).

O risco do PT é concreto: a lei prevê a extinção de partido que financiem suas campanhas com dinheiro roubado dos cofres públicos.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O JOGO DOS ERROS NOS RECIBOS DE LULA... OPS, DE DONA MARISA

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

O engenheiro Glaucos Costamarques, suposto proprietário do apartamento alugado por dona Marisa e primo do amigo de Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai, entrevistado pelo Estadão, repetiu o que disse em depoimento ao juiz Sergio Moro: Lula só passou a pagar o aluguel da cobertura em “São Bernardo do Campo” em novembro de 2015.

Segundo jornalistas que garantem o que informam em seus sites, de acordo com o que ouvem de suas fontes, outros erros aparecem nos recibos.

O proprietário, que diz ter comprado a cobertura em 2010, estaria em Los Angeles no dia que um dos recibos entregues por Lula foi assinado, é o que informa o O Antagonista.

O site mostra um recibo com data de 6 de janeiro de 2014. No entanto, o engenheiro teria ido até Los Angeles, nos Estados Unidos, no dia 12 de dezembro de 2013, e só teria voltado em 9 de janeiro de 2014, três dias depois da data do recibo.

O site também aponta outras inconsistências nos recibos entregues pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro.

Entre eles, há erros de digitação no nome da cidade de São Bernardo do Campo, que aparece grafada como “São Bernanrdo” em três recibos.

Leitores do site também apontaram que alguns recibos foram assinados em finais de semana, falta de autenticação, ausência de mais de 30 recibos e o estado de conservação dos documentos, que não teriam marca de tempo e, portanto, mostram evidências de que foram produzidos recentemente.

Além disso, há o caso de dois recibos com datas inexistentes: 31 de junho e 31 de novembro, ambos meses que só têm 30 dias.

Se foram mesmo forjados, os recibos do aluguel do apartamento em São Bernardo, fornecidos pela defesa de Lula, além de fraude processual, poderão ser considerados mais dois crimes: falsidade ideológica e obstrução de Justiça.

Para concluir, por enquanto, mais um questionamento sobre a origem dos tais recibos, onde estavam quando a Polícia Federal vasculhou os imóveis de Lula?

LULA ENROLADO COM OS RECIBOS

ALÉM DE DATAS INEXISTENTES, DEFESA DE LULA NÃO ENTREGA 33 RECIBOS DE ALUGUEL

OUTRO ERRO ENCONTRADO NOS DOCUMENTOS É DE DIGITAÇÃO


Diário do Poder

Além de apresentar dois recibos de aluguel com datas que não existem, a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou de entregar 33 comprovantes. Outro problema encontrado em documentos que comprovariam a locação do apartamento vizinho ao que o petista mora, é com erros de digitação.

A defesa de Lula entregou recibos de aluguel à Justiça. Dos 26, dois apresentam datas que não existem: 31 de junho de 2014 e 31 de novembro de 2015. Outros seis, referentes a 2012, têm erros de digitação. Ao invés de ‘São Bernardo do Campo’, cidade onde fica o imóvel, está escrito São Bernanrdo’.

O contrato de locação teria começado em fevereiro de 2011, no entanto, somente 26 recibos foram entregues. Considerando até o final de 2015, 33 documentos não foram apresentados, assim como comprovantes de como os pagamentos foram realizados.

Aluguel

Nos dois mandatos de Lula, a Presidência alugou o imóvel vizinho ao que o petista mora. O motivo seria para abrigar sua equipe de segurança. Mesmo com o fim do mandato, em 2011, o imóvel continuou a ser ocupado.

Segundo investigações da Operação Lava Jato, no fim de 2010 o apartamento foi comprado por Glaucos da Costamarques. Ele é primo do amigão de Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai. Para a força-tarega, Glauco é intermediário e o apartamento foi comprado pela Odebrecht para Lula, como forma de propina.

Erros

Para a defesa de Lula, os erros nos comprovantes são irrelevantes para o valor probatório dos documentos. Disse ainda que bastaria ser apresentado o ultimo recibo de pagamento a Costamarques com reconhecimento de quitação para que todos os anteriores fossem considerados pagos. Com relação à forma de pagamento, a defesa não se manifestou.

Em depoimento, Lula atribuiu à mulher, Marisa Letícia, a responsabilidade sobre o pagamento dos alugueis, assim como guardar documentos para o imposto de renda.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

RECIBOS DE ALUGUEL DE LULA, DATAS NÃO EXISTEM

RECIBOS DE ALUGUÉIS APRESENTADOS POR LULA TÊM DATAS QUE NÃO EXISTEM



Diário do Poder

Dois recibos de aluguel do imóvel vizinho ao do ex-presidente Lula, em São Bernardo, entregues ao juiz federal Sérgio Moro pela defesa do petista apresentam datas que não existem no calendário cristão. O duplex é um dos pivôs de ação penal pela qual Lula responde na Operação Lava Jato.

Os advogados apresentaram contrato da ex-primeira dama Marisa Letícia com Glaucos da Costamarques, dono do imóvel no cartório.

O imóvel, no valor de R$ 504 mil, é tratado pelo Ministério Público Federal como suposta propina ao petista. Para a Procuradoria-Geral da República, a Odebrecht custeou a compra do apartamento, em nome de Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente. Na mesma ação, ele responde por também ter supostamente recebido da empreiteira terreno onde seria sediado o Instituto Lula, no valor de R$ 12,5 milhões.

A denúncia da Procuradoria da República sobre o apartamento 121 ainda aponta que propinas pagas pela Odebrecht, no esquema que seria liderado pelo ex-presidente, chegaram a R$ 75 milhões em oito contratos com a Petrobrás.

A Lava Jato afirma que não houve pagamento de aluguel entre fevereiro de 2011 e pelo menos novembro de 2015. Nesta segunda-feira, 25, a defesa do ex-presidente apresentou documentos que contestam a versão dos procuradores.

Em depoimento a Moro, Lula rebateu alegando que o recibo de pagamento do aluguel do apartamento 121, do residencial Hill House, em São Bernardo do Campo, ‘pode ser pego e enviado’ ao juiz federal Sérgio Moro e ao Ministério Público Federal na Operação Lava Jato. O petista prestou depoimento por mais de duas horas em ação sobre supostas propinas da Odebrecht ao ex-presidente.

Os documentos foram entregues nesta terça-feira, 25, pela defesa do ex-presidente.

Em recibo do suposto pagamento do aluguel, no valor de R$ 4,1 mil reais, consta que o vencimento seria no dia 31 de junho de 2014 – o mês tem 30 dias.

“Recebi da Sra. Marisa Letícia Lula da Silva a quantia de R$ 4.170,00 (quatro mil cento e setenta reais), em moeda corrente, referente ao pagamento de aluguel do imóvel situado na avenida Francisco Prestes Maia, n. 1501 – ap 121 – Residencial Hill House – São Bernardo do Campo-SP, vencido no dia 31 de junho de 2014, do qual dou plena, total e irrevogável quitação”, diz o documento, supostamente assinado por Glaucos da Costamarques.

Em outro recibo, consta a data de 31 de novembro, outro mês que se encerra no dia 30.

“Recebi da Sra. Marisa Letícia Lula da Silva a quantia de R$ 4.300,00 (quatro mil e trezentos reais), em moeda corrente, referente ao pagamento de aluguel do imóvel situado na avenida Francisco Prestes Maia, n. 1501 – ap 121 – Residencial Hill House – São Bernardo do Campo-SP, vencido no dia 31 de novembro de 2015, do qual dou plena, total e irrevogável quitação”, consta no recibo.

Nota da defesa de Lula:

Na relação de documentos apresentados pela Defesa do ex-Presidente Lula na data de ontem (25/08) não há qualquer recibo emitido em “31 de junho de 2014” ou “31 de novembro de 2015”.

Pela lei, bastaria à Defesa ter apresentado o último recibo com reconhecimento de quitação, sem qualquer ressalva de débitos anteriores, para que todos os demais pagamentos fossem considerados realizados. É o que estabelece o artigo 322, do Código Civil. Mas a Defesa apresentou todos os recibos a que teve acesso, a fim de afastar qualquer dúvida.

Se 2 dos 26 recibos apresentados contêm erro material em relação às datas dos vencimentos dos aluguéis que estão sendo pagos isso não tem qualquer relevância para o valor probatório dos documentos. Por meio deles, D. Marisa recebeu expressamente quitação dos aluguéis, na forma do artigo 319, do Código Civil, sendo isso o que basta para rebater todos os questionamentos indevidamente formulados ao ex-Presidente Lula durante a audiência de 13/08. Ao todo foram 21 perguntas somente em relação aos recibos de aluguéis — sendo 12 do juiz e 9 do Ministério Público. Sobre a acusação propriamente dita, que envolve 8 contratos específicos da Petrobras, nenhuma pergunta foi formulada e nenhuma prova foi apresentada.

A tentativa de transformar os recibos no foco principal da ação é uma clara demonstração de que nem o Ministério Público nem o juízo encontraram qualquer materialidade para sustentar as descabidas acusações formuladas contra Lula em relação aos contratos da Petrobras.


Cristiano Zanin Martins

PALOCCI: "LULA ENCOMENDAVA PROPINAS SEM CERIMÔNIAS"

Na Folha

O ex-ministro Antonio Palocci enviou nesta terça-feira (26) uma carta à presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), pedindo sua desfiliação do partido. No documento, Palocci reafirma as declarações feitas ao juiz Sergio Moro, segundo as quais o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fizera um “pacto de sangue” com a empreiteira Odebrecht.

Na carta, Palocci diz ter visto com estranheza o fato de o PT ter aberto um procedimento interno após sua decisão de buscar um acordo de delação, mas não ter feito o mesmo para apurar as razões pelas quais estava detido pela Operação Lava Jato.

No texto, Palocci diz que tentou trabalhar pelo partido e por Lula, sabendo que seria difícil não cometer “desvios éticos”.

“Sei dos erros e ilegalidades que cometi. E assumo minhas responsabilidades. Mas não posso deixar de destacar o choque de ter visto Lula sucumbir ao pior da política no melhor dos momentos de seu governo”, escreveu o ex-ministro.

Na carta, Palocci diz ainda ter discutido com Lula e o ex-presidente do PT Rui Falcão a possibilidade de celebração de um acordo de leniência em favor do PT. Ele afirma ainda que um dia a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente da Petrobras vão admitir a “perplexidade que tomou conta de nós após a fatídica reunião no Palácio do Alvorada, onde Lula encomendou as sondas e as propinas no mesmo tom, sem cerimônias”.

Ex-ministro diz ter proposto a Lula e a Falcão que colaborassem com a Justiça e se dedicassem à reforma política.

“Tive oportunidade de expressar essa opinião informal a Lula e a Rui Falcão, então presidente do PT, que naquela oportunidade, transmitia uma proposta apresentada por João Vaccari para que o PT buscasse um processo de leniência na Lava Jato”.

Palocci encerra a carta afirmando que aceitaria qualquer penalidade do partido. “Mas ressalto que não posso fazê-lo neste momento e neste formato proposto pelo partido, onde quem fala a verdade é punido e os erros e ilegalidades são varridos para debaixo do tapete”.

EM CARTA, PALOCCI PEDE DESFILIAÇÃO DO PT E CHAMA PARTIDO DE 'SEITA'

'SOMOS UM PARTIDO OU UMA SEITA GUIADA POR PRETENSA DIVINDADE?'



O ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil – Governos Lula e Dilma), quadro histórico do PT, enviou uma carta à direção do partido em que faz uma emblemática indagação. “Somos um partido ou uma seita?”

Palocci pediu desfiliação do PT. “Somos um partido político sob a liderança de pessoas de carne e osso ou somos uma seita guiada por uma pretensa divindade? Chegou a hora da verdade para nós. De minha parte, já virei essa página.”

Preso desde setembro de 2016, o ex-ministro, interrogado em 6 de setembro pelo juiz federal Sérgio Moro, rompeu o silêncio e incriminou o ex-presidente Lula, seu antigo parceiro de agremiação. Palocci acusou o ex-presidente de ter fechado um ‘pacto de sangue’ com a Odebrecht, em troca de uma super propina de R$ 300 milhões para seu partido e para ele próprio. Lula nega.

Na sexta-feira, 22, o PT decidiu suspender Palocci por 60 dias das atividades partidárias.

“Ao mentir, sem apresentar provas e seguindo um roteiro pré-estabelecido em seu depoimento na 13a. Vara da Justiça Federal, em Curitiba, no último dia 6 de setembro, Palocci colocou-se deliberadamente a serviço da perseguição político-eleitoral que é movida contra a liderança popular de Lula e o PT. Desta forma, rompeu seu vínculo com o partido e descomprometeu-se com a sua militância”, disse a resolução. (AE)

ODEBRECHT GARANTE QUE PAGAMENTOS A LULA VÃO ALÉM DOS REGISTRADOS

EMÍLIO TRATAVA DE DINHEIRODUTO PARA LULA, DIZ O FILHO MARCELO



Estadão


O empresário Marcelo Bahia Odebrecht destacou em novos depoimentos prestados à Polícia Federal, em Curitiba, em 8 e 21 de agosto, que os pagamentos a Luiz Inácio Lula da Silva acertados com seu pai e patriarca do grupo, Emílio Odebrecht, não se limitaram aos registrados no codinome "Amigo" da planilha de propinas "Italiano", que era gerenciada pelo ex-ministro Antonio Palocci e chegou a ter R$ 300 milhões à disposição do ex-presidente e do PT.

"Reitera que houve outros pagamentos a Lula, acertados por Emílio, que não transitaram pela conta 'Italiano' e nem tiveram o envolvimento do colaborador", registra a PF, no termo de depoimento de Marcelo, do dia 8. Delator desde janeiro e preso desde junho de 2015, o empresário foi novamente ouvido pela PF, desta vez no inquérito que apura propinas em doações ao Instituto Lula e pagamentos de palestras via Lils Palestras e Eventos.

Marcelo pontuou que na conta "Italiano" houve "dois créditos decorrentes de pedidos de contrapartida específica: valores 'LM' e 'BK' que totalizaram 114 milhões". E que além destes, "houve outros créditos que somados a estes totalizaram cerca de R$ 300 milhões". "Mas que fazia parte de uma agenda mais ampla, sem vinculação específica, ou seja, sem contrapartida específica".

Para investigadores da força-tarefa, a distinção feita pelo empresário, entre créditos condicionados a contratos específicos e os que entraram em espécie de "conta geral" em troca de benefícios no governo, é retórica, tratando-se tudo de corrupção.

'Amigo'

Nos termos de sua delação premiada e nos dois novos depoimentos à PF, Marcelo explicou a planilha de 2013 apreendida pela Lava Jato e os valores registrados nela. Segundo o empresário, havia nesse acerto em que ele participou diretamente um crédito de R$ 15 milhões para o 'Amigo'.

"Nessa planilha constam retiradas que foram abatidas da subconta 'Amigo'", afirmou. "Seguramente, pode afirmar que as do 'Programa' B4, B5, B6 e também a do registro 'Doação Instituto 2014' foram abatidas da subconta."

O empresário diz que as "retiradas foram solicitadas por Palocci que solicitou que fossem abatidas da referida subconta 'Amigo'". Para ele, a destinação de R$ 12,4 milhões destinados à compra de um terreno para o Instituto Lula debitada dessa subconta também confirma que Lula era o "Amigo".

No dia 21, a defesa de Odebrecht entregou cópia de e-mails que ele trocou com executivos do grupo Alexandrino Alencar, que era o longa manus de Emílio nos tratos com Lula, e Hilberto Silva, que era o chefe do setor de propinas do grupo. Em um deles, de 2013, citam "doação ao Instituto Lula" de R$ 4 milhões, feita por via oficial, mas com dinheiro da "conta corrente" Italiano abatido da subconta "Amigo".

"Os valores doados ao Instituto Lula, total de R$ 4 milhões, foram lançados na planilha Italiano como 'Doação Instituto 2014 4.000', após o qual remaneceu o saldo de R$ 10 milhões, conforme a última atualização', informou Marcelo. Segundo ele, mais R$ 1 milhão foi abatido dessa subconta como "Programa B", que seria referência a Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci, que retirava o dinheiro.

'Padrinho'

Marcelo afirmou nos novos depoimentos que todo acerto com Lula era "alinhado" com seu pai, o patriarca do grande acordo de delação da Odebrecht - que envolveu 77 executivos. É Emílio Odebrecht quem pode dar maiores detalhes sobre os pagamentos de palestras e doações ao Instituto Lula.

"Qualquer assunto diretamente ou indiretamente relacionado a Lula era alinhado com Emílio, com orientação deste, cuja interlocução com Lula no dia-a-dia era feita em geral por meio de Alexandrino de Alencar", explicou Marcelo. "Qualquer tratativa com Lula, o padrinho era Emílio, mesmo que a tratativa fosse por algum intermediário de Lula."

O empresário, único integrante do grupo ainda preso pela Lava Jato - pelo acordo de delação, Marcelo deve deixar a cadeia em 2018 -, afirmou que não se recorda se as palestras de Lula, feitas via empresa Lils Palestras e Eventos, também eram debitadas da planilha de propinas.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

SEGUNDO EMPREITEIRO, 'DOAÇÕES' ERAM PROPINA A LULA

ODEBRECHT ENTREGA COMPROVANTES DE R$ 4 MILHÕES EM 'DOAÇÕES' AO INSTITUTO LULA


Diário do Poder

O empreiteiro Marcelo Odebrecht apresentou à Polícia Federal, na Operação Lava Jato, quatro recibos com doações de R$ 1 milhão cada ao Instituto Lula. O executivo, delator da Operação Lava Jato, vincula os repasses à planilha de propinas “italiano” – codinome usado por empreiteiros do grupo para o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Casa Civil – Governos Lula e Dilma).

As notas têm as datas de 16 de dezembro de 2013, 31 de janeiro de 2014, 5 de março de 2014 e 31 de março de 2014. São numeradas – 0094, 108, 119 e 0129, respectivamente. Três estão carimbadas.

“Recebemos de Construtora Norberto Odebrecht S.A a importância de um milhão de reais”, diz o recibo. “Correspondentes a doação depositada na conta corrente do Banco do Brasil.”

Em depoimento à PF, Marcelo Odebrecht afirmou que ‘as cópias desses recibos foram extraídas do computador de Fernando Migliaccio'.

“O que corrobora que os valores foram efetivamente descontados da planilha italiano, senão não haveria razão para estar de posse dele (Migliaccio)”, relatou o executivo.

Além das notas fiscais, o empreiteiro apresentou à Lava Jato uma troca de e-mails entre ele e executivos do grupo sobre a doação de R$ 4 milhões. Segundo Marcelo, os e-mails foram entregues em agosto deste ano, pois não haviam sido localizados na época em que fechou seu acordo e apresentou os anexos. As mensagens foram anexadas aos processos da Lava Jato na quinta-feira, 21.

A primeira mensagem foi enviada por Marcelo Odebrecht em 26 de novembro de 2013, às 12h32, para os executivos Alexandrino Alencar e Hilberto Silva – chefe do Setor de Operações Estruturadas, o departamento de propinas da empreiteira. Todos são delatores da Lava Jato.

“Italiano disse que o Japonês vai lhe procurar para um apoio formal ao inst de 4m (nao sabe se todo este ano, ou 2 este ano e 2 do outro). Vai sair de um saldo que o amigo de meu pai ainda tem comigo de 14 (coordenar com HS no que tange ao Credito) mas com MP no que tange ao discurso pois será formal”, afirmou Marcelo.

Em depoimento à PF, o empreiteiro explicou as siglas inseridas no e-mail. “Japonês corresponde a Paulo Okamotto; que a palavra “Inst.” corresponde ao Instituto Lula; que “4M” corresponde ao valor de R$ 4 milhões; que “HS” são as iniciais de Hilberto Silva; que “MP” deve corresponder ao responsável pela comunicação na construtora, já que tudo seria formal e teriam que ter um discurso para eventual esclarecimento público”, declarou.

LEO PINHEIRO PROMETE ENTREGAR LULA

EXECUTIVO PROMETE FALAR SOBRE PALESTRAS E DOAÇÕES AO INSTITUTO LULA


Estadão

Anexos da proposta de delação premiada do empreiteiro José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, da OAS, vão revelar informações sobre os pagamentos de palestras do ex-presidente Lula e doações ao instituto que leva o nome do petista. Na terça-feira, 19, Léo Pinheiro foi chamado a prestar depoimento à Polícia Federal. Ficou em silêncio. O motivo é o acordo que o empreiteiro quer firmar com a Procuradoria-Geral da República.

Léo Pinheiro foi preso uma primeira vez na Operação Juízo Final, 7.ª fase da Lava Jato deflagrada em novembro de 2014. Ganhou prisão domiciliar, por ordem do Supremo Tribunal Federal, e voltou para o regime fechado em 5 de setembro de 2016.

Em 13 de setembro deste ano, o juiz federal Sérgio Moro ordenou a expedição de mandado de prisão para execução provisória contra o empreiteiro e também o executivo da OAS Agenor Franklin Magalhães Medeiros. Eles foram condenados em 2.ª instância em ação penal sobre propina de R$ 29.223.961,00 à Diretoria de Abastecimento da Petrobras por contratos da Refinaria Getúlio Vargas (Repar) e da Refinaria Abreu e Lima (Rnest).

Durante parte do período em que esteve preso, Léo Pinheiro se manteve em silêncio. Durante os interrogatórios perante o juiz Moro, o empreiteiro se negava a dar informações.

Em 29 de abril deste ano, Léo Pinheiro mudou de ideia. Em interrogatório no caso triplex, o executivo entregou Lula. “O apartamento era do presidente Lula”, afirmou na ocasião.

Além das informações sobre o triplex, Léo Pinheiro declarou que o petista o teria orientado a destruir provas de pagamentos via caixa dois ao PT no exterior. “Se tiver destrua!”, foi a ordem de Lula, segundo o empresário.

Em 21 de junho, em novo interrogatório perante Moro, o empreiteiro fez novas confissões. O ex-presidente da OAS confirmou pagamento de propina sobre obras do Novo Cenpes, no Rio.

Tentando fechar sua delação premiada, Léo Pinheiro silenciou na terça, 19. “Não obstante desejo de colaborar com as apurações, já revelado inclusive em recentes interrogatórios judiciais nos casos do ‘triplex’, do Cenpes do caso de Gim Argello da CPMI da Petrobras, todos em ações penais específicas que tramitam na 13.ª Vara Federal de Curitiba, considerando o estágio de negociação de acordo de colaboração premiada com PGR, por ora entende melhor, como orientação de defesa, permanecer em silêncio; Que, porém, os assuntos tratados neste inquérito policial, ora informados como abrangendo os pagamentos de palestras contratadas do ex-presidente da República as doações ao Instituto Lula, serão objetos de anexos no âmbito da colaboração”, decidiu.
(...)

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

BOATARIA - A JUSTIÇA NÃO LIVROU LULA DE MORO

SUBPROCURADORA NÃO DEFENDEU SUSPEIÇÃO DE MORO

O Antagonista obteve hoje o parecer da subprocuradora-geral Áurea Pierre e descobriu que ela não entra no mérito da suspeição de Sérgio Moro, apenas se mostrou favorável à admissibilidade do recurso.

Significa que, ao contrário do alardeado pelos blogs sujos do PT ontem à noite, Pierre não defendeu a suspeição do juiz da Lava Jato, apenas deu causa ao recurso, para que seja analisado no TRF-4.

É que a defesa de Lula não conseguiu sequer que os desembargadores do Paraná recebessem o pedido de suspeição. Por isso, os advogados recorreram ao STJ para que obrigue o tribunal a julgar o pedido, pelo menos.

Caberá à Quinta Turma do STJ avaliar se concorda ou não com o parecer de Pierre pela admissibilidade. Caso tenha sucesso, o que dificilmente ocorrerá, o TRF-4 será obrigado a analisar o pedido de suspeição.

Não há dúvida de que será negado.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

URGENTE: LULA É HEPTARÉU



O Antagonista


O juiz Vallisney de Oliveira acaba de aceitar a denúncia do MPF contra Lula e Gilberto Carvalho, por cobrança de propina em troca da edição da MP 471/2009, que beneficiou as montadoras Caoa e Mitsubishi.

Lula responderá por corrupção passiva.

O MPF acusa Lula e Gilbertinho de receberem R$ 6 milhões em propina, por meio do escritório de lobby de Mauro Marcondes.

O ex-presidente responde a outras cinco ações penais (três na Lava Jato, uma na Zelotes e outra na Operação Janus) e já foi condenado numa sexta, referente ao triplex do Guarujá.
*
Na decisão contra Lula, obtida por O Antagonista, o juiz Vallisney de Oliveira diz que a denúncia do MPF descreve de modo “claro e objetivo” os crimes imputados ao ex-presidente e a seu ex-chefe de gabinete Gilberto Carvalho.

“Lula e Gilberto aceitaram promessa de vantagem indevida feita por Mauro Marcondes (empresa M&M), José Ricardo da Silva (SGR), Alexandre Paes dos Santos (SGR), Paulo Arantes Ferraz (MMC) e Carlos Alberto de Oliveira Andrade (Caoa).”

Em troca, “infringindo dever funcional, favoreceram as montadoras ao editarem, em celeridade e procedimento atípicos, a Medida Provisória 471, franqueando aos corruptores, inclusive, conhecimento do texto da norma antes de ser publicada e numerada, depois de realizados os ajustes recomendados”.

Para Vallisney, “está demonstrada a plausibilidade das alegações contidas na denúncia”.