quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

PT QUER UM (OU MAIS) CADÁVER, DIA 24

Polícia teme que o PT ‘produza’ um cadáver

Autoridades estão preocupadas com incitação à violência do PT


Polícia sabe que 'fabricação' de cadáver é recurso recomendado pelos manuais de agitação política.

Autoridades de segurança estão prevenidas sobre a forte possibilidade de o PT promover manifestações violentas, no próximo dia 24, o “dia de fúria” contra a Justiça, provocando policiais gaúchos a tentar “produzir um cadáver”. Só a comoção provocada por uma morte, na concepção de porraloucas petistas, poderia inibir a condenação de Lula por corrupção no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de Porto Alegre. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

As forças de segurança estão cientes de que os manuais de agitação e propaganda preconizam a fabricação de cadáver, em casos extremos.

“Tudo o que o PT mais deseja, na situação atual, é um cadáver”, adverte experiente analista de inteligência de órgão de informações.

A “palavra de ordem” de ódio foi da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, incitando a violência: “Para prender o Lula, vai ter que matar gente”.

Não há manipulação no processo contra Lula. Sérgio Moro o condenou a 9 anos e seis meses de prisão por corrupção, simples assim.

PT PROMOVE SUJEIRA, NA DEFESA DE LULA


A pichação anda solta em Brasília, onde painéis de vidro dos modernos pontos de ônibus já aparecem repletos de ‘posters’, encharcados de cola, com a cara angelical do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a autoproclamar sua inocência aos que aguardam a chegada do transporte.

A imundície nos pontos de ônibus é o resultado do trabalho de panfletários do PT, sem dúvida animados pelo manifesto preparado pelo ex-chanceler Celso Amorim (“Eleição sem Lula é fraude ao povo”), base da campanha que ele e o partido promovem no exterior, numa tentativa de desqualificar a democracia brasileira e suas instituições, em particular as do Poder Judiciário.

Felizmente, não estamos mais sob o jugo do PT, que durante seus anos no poder estabeleceu no país um clima de opressão, cujo objetivo final era o de subjugar as instituições republicanas aos desígnios ideológicos do partido, nos moldes do que a dupla Hugo Chávez – Nicolás Maduro conseguiu implantar na Venezuela.

Não foi, aliás, no próprio Itamaraty, no tempo do mesmo Celso Amorim, que se criou um “cursinho” obrigatório de marxismo, pelo qual tinham de passar os diplomatas que chegavam do exterior, se aspirassem conseguir vaga em alguma divisão ou departamento?

Que panfleteiem o que quiserem pois é direito democrático. Mas que o façam dentro da lei. Pixar propriedade pública é crime. Que tratem depois os petistas de reembolsar o governo do Distrito Federal pelos gastos de retirar a sujeirada colada nos pontos de ônibus.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

UM EVENTO PARA TIRAR LULA DO BRASIL?



Moreira Franco autorizou que Lula seja acompanhado por dois assessores em viagem que fará a Adis Abeba, capital da Etiópia, entre os dias 26 e 29 de janeiro, informa a Expresso, da Época.

Lula participará de evento organizado pela FAO, comandada por seu ex-ministro José Graziano.
A menos que a Justiça recolha o passaporte, Lula viaja no dia 25 para Etiópia, que não tem acordo de extradição com o Brasil.

Além de ser uma afronta à Justiça, pois nesse dia já estará decretada sua provável condenação com pena de prisão em regime fechado, há informações mais escabrosas sobre o evento, como informa o site de O Antagonista:

O evento de Lula na Etiópia, marcado para o dia 26, não consta da agenda oficial da FAO, agência da ONU dirigida por José Graziano, ex-ministro do petista.

O Antagonista confirmou com a assessoria da organização que, até agora, não há qualquer informação sobre o tal debate.

Os petistas alegam que o encontro sobre segurança alimentar seria um “desdobramento” de outro realizado em 2013, entre a FAO, o Instituto Lula e a União Africana.

AEROLULA PARTICULAR

Jatinho usado por Lula pode ter saído de sua 'conta corrente' com Odebrecht

Parecia ser de Lula o jatinho 'da Odebrecht' que ele usava

Lula agiu, por anos, como se o jatinho da Odebrecht fosse seu

A Odebrecht colocou à disposição do ex-presidente Lula um jato executivo capaz de levá-lo a qualquer lugar do mundo, ora a serviço da empreiteira, ora para uso pessoal. Ele agia como se o jato fosse de sua propriedade. Integrantes da força-tarefa da Lava Jato suspeitam que o luxuoso Gulfstream G200 pode ter sido adquirido para o petista tão logo ele deixou a presidência da República, no final de 2010. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Uma das linhas de investigação é sobre a suposta compra do jatinho no âmbito da “conta-corrente” de Lula delatada pela própria Odebrecht.

A suspeita de “uso exclusivo” decorre da informação de que Lula teria escolhido pessoalmente a tripulação do Gulfstream.

Lula usou esse jato a serviço da Odebrecht ou cumprindo agenda pessoal, segundo revelou o ex-diretor Alexandrino Alencar.

Alexandrino Alentar, que foi preso na Lava Jato, fez acordo de delação premiada e reforçando acusações de tráfico de influência contra Lula.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

DEUS SALVE O BRASIL DO REI ... DAS PROPINAS

 "Sequência de derrotas mina o discurso de que não há provas contra Lula", diz o Estadão.

A condenação a nove anos e meio de prisão, decretada pelo juiz Sérgio Moro, e o julgamento do TRF-4 são apenas os primeiros sinais de que não há intocáveis quando a Justiça funciona e é imparcial.

Nas próximas semanas, o juiz Sergio Moro deve condená-lo mais duas vezes: pelo prédio do Instituto Lula, comprado com propina da Odebrecht, e pelo sítio de Atibaia, reformado com propina de empreiteiras.

Se o acordo da Lava Jato com Antonio Palocci também for assinado, e o ex-ministro garante que tem provas robustas, os bajuladores do rei das propinas podem enterrar definitivamente o argumento do "gópi"

Podemos afirmar, finalmente e por incrível que pareça, que realmente há alguma razão para o brasileiro ter esperança no fim da impunidade em nosso país. A provável prisão de Lula garante isso, pois já demonstrou, no passado, que tem a língua afiada, não somente para lançar calúnias contra adversários, mas também para entregar companheiros encrencados com a lei.

O Brasil poderá assistir a uma delação histórica, não vai sobrar um.

GOVERNO SUSPENDE ESQUEMA DE DILMA

















Governo extingue maracutaia com empresas aéreas

Aéreas combinaram contrato na era Dilma e como seriam pagas

O Ministério do Planejamento suspendeu a portaria 555/14, assinada no governo Dilma, pela qual o governo passou a comprar passagens diretamente às companhias, sem licitação e sem redução de preços. A medida, de 2014, foi adotada após lobby das empresas aéreas. Como no modelito “Petrolão”, as regras de contratação foram discutidas antes com as empresas a serem contratadas. E ninguém foi preso. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os presidentes das principais empresas (Avianca, Azul, Gol, TAM) se reuniram no Ministério do Planejamento para acertar as benesses.

Além da portaria 555, Dilma editou a medida provisória 651/2014, que concedeu benefício fiscal de 7,05% às companhia aéreas.

Com a MP 651, de Dilma, as companhia aéreas ganharam o “direito” de serem dispensadas da retenção de vários tributos na fonte.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

ÍNDIOS NÃO ACEITAM SER "MASSINHAS" DO PT

 “Não somos vagabundos, nem ligados a ONGs internacionais nem fabricados pelo PT”

O Antagonista

Jocelio Xucuru, uma das mais de 170 lideranças indígenas que assinaram um pedido para o presidente da Funai ser exonerado, disse a O Antagonista que passou da hora de a sociedade saber o que ocorre na fundação.

“Estamos cansados. Não somos vagabundos, nem ligados a ONGs internacionais nem fabricados pelo PT. Esses daí são carrapatos que ficam sugando os índios e o dinheiro público. Para eles, interessa manter essa imagem de que índio é coitadinho, invasor de terra, anda nu, de arco e flecha.”

Xucuru classificou os dirigentes da Funai de “oportunistas”, mas, se há dinheiro público envolvido, são “corruptos oportunistas”.

domingo, 7 de janeiro de 2018

ADEUS, PALESTRAS DE LULA

O Antagonista

Despencou a procura por palestras de Lula, principal fonte de receita do instituto do petista, registra o Radar da Veja.

“Os colaboradores da entidade tiveram que renegociar seus vencimentos para baixo.”

O Antagonista lembra que o condenado rodou o mundo “ensinando” os gringos a combaterem a pobreza, mas o levantamento divulgado recentemente pelo IBGE desmascarou o engodo petista.
O Brasil fechou 2016 com 25,4% de seus habitantes tecnicamente situados na linha da pobreza — ou seja, 52 milhões de pessoas vivendo com um rendimento médio que não passa dos R$ 387 por mês.

Além disso, mais de 13,4 milhões de brasileiros (ou 6,5% da população) vivem na pobreza extrema, com rendimento domiciliar per capita mensal de até R$ 133,72.

O maior índice é verificado na região Nordeste, onde 43,5% dos habitantes vivem na pobreza e 7,9% sofrem com a pobreza extrema, percentuais bem acima da média nacional.

Lula só tem autoridade para palestrar sobre corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O FORAGIDO

 
Quem pretender pensar sobre o que vai acontecer na política nacional no próximo dia 24 de janeiro do corrente ano, mais propriamente no que diz respeito ao julgamento em grau de recurso, no Tribunal Federal da 4ª Região em Porto Alegre, do condenado Lula da Silva, concluirá que o petista, já apenado com nove anos e meio de reclusão no rumoroso “Caso do Triplex de Guarujá”, provavelmente verá não só sua pena ser aumentada para 15 ou 16 anos de cadeia, mas, também, sua prisão decretada.

Não trabalho com as hipóteses de o Réu ser absolvido e de responder solto o restante do processo, isto por causa do conjunto de provas dos autos, o qual, à vista da sentença do Juiz Sérgio Moro de Curitiba, se revela como absolutamente incontornável quanto à caracterização dos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. Os crimes foram praticados e não tem conversa.

Os cenários relativos à absolvição e à liberdade do apenado Lula são a meu ver os mais improváveis porque isto importaria necessariamente em que o Órgão Julgador, isto é, a 8ª Turma do TRF-4, contrariasse frontalmente decisões anteriores adotadas por ele próprio em hipóteses semelhantes, abrindo, para casos futuros e até para outras ações já julgadas, perigosos precedentes que os desmoralizariam e os desacreditariam perante o Judiciário e o Brasil, além de se tornarem aquelas equivocadas decisões absolutamente ultrapassadas, em pouquíssimo tempo no caso em questão.

Com certeza. Não se deve esquecer, no que tange ao petista larápio, que existem mais duas ações criminais – uma relativa à compra de um terreno para instalação do tal Instituto Lula e outra referente à aquisição de um sítio em Atibaia-SP – em curso perante o Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba, as quais, em virtude das adiantadas fases dos respectivos processos terão fatalmente suas sentenças prolatadas possivelmente até abril deste ano. Deste modo, se Lula for condenado em qualquer dessas ações, o corajoso e íntegro magistrado Sérgio Moro decretará obrigatoriamente sua prisão, posto que naquela altura o bruto já estará condenado definitivamente em segunda instância, pelo TRF da 4º Região.

Lula sai preso de Porto Alegre ou de Curitiba, mas antes de meados deste ano não escapa do xilindró.

Caso se queira mesmo aprofundar nessa questão e nos desdobramentos que dela decorrem, convém levar em conta, além da trajetória de vida do esperto e inescrupuloso Lula da Silva, seus interesses pessoais, os de sua família - hoje milionária - e os da trupe que o cerca, aqui inclusos seus comparsas e asseclas do PT. Ponderem. Tudo isso tem que ser inserido no contexto político atual em que as forças que apoiam aquela gente, dotadas de tentáculos enormes no executivo, no legislativo e principalmente no judiciário em Brasília, não querem ver o homem preso no Brasil, pois isto prejudica terrivelmente seus propósitos iguais, quais sejam: chegar às eleições de 2018, e reeleger o máximo de corruptos e patifes possíveis, objetivando manter tudo como está e toda a abjeta classe política em seus mesmos lugares. Vejamos.

Lula nunca foi um líder e muito menos um estadista, nem uma caricatura grotesca disto. Foi sempre um mero e ladino “gigolô de porta de fábrica”, que por toda sua vida se valeu das posições que desfrutou para, em primeiro lugar, defender seus interesses pessoais. Vai continuar assim até morrer e, por isso mesmo, conquanto bem saiba todo mal que praticou contra a Nação Brasileira, nunca admitirá ser preso como ocorreu com José Dirceu, Antônio Palocci, Delcídio Amaral, Delúbio Soares, Vaccari Neto, Renato Duque, Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro da OAS, José Carlos Bumlai, os marqueteiros João Santana e sua mulher e muitos outros que sempre comandou durante os saques praticados aos cofres públicos.

Entretanto, a situação do petista desta feita é bem diferente de outras anteriores. No passado, quando estava à frente dos Sindicatos, negociou ou vendeu para os donos das fábricas o direito dos companheiros de trabalho, resguardando para si enormes vantagens. Quando esteve preso outrora, negociou sua liberdade e mordomias com o carcereiro, segundo a crônica da época. Quando se viu perto de ser envolvido e impichado por causa do Mensalão do PT, negociou com uma incauta oposição comandada por FHC e os deixou todos tontos, “rodando num pé só”, para adiante dar a volta por cima. Com o TRF-4 e com o Juiz Moro não tem negócio, por isso ele vai fugir.

É isso mesmo. É o que me parece e muito ficarei surpreso se Lula proceder tal qual Maluf que, recebendo voz de prisão se entregou de imediato à Polícia Federal. Penso que fará muito diferente e estou autorizado a assim intuir porque ele próprio vem alardeando, pelo Brasil inteiro, de maneira insultuosa, que todos os processos contra ele não passam de uma ação política partidária travestida de legalidade engendrada pela direita reacionária. Esses movimentos são cortinas de fumaça que visam encobrir seu propósito de se apresentar lá fora como preso político, carente de exílio.

Decretada a prisão de Lula em 24 de janeiro, por decisão unânime, seus caríssimos patronos ainda se valerão de um último recurso processual possível que lhe renderá cerca de algumas semanas em liberdade. Neste meio tempo ele foge provavelmente para o México, porque na região sul daquele país o petista sem verniz terá amplo apoio das FARC’s e de outras entidades guerrilheiras ou narcotraficantes aliadas e integrantes do Foro de São Paulo, que lá dominam ainda os territórios e de onde seguirá tranquilo para Espanha, que é o destino de muitos políticos fugitivos de países da “américa latrina”. Engana-se quem pensar em Cuba como destino, pois Lula gosta de luxo e conforto e lá só tem isso para os Castros. Além disto, segundo vários delatores da Lava Jato, o dinheiro do petista no exterior está depositado em países mais facilmente acessíveis na Europa.

Esta é uma situação que interessa a muita gente e à classe política como um todo, especialmente a que irá para eleições de 2018. Subir no palanque com Lula inelegível e se fazendo de vítima da elite branca é uma coisa, mas com ele atrás das grades é outra bem diferente. Tudo isso sem contar que crescerá o temor de que o “Ogro de Garanhuns” possa resolver abrir o bico a qualquer momento. Por que não?

Tal circunstância me remete aos idos de 1964. Enquanto as Forças Armadas deflagravam a Revolução e seus líderes se posicionavam para o que desse e viesse a grande maioria dos políticos da época se postavam de joelhos rezando para que presidente deposto não resistisse. A ida de João Goulart para o Uruguai - no final da tarde do dia 31 de março - encontrou os bandidos de sempre dando graças aos céus.

Penso que a esta altura dos acontecimentos o petista esperto já planejou com seus financiadores sua saída estratégica e sua corriola está muito feliz porque quanto mais não seja ele vai à frente abrindo caminho para muitos de sua corja visados pela Lava Jato.

Considerando que tal situação certamente é do conhecimento da grande maioria dos Órgãos de Inteligência do País, me pergunto se a Área de Segurança já estaria adotando as medidas preventivas necessárias para evitar a fuga do provável foragido. Estarão?

Jose Mauricio de Barcellos ex Consultor Jurídico da CPRM-ME é advogado.

ESQUEMA PETISTA A JATO

Petista enrolado na Lava Jato ajudou no esquema que privilegiou as aéreas

 Valter Correia foi pilar de esquema do governo Dilma com aéreas
 
Ex-secretário de Gestão do Ministério do Planejamento Valter Correia, preso pela Polícia Federal na Operação Custo Brasil, que prendeu também o ex-ministro Paulo Bernardo, é apontado como peça fundamental do esquema montado no governo Dilma Rousseff para compra de passagens, sem licitação, mediante pagamento à vista, por meio de cartão corporativo. Esse privilégio que não é concedido a quaisquer outros fornecedores de bens e serviços do governo federal. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os termos da contratação das empresas aéreas, sem licitação, são únicos. Até dispensa as empresas de retenção de impostos na fonte.

Valter Correia foi secretário executivo adjunto do Planejamento com Paulo Bernardo ministro. E preso, como ele, na Operação Custo Brasil.

A Consist cobrava mais do que devia de aposentados e servidores que faziam empréstimo consignado e repassava 70% para políticos do PT.

Valter Correia é acusado de receber propina da Consist Ao ser preso, ele era o secretário de Gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT).

EXECUTIVOS DA ODEBRECHT RELATAM 'DEMANDA' DE R$ 1 MILHÃO PARA FILME DE LULA

Em e-mail, executivos falam em demanda para 'apoiar o filme de interesse do nosso cliente'
 
O filme que narra a história do petista estreou em 1º de janeiro de 2010 e custou cerca de R$ 12 milhões
 
Estadão
 
A Operação Lava Jato investiga a captação de recursos para o financiamento do longa Lula, o Filho do Brasil. O empreiteiro Marcelo Odebrecht e o ex-ministro Antonio Palocci já prestaram depoimento. Em e-mails capturados pela Polícia Federal, executivos relatam a “demanda” de R$ 1 milhão para “apoiar o filme de interesse do nosso cliente”, que seria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O filme que narra a história do petista estreou em 1º de janeiro de 2010 e custou cerca de R$ 12 milhões. A Odebrecht destinou R$ 750 mil para o longa. A defesa de Lula não comentou a investigação da força-tarefa em Curitiba. O produtor do longa, Luiz Carlos Barreto, negou que tenha ocorrido tráfico de influência. A Odebrecht informou que está “colaborando com a Justiça”.

Em depoimento no dia 11 de dezembro, Palocci foi questionado pelo delegado Filipe Hille Pace sobre sua suposta relação com a produção do filme. O ex-ministro afirmou que “deseja colaborar na elucidação de tais fatos”, mas que naquele momento ficaria em silêncio.

No mesmo dia, Marcelo – delator da Lava Jato, já condenado e em prisão domiciliar em São Paulo – também falou ao delegado. Durante o depoimento, a PF apresentou ao empreiteiro e-mails extraídos de seu computador e ligados ao financiamento do filme. As mensagens recentemente resgatadas foram trocadas entre 7 de julho e 12 de novembro de 2008.

Em um dos e-mails, Marcelo enviou cinco tópicos a funcionários do grupo. Na lista estavam os executivos Alexandrino Alencar e Pedro Novis, que também se tornaram delatores.

“O Italiano (Palocci) me perguntou sobre como anda nosso apoio ao filme de Lula”, escreveu Marcelo. “AA (Alexandrino Alencar) tinha acertado com o seminarista, mas adiantei que, se tivermos nos comprometido com algo, seria sem aparecer nosso nome”, relatou o empreiteiro. Seminarista, segundo os investigadores, é Gilberto Carvalho, ex-assessor de Lula e ex-ministro de Dilma Rousseff.

A força-tarefa apura se o financiamento do filme tem relação com o esquema de desvios e corrupção na Petrobrás. À PF, Marcelo disse acreditar “que a doação para o filme fazia parte da agenda mais geral da Odebrecht com PT e Lula, ou, por exemplo, de uma ‘conta-corrente geral de relacionamento que Emílio (Odebrecht, seu pai), poderia manter com Lula”.

‘Apoio’

O primeiro e-mail identificado pelos investigadores indica que Marcelo havia sugerido a criação de um fundo. Na mensagem, o responsável pela comunicação do grupo, Marcos Wilson, informa ao empreiteiro que os realizadores não aceitaram.

“O amigo de seu pai (Lula), por sua vez, não admite usar qualquer lei de incentivo fiscal. Se houver interesse estratégico, encontraremos uma forma de atender à demanda”, escreveu Wilson a Marcelo. Na época, a empresa era presidida por Novis, que, nas mensagens, afirma que Alexandrino falaria “com o seminarista”.

Wilson, em um dos e-mails, fala sobre a inviabilidade do fundo e emite opinião sobre o longa: “Minha posição: embora seja um desejo do cliente e que já anda bem adiantado (o filme tem as características de Dois Filhos de Francisco), acho que este tipo de louvação maléfica poderá vir a ser um tiro no próprio pé do cliente”. Ele informa, então, o valor final do apoio.

Barreto disse também que negou o pedido de omissão feito pela Odebrecht. “Houve uma solicitação para que não incluíssemos o nome da empresa nos créditos do filme e dos materiais publicitários, condição essa que não foi, por nós, aceita”, afirmou Barreto. A empreiteira foi citada no filme. Procurado, Carvalho não foi localizado.

A QUEM PERTENCE O ÓDIO?

Miguel Lucena

Um militante de um partido de esquerda escreve que seus líderes são vítimas do “ódio de classe”, posto que os “golpistas intolerantes, racistas, homofóbicos e misóginos” assumiram o poder após uma rasteira parlamentar na comandante Dilma Roussef.

Resume seu pensamento ao nós e eles, sendo estes os intolerantes, odientos e que tais. Quem está do lado de lá é leve, light, plural, multicultural, politicamente correto e justo. A palavra ódio não existe no dicionário da esquerda, somente paz, amor e tolerância.

Não é o que vemos analisando historicamente os movimentos comunistas e socialistas pelo mundo, observando o que pregavam seus líderes e o resultado das experiências.

Em Cuba, o paredão serviu para Che Guevara treinar tiro ao alvo na cabeça de desafetos e funcionários do antigo regime que ele cismou serem inimigos de classe, mesmo que, cidadãos comuns, nada tivessem feito. Bastava uma denúncia anônima registrada por um vizinho corneado.

Guevara confessou os fuzilamentos de Cuba na Assembleia da Organização das Nações Unidas em 1964: “Nós temos que dizer aqui o que é uma verdade conhecida, que temos expressado sempre diante do mundo: fuzilamentos, sim! Fuzilamos, estamos fuzilando e seguiremos fuzilando até que seja necessário. Nossa luta é uma luta até a morte. Nós sabemos qual seria o resultado de uma batalha perdida e os vermes também têm de saber qual é o resultado da batalha perdida hoje em Cuba”.

Em versos, o médico Che descreveu o movimento de uma bala que penetra de um lado do crânio e sai do outro, confessou ter furtado o relógio de um homem que acabara de matar e acreditava que o homem, motivado pelo ódio, deveria se transformar “numa fria e implacável máquina de matar”. Chamava os adversários de “vermes”.

Vladimir Lênin, líder da Revolução Comunista na Rússia, disse que o ódio era o combustível que movia os revolucionários. Para despojar os kulaks (proprietários rurais prósperos, porém médios) de suas terras, mandou enforcar pelo menos 100 deles em praça pública, para servir de lição aos demais, em mensagem ao Comitê Executivo de Penza, em agosto de 1918.

Quando o Soviete resolveu abolir a pena de morte, em determinada circunstância, Lênin, furioso, declarou que não se podia fazer uma revolução sem execuções.

Para não falar dos 15 milhões que Josef Stálin eliminou, incluindo Leon Trótsky, basta mostrar que ele cunhou a célebre oração de que gratidão era uma doença sofrida por cachorros.

Mao Tse Tung, para cumprir a megalomania do Grande Salto Adiante, na China, entre 1958 e 1962, deixou perecer 45 milhões de pessoas.Nos registros oficiais do PC chinês, é citado o caso de um homem, na província de Hunan, que foi forçado a enterrar vivo seu filho de 12 anos por ter roubado grãos - o pai morreu de desgosto poucas semanas depois; outro registro diz respeito a uma mulher obrigada a entregar a filha adolescente para satisfação sexual de um burocrata em troca de dois pedaços de pão seco – logo em seguida, ela se suicidou. Há o caso de uma mãe que, quando morria de fome, pediu à filha que comesse seu coração, para não morrer também, o que foi feito.

Mao determinou que o presidente Liu Shaoqi fosse afastado do poder e morresse à míngua na prisão, sem direito a receber os medicamentos que precisava tomar para os problemas de saúde que o acometiam.

Ao criar comunas de até 20 mil pessoas, declarou que estava liquidada a base familiar, proibindo que as famílias fizessem comida em casa. Todos tinham de ir para a fila do bandejão, comendo de mão em cumbucas, quando conseguiam uma.

Agora, a luta de classes foi transferida do enfrentamento entre proletariado e burguesia para a guerra cultural e ideológica de todos contra todos - mulheres contra homens, negros contra brancos, homossexuais contra heterossexuais, filhos contra pais e assim por diante.

Quem promove a guerra posa de vítima e acusa os demais, mesmo os que não se metem na briga, de odiarem ou estarem do lado de quem os odeia.


Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e escritor.